Os primeiros detalhes sobre uma versão do Facebook focada em trabalho surgiram em novembro do ano passado. Na ocasião, parecia improvável que Mark Zuckerberg e sua turma estivessem envolvidos em algo assim. Mas, nesta quarta-feira (14), a companhia confirmou que o Facebook at Work, nome dado ao projeto, não só é real como entrará oficialmente em fase beta amanhã.

Facebook at Work

O serviço é muito semelhante ao Facebook “normal”, mas tem recursos voltados a atividades corporativas. Assim, os perfis dos usuários são preparados para exibir, prioritariamente, informações profissionais, como formação acadêmica, cargo e dados de contato.

Tudo indica que a ideia não é criar um mero rival para o LinkedIn, mas sim levar recursos de redes sociais para ambientes corporativos, o que faz do Facebook at Work um competidor para serviços como Basecamp e Yammer, de certa forma.

As empresas participantes podem, consequentemente, criar grupos separados por setor ou filial, utilizar recursos de comunicação que se mostram mais ágeis que o e-mail, manter um feed de notícias com conteúdo específico para o dia a dia da companhia e assim por diante.

O Facebook at Work terá muito em breve apps para Android e iOS, além da versão web, é claro. Mas, como o serviço ainda está em fase de testes, apenas um número limitado de empresas poderá acessá-lo.

Facebook at Work - iOS

Não há previsão para a liberação pública, mesmo porque o Facebook quer obter feedback antes de lançar a primeira versão final. Fica a pergunta para quando isso acontecer: será que o serviço terá boa aceitação?

É difícil prever. Por um lado, o Facebook at Work pode ser especialmente útil para empresas de pequeno ou médio porte que contam com uma estrutura digital muito limitada. Por outro, deve causar apreensão: e se o Facebook coletar informações sigilosas das empresas participantes?

Pode até parecer uma preocupação exagerada, mas como o Facebook seguiu com a tradição de não revelar suas intenções com o serviço e, ainda por cima, reforçou que não haverá anúncios publicitários ali (como a empresa ganhará dinheiro com isso?), fica mesmo um clima de desconfiança no ar.

Com informações: TechCrunch, WSJ.com

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Anakin
Trab em uma produtora de filmes (que deveria ser mais light as regras talvez) e aqui tb é bloqueado =/
Guery Rodrigues
Um dia isso vai mudar = ou não hsuhsuahu
Juliana Braga
Gostei muito da ideia, e acho que falta um pouco desse cuidado na área coorporativa, visto o tamanho das pessoas que não sabe usar o Facebook. Acho que existem diversos outros meios de se comunicar na área cooporativa ser sem somente com uma nova ferramenta do Facebook. Seguir sites de tecnologia, como esse e estar por dentro de tudo conter tecnologia sempre é bem vinda. O pior do Facebook é a onda de mallwares constantes. Dá última vez, quem pegou o virús no meu pc foi o Psafe. E me salvou. Tive até que deletar o facebook =/
Luís Rodrigues
Mais um flop como o Google+...
Tiago Celestino
Vamos aos fatos: as empresas já costumam bloquear o Facebook devido a falta de maturidade de alguns profissionais que não sabem separar horário de trabalho ou prazo de entrega e passa os dias na rede social, ai, vem o Facebook e pretende lançar o "Facebook of Work", ok! Querem concorrer com o linkedin etc.., ok! Vamos ver o que acontece.. Eu aposto que em menos de um ano, serviço será descontinuado, mas vai saber. Os caras estão tão perdendo o foco, que cada dia mostram que não tem rumos. Enquanto ñ inovarem os recursos da rede social, não adianta investir tempo e dinheiro em serviços que no final não vão render, ou pelo menos, que vão demorar um tempo para pegar e se pegar. Dados já provam que as pessoas estão deixando o Facebook, que não cresce como crescia nos anos anteriores. Pra mim, o "Facebook of Work" só é mais uma forma de se obter informações para exibição de publicidade focada, inclusive no "pai" de todos os outros serviços da empresa.
Thiago
A idéia é excelente! Difícil vai ser uma empresa querer colocar suas informações aí hein!
TheJuniorAde
Só para não correr do personagem: "Windows Phone não foi nem citado" :(
Christian Hartung
Com esse monte de empresa governada por dinossauros, que abominam e bloqueiam todo e qualquer tipo de rede social ou forma de comunicação, não sei se isso vai pra frente não.
David Marquardt
"reforçou que não haverá anúncios publicitários ali" Não dou 6 meses pra, ou aparecer publicidade ou existir um plano pago.