Início » Mobile » Snapdragon 630 e 660 são os novos chips da Qualcomm para smartphones intermediários

Snapdragon 630 e 660 são os novos chips da Qualcomm para smartphones intermediários

Por
09/05/2017 às 13h03
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A Qualcomm não esqueceu da sua linha de processadores para dispositivos intermediários: na noite de segunda-feira (8), a companhia anunciou os chips Snapdragon 630 e 660. Eles vêm para substituir principalmente os modelos Snapdragon 626 e 653, respectivamente, e prometem ganho de desempenho, conexões móveis mais rápidas e suporte ao Quick Charge 4.

Snapdragon 630 e 660

No processamento, a performance do Snapdragon 630 é até 10% superior na comparação com o Snapdragon 626. Já o Snapdragon 660 é até 20% mais rápido que o Snapdragon 653. Na parte gráfica, os novos chips conseguem ter rendimento até 30% superior em relação aos seus antecessores, segundo a Qualcomm.

O Snapdragon 630 é um octa-core com quatro núcleos Cortex-A53 de 2,2 GHz e outros quatro Cortex-A53 de 1,8 GHz. Os gráficos são garantidos pela GPU Adreno 508 (contra o Adreno 506 do Snapdragon 626).

Pela numeração mais alta, fica claro que o Snapdragon 660 é o mais poderoso das duas novidades: o chip possui quatro núcleos Kryo 260 de 2,2 GHz e quatro Kryo 260 de 1,8 GHz, além da GPU Adreno 512 (o Snapdragon 653 tem GPU Adreno 510).

Outro destaque do Snapdragon 660 é o processador de sinal digital (DSP, na sigla em inglês) Hexagon 680, que apareceu primeiro no Snapdragon 820: o componente pode realizar vários tipos de tarefas — melhorar a qualidade de vídeos gravados, por exemplo — sem consumir tanta energia quanto a CPU. O Snapdragon 660 tem ainda suporte ao Wi-Fi 802.11ac com sistema MU-MIMO 2×2.

Snapdragon 660

Em comum, ambos os modelos contam com processo de fabricação FinFET de 14 nanômetros, modem LTE Snapdragon X12, que permite ao smartphone se conectar a redes 4G com velocidades de até 600 Mb/s (megabits por segundo) de download e 150 Mb/s de upload, além do processador de imagens Spectra 160 ISP, que tem entre seus atributos estabilização eletrônica nas gravações de vídeo e aprimoramento de fotos tiradas em ambiente com pouca luz.

Outros recursos existentes nos dois chips são o suporte a até 8 GB de memória LPDDR4 (mais rápida e com consumo menor em relação ao tipo LPDDR3), Bluetooth 5.0 e a já mencionada compatibilidade com o Quick Charge 4.0: até então disponível apenas no Snapdragon 835, a tecnologia promete até 50% de carga na bateria em apenas 15 minutos.

As primeiras unidades do Snapdragon 630 começarão a ser entregues no final do mês. O Snapdragon 660 já está sendo enviado aos fabricantes. A expectativa é a de que smartphones equipados com os novos chips comecem a aparecer, no mais tardar, durante o terceiro trimestre.

Com informações: AnandTech

  • Vinícius Silva

    Não entendo a estratégia da Qualcomm com tantas gerações em tão pouco tempo quando nem mais as fabricantes de celulares acompanham tão bem assim. Esses 623 e 653 não foram nem adotados pela indústria mas já tem uma nova leva saindo nos próximos meses. Não que deva retardar a inovação mas muitos desses são apenas pequenos aprimoramentos do mesmo chip. Daqui a pouco chegaremos ao ponto de ter mais modelos de SOC da Qualcomm sendo vendidos no mercado do que modelos de celular da Samsung.

    • Gertrudes, a Lhama

      É que na real o 626 e 653 são meio que versões “incrementais” do 625 e 650, respectivamente. Assim como o 821 é para o 820. Essas incrementais são pouco usadas mesmo, pois surgem no meio de uma geração e não são muito adotados. Imagino que sirvam mais pra “experiência” do que pra serem comercialmente bem sucedidas mesmo. O 625 e o 650 foram usados em vários modelos (o 650 aliás, é ótimo e não perde muito para o 820 na prática)

      A linha da Qualcomm tem 4 categorias hoje, até onde sei:

      – a linha 4xx, focado nos low-ends (encabeçado atualmente pelo 430);
      – a linha 62x, intermediário com bons recursos, porém nem tanta performance;
      – a linha 65x/66x, intermediário com praticamente os mesmos recursos do que a 62x, mas performance maior;
      – a linha 8xx, pra flagships.

      • emersonalecrim

        É bem isso mesmo. Ótima explicação!

      • Mickael Fernandes

        Não é tão difundida – e não sei nem se é atualizada -, mas tem a linha 200 também.
        Comprei recentemente um aparelho que pode ser uma barganha, o Neffos Y5 com SD210, salvo engano. Paguei R$359 em 10x s/juros + frete grátis por um aparelho com tela de 5″ HD, dual-chip+sd, 4G (porém há especulações de que não funciona com a Vivo), SD210, 2GB RAM e 16GB armazenamento. Veremos se o bichinho é bom, creio que chegará amanhã…

    • evefavretto

      Fora que design de aparelhos leva tempo. Cerca de 18 meses. As vezes um desses SoCs com mudanças incrementais, sendo pin-compatible, pode entrar no design que já tá em desenvolvimento(ou é o que a Qualcomm quer, aparentemente), ou no sucessor com poucas mudanças.

  • Henrique Queirós

    Ao menos smarts com duas câmeras ficarão mais baratos..

    • Keaton

      Ou manterão os preços e lançarão tops ainda mais caros… :p

  • evefavretto

    Finalmente um modem categoria 12/13 fora do high-end. 256QAM e agregação de 3 portadoras numa camada mais baixa do mercado.

  • Qualcomm começou com a linha organizada (primeiro número a linha, segundo a geração, terceiro a variante), agora já tá igual a Nokia…