O TB é um site de tecnologia e cultura geek, mas no Tecnocast gostamos de falar da inovação de um ponto de vista comportamental – como a nossa rotina e cultura estão cada vez mais diferentes por causa do mundo digital.

Com os relacionamentos não é diferente, né? Antes quem namorava não tinha Facebook, Instagram ou Tinder pra se preocupar. Mas também não tinha Whatsapp ou Skype, que te permitem conversar com a sua amada sem ter que ficar pensando no pulso telefônico. S2

015

Nesse episódio não seremos nada científicos. Nosso objetivo era trocar uma ideia, compartilhando experiências e dando os nossos pitacos sobre se o mundo monogâmico está fadado ao fracasso, ou se não é nada disso, ele está ainda mais forte com o advento da internet.

Aperte o play aí e vamos nessa!

Participantes

Links Citados

Caixa Postal

Mande a sua mensagem para [email protected]

Assine o Tecnocast

Edição e Sonorização

O Tecnocast é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

Arte da Capa

Marcel Müller, o @grigio

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

danieu1337
Magnífico comentário, André. Eu não conhecia o trabalho do McLuhan, e caiu como uma luva entre minhas ideias sobre o assunto. Além de trabalhar com TI desde os 14 anos e me sustentar como Webmaster desde os 16, hoje estou no último ano de psicologia na UFG. Estou desenvolvendo um projeto e um artigo de conclusão de curso que gira exatamente em torno disso, da produção de subjetividade nas redes sociais online como extensão humana. A maioria das discussões, sobretudo entre os especialistas, foca a procura de argumentos para legitimar e justificar o quão maléfico a tecnologia é. Mas isso é como lutar contra o ar, é tentar desinstitucionalizar algo que veio para ficar, e que antes de tudo, inerentemente, não é boa nem ruim.
Thiago Mobilon
Muito interessante o seu comentário, André! Vou tentar encaixar ele na próxima gravação, que acontece semana que vem. :-)
André Carezia
Episódio curioso. Ao ouvi-lo, lembrei-me do livro "Understanding Media", escrito em 1964 pelo filósofo canadense Marshall McLuhan. Ele abre o livro com uma frase que ficou famosa: "o meio é a mensagem". E continua: "... as consequências pessoais e sociais de qualquer meio -- isto é, de qualquer extensão de nós mesmos -- resulta da nova escala que é introduzida em nossas atividades por cada extensão de nós mesmos, ou por cada nova tecnologia." Para McLuhan, o termo "meio" (medium, no inglês) e o plural "meios" (media, no inglês) significam qualquer tecnologia. E toda tecnologia, para ele, é uma extensão do homem. Algo que o homem não podia fazer, e passa a poder com a nova tecnologia. E ele argumenta que o conteúdo é irrelevante. O que muda as pessoas e a sociedade é o meio em si, não o que ele carrega como conteúdo. Ele cita como exemplos a roda, o alfabeto fonético, o dinheiro, a eletricidade, o rádio, a TV. Especialmente McLuhaniana é a frase da Bruna, aos 36min, dizendo mais ou menos que "essa velocidade da informação é o mal da geração, porque você fica ansiosa e se sente na obrigação de responder todo mundo; e isso consome muito de você [...] respondo agora ou não respondo?" Note que o conteúdo é irrelevante. O que afeta mais as pessoas é o simples existir do facebook, do whatsapp. Segundo McLuhan, as tecnologias que aumentam a velocidade de comunicação -- a escrita ao invés da mensagem oral, o avião no lugar do trem -- são centralizantes. E não descentralizantes, como é mais intuitivo pensarmos. Ele argumenta que são centralizantes porque aumentam o alcance de um poder central sobre seu território. Ele cita como exemplo o Império Romano comparado às cidades-estado gregas. Por isso uma outra frase famosa dele: "aldeia global". A TV, por exemplo, é global porque atinge o planeta todo. Mas é aldeia ou vila no sentido de que os comportamentos influenciados pela TV se tornam mais iguais, mais homogêneos, como acontece numa pequena vila isolada. Como eu disse, um episódio curioso. Parabéns pelo podcast!
Renato
No começo estranhei o podcast """"sair"""" do tema tecnologia mas no final entendi a prosposta e adorei!! Achei o programa leve e divertido de ouvir. Acho natural seguir por esse caminho e é interessante perceber e discutir o quanto a tecnologia afeta hoje em dia várias partes da nossa vida. Estava com saudades e já estou ansioso pro próximo.
Thiago Mobilon
1. Expliquei isso no começo do episódio; 2. Não é questão de coragem, é questão de se expor demais ou expor outras pessoas.. Mas o importante é discutir o comportamento+tecnologia e não contar detalhes sórdidos. :P 3. A escalação é feita de acordo com o tema, mesmo.. :) Obrigado pelo comentário!
Diego Carvalho
Espero que entendam esse comentário como uma crítica construtiva: Já ouvi todos os episódios do tecnocast e esse foi de longe, o pior. Tentarei deixar os motivos, ignorem a ordem: 1-Fugiu muito do tema "tecnologia", foi muito mais um podcast comportamental. A pauta poderia relacionar muito mais a tecnologia com amor via internet. EX: "como é feito os scripts de afinidade?",/// "quais os principais serviços e qual a diferença em cada um deles",/// "casos curiosos: como aquela falha do bangwithfriends que mostrava para todos quem você queria f*der, rapaz que burlou o sistema de afinidades e fazia todas pessoas verem seu perfil ou o rapaz que conseguia mulheres somente com print screen do extrato bancário como sua foto de perfil no tinder" 2- Maioria dos convidados (só 1 menina se salvou, mesmo assim, não souberam extrair muita coisa dela) conservadores ou envergonhados. Deveriam convidar pessoas que realmente tivessem a coragem de contar suas experiências no tinder e outros serviços. Foi o mesmo que chamar o joão da padaria para falar sobre as tendências para o futuro iphone...?! 3- Ausência do Paulo Higa. Ele é simpático por natureza, rapaz não pode ficar de fora de nenhum episódio. Apesar de achar que nesse podcast ele ficaria meio deslocado. Reafirmo que adoro tecnocast. Boa sorte e sucesso.
Victor Sabino ?
Parabéns pelo podcast!
Luis Carlos Rodrigues
Bem vindos de volta! Saudades.
Fernando Camilo
Finalmente! Estava com saudades haha
William Almeida
Show, ainda não tive tempo de ouvir mas é ótimo ver o TecnoCast de volta.
André Fernando
Beleza, já tenho o que ouvir hoje no engarrafamento!
Thiago Amelotti Portela
Aee... bacana! Só acho q o "som ambiente" durante as conversas está muito alto, e às vezes atrapalha... a música poderia estar mais baixa.. mas os tópicos, demais! curti muito!!
Rafael Borges
aeeeeehooooooo o/ Voltooooooooooou!!!!
Marcão Sparcos
? OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO O TECNOCAST VOLTOU!!!!!!!!! / ?
Guest
ee
Exibir mais comentários