Início » Gadgets » Cofundador da Oculus deixa o Facebook em meio a controvérsias

Cofundador da Oculus deixa o Facebook em meio a controvérsias

Felipe Ventura Por

Palmer Luckey é cofundador da Oculus, empresa de realidade virtual que foi adquirida pelo Facebook em 2014. Ele era um representante da nascente indústria de VR, mas se envolveu em algumas controvérsias e ficou sumido nos últimos meses. Agora, ele deixou a empresa.

Foto por Web Summit/Flickr

Luckey, 24 anos, era o principal rosto da empresa desde o primeiro protótipo público do Oculus Rift em 2012, que começou como uma campanha de Kickstarter. Anos depois, a empresa dele foi comprada pelo Facebook por US$ 2 bilhões, tornando-o bastante rico - seu patrimônio líquido é de US$ 730 milhões, segundo a Forbes.

Sua presença pública foi subitamente reduzida em setembro, quando ele admitiu financiar um grupo de trollagem em apoio a Donald Trump. Após a reação negativa da comunidade VR, ele pediu desculpas e sumiu. Luckey sequer apareceu na conferência anual Oculus Connect.

Ele só reapareceu em janeiro, em um julgamento, no qual a Zenimax Media acusou a Oculus de se apropriar indevidamente de segredos comerciais. O processo alega que a empresa usou tecnologia criada por John Carmack, ex-funcionário da ZeniMax que hoje trabalha como diretor técnico da Oculus. O Facebook foi condenado a pagar US$ 300 milhões, e recorreu da decisão; por sua vez, Luckey terá que pagar US$ 50 milhões.

Foto por eVRydayVR/Flickr

A saída de Luckey ocorre pouco após o primeiro aniversário do lançamento do Oculus Rift. O headset vendeu cerca de 240 mil unidades no ano passado, contra 420 mil do HTC Vive e 750 mil do PlayStation VR, segundo a consultoria SuperData.

Em comunicado, o Facebook diz:

Palmer fará falta. O legado dele se estende muito além da Oculus. Seu espírito criativo ajudou a iniciar a revolução da VR moderna, e ajudou a criar uma indústria. Estamos gratos por tudo o que ele fez pela Oculus e pela realidade virtual, e desejamos tudo de melhor a ele.

Com informações: Ars Technica, The Verge.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓

É, aí não tem como aliviar.
Acho que a carteira desse cara acabou. Melhor ele abrir um mercadinho e ficar de boas sem postar bobagens na internet

Jack Silsan
É, aí não tem como aliviar. Acho que a carteira desse cara acabou. Melhor ele abrir um mercadinho e ficar de boas sem postar bobagens na internet
Rodrigo M
Dei uma lida na reportagem para relembrar. 1. Ele apoiou um grupo que fazia memes propagandas contra a Hillary 2. Esse grupo tinha ligações com um grupo mais extremista 3. Ele postou com o pseudônimo NimbleRichMan que a Hillary é uma "stripper da liberdade". http://meiobit.com/352305/desenvolvedores-protestam-contra-criador-do-oculus-rift/
𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓

Vixi. Aí quebra as pernas!

Jack Silsan
Vixi. Aí quebra as pernas!
Caleb Enyawbruce

huahuahua!! perfect!!

Ramon Gonzalez
huahuahua!! perfect!!
Rodrigo M
Se não me engano o grupo utilizava pautas racistas e machistas e era ligado a outros grupos de supremacia branca.
CtbaBr©

A nível de servidores, todos os anos são do Linux!
O Tecnoblog por exemplo, usa WordPress, sendo assim provavelmente o servidor seja Linux!

CtbaBr
A nível de servidores, todos os anos são do Linux! O Tecnoblog por exemplo, usa WordPress, sendo assim provavelmente o servidor seja Linux!
𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓

Nesse ponto o Trump é no mínimo contraditório, pois numa hora ele fala que vai expulsar tudo mundo e na outra ele fala em união pois todos tem o mesmo sangue vermelho

Jack Silsan
Nesse ponto o Trump é no mínimo contraditório, pois numa hora ele fala que vai expulsar tudo mundo e na outra ele fala em união pois todos tem o mesmo sangue vermelho
Anakin
acho que Trump pregava/prega muita segregação a estrangeiros e as empresas de tecnologia bate muito em inclusão, quantos funcionários do facebook são estrangeiros a ponto de se sentirem um pouco mal em saber que um dos seus "chefes" apoia um candidato com esse discurso?
robsonc
O cara foi mexer e financiar o pior do que tem na internet pra escrotizar e denegrir a candidata da oposição ao invés de ir la e financiar de forma honesta e transparente (ou anônima também, não importa) quem ele apoia de verdade; eu acho absurdo, e concordo que uma empresa séria de tecnologia não deveria se associar a isso. Na minha opinião, claro.
robsonc
Ninguém considera um crime. Só o consideram um babaca que apoia quem é contra "aceitação" e "diferença". Assim como quem é contra o Trump não o é por considerá-lo um criminoso. É a vantagem do direito de expressão, você tem todo direito de dizer a merda que quiser, só que tem de aceitar quando as pessoas vierem apontar pra você o quão babaca você é. Essa é a principal diferença dos nossos tempos. Antigamente era só um lado. Quem adora vir com essa de "geração mimimi" são os privilegiados perdendo o privilégio de serem escrotos sem serem criticados por isso. Sendo assim, saúde e prosperidade pra "geração mimimi"!
Exibir mais comentários