O que é Snapdragon? Entenda a linha de SoCs da Qualcomm

Conheça a linha de processadores da Qualcomm para smartphones, tablets, smartwatches, notebooks e mais; saiba as diferenças entre as séries do Snapdragon

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 7 meses
Snapdragon 8cx e G3x, chips da Qualcomm para notebooks e portáteis (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
Snapdragon 8cx e G3x, chips da Qualcomm para notebooks e portáteis (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Snapdragon é a marca de processadores da Qualcomm usada em SoCs com arquitetura Arm para celulares, notebooks e outros dispositivos. Entenda, a seguir, as especificações e séries dos chips mais conhecidos da Qualcomm.

Para que serve o Snapdragon?

O Snapdragon é o chip que processa as diversas tarefas de um dispositivo eletrônico, seja um smartphone, um notebook ou um tablet.

A CPU de um Snapdragon, baseada em arquitetura Arm, é responsável por lidar com a maioria das tarefas genéricas, como cálculos matemáticos e operações lógicas. A GPU Adreno processa gráficos de jogos, enquanto o ISP Spectra foca principalmente nas imagens capturadas pelas câmeras de um celular.

Ele é geralmente construído no modelo SoC (System-on-a-Chip), que reúne diferentes tipos de processadores no mesmo chip de silício. Alguns modelos de Snapdragon são fabricados na tecnologia SiP (System-in-Package), que combina múltiplos circuitos integrados no mesmo pacote.

Quais são os componentes de um chip Snapdragon?

  • CPU: é responsável pela maioria das tarefas genéricas, como operações aritméticas e instruções lógicas. Na maioria dos modelos, adota a tecnologia big.LITTLE, que reúne núcleos de alto desempenho e de baixo consumo de energia no mesmo processador. CPUs personalizadas da Qualcomm usam a marca Kryo;
  • GPU (Adreno): processador gráfico que lida principalmente com jogos. Também auxilia a CPU na codificação e decodificação de vídeos H.264 e H.265. O Adreno, hoje de propriedade da Qualcomm, foi criado pela ATI (empresa posteriormente comprada pela AMD) e é um anagrama da marca Radeon de placas de vídeo;
  • DSP (Hexagon): é um processador de sinal digital voltado para uma variedade de tarefas auxiliares à CPU e à GPU. Nos SoCs mais novos, possui aceleradores Tensor, Scalar e Vector para focar em tarefas de inteligência artificial e aprendizagem de máquina, operando como um chip neural (NPU);
  • ISP (Spectra): processa as imagens capturadas pelos sensores de imagem do dispositivo, inclusive otimizando a qualidade das fotos e vídeos. Pode lidar com câmeras de centenas de megapixels e vídeos em 8K nas versões mais potentes, liberando carga da CPU e da GPU;
  • Wi-Fi e Bluetooth (FastConnect): é um sistema de conectividade integrado ao SoC que permite a comunicação sem fio com uma variedade de dispositivos, como fones de ouvido sem fio e roteadores Wi-Fi de baixa latência;
  • Modem: voltado para conexões móveis, como 4G e 5G. É a ponte entre o sistema operacional e as antenas do dispositivo. Modens mais potentes fazem parte da linha Snapdragon X, adotando nomes como Snapdragon X70 e X75;
  • Codecs de áudio: são intimamente ligados ao FastConnect e incluem o aptX, o aptX HD e o aptX LL, codecs de compressão de som de propriedade da Qualcomm para transmissão sem fio via Bluetooth.
Diagrama de um Snapdragon 8 Gen 2, com CPU Kryo, GPU Adreno, ISP Spectra, DSP Hexagon e plataforma FastConnect (Imagem: Divulgação/Qualcomm)
Diagrama de um Snapdragon 8 Gen 2, com CPU Kryo, GPU Adreno, ISP Spectra, DSP Hexagon e plataforma FastConnect (Imagem: Divulgação/Qualcomm)

Quais produtos têm SoC Snapdragon?

  • Celulares: smartphones da Samsung, Motorola, Xiaomi e outras fabricantes de Android podem ser equipados com chips Snapdragon, sendo que o processador da Qualcomm respondia por 28% do mercado de SoCs para celulares em 2023, segundo a Counterpoint Research;
  • Notebooks e tablets: equipamentos da HP, Lenovo e Samsung usam chips Snapdragon principalmente em notebooks híbridos, como uma alternativa às CPUs da Intel e da AMD. A linha Microsoft Surface tem chips Microsoft SQ que são baseados em processadores Snapdragon;
  • Headsets de VR, AR e XR: as linhas Snapdragon XR e AR são voltadas para dispositivos de realidade estendida e aumentada. Esses aparelhos têm otimizações no processamento de imagem e na capacidade de rastreamento posicional do usuário;
  • Smartwatches: relógios inteligentes com Wear OS podem trazer chips Snapdragon Wear que lidam com o processamento gráfico, a comunicação Bluetooth com o celular e, em alguns casos, o suporte a conexões móveis, como 4G LTE;
  • Carros: a plataforma Snapdragon pode processar as informações do painel do carro e conectá-lo a outros veículos (conexão V2V) e à infraestrutura viária (conexão V2I), o que possibilita o desenvolvimento de carros autônomos.
Snapdragon 8cx, plataforma da Qualcomm voltada para notebooks (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
Snapdragon 8cx, plataforma da Qualcomm voltada para notebooks (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Quais são os modelos de processadores Snapdragon?

A linha de processadores da Qualcomm para smartphones, tablets e laptops é composta atualmente por quatro séries: Snapdragon 8, Snapdragon 7, Snapdragon 6 e Snapdragon 4. A nomenclatura do chip também indica a série daquela geração, com nomes como Gen 1, Gen 2 e Gen 3.

Quanto maior o número da série na mesma geração, mais avançado é o chip, ou seja, um Snapdragon 8 Gen 1 é mais rápido e possui mais recursos que um Snapdragon 6 Gen 1 ou um Snapdragon 4 Gen 1. O símbolo “+” após o número da série (como em Snapdragon 8+ Gen 1) indica uma melhoria incremental em relação ao chip original.

Com relação à geração, um Snapdragon 8 Gen 2 é uma evolução mais significativa de um Snapdragon 8 Gen 1. Em geral, mudanças geracionais nos chips Snapdragon trazem processos de fabricação mais novos, o que melhora o desempenho e a eficiência do SoC.

Snapdragon 8 Series (8, 8+, 8c e 8cx)

Chips Snapdragon da série 8 são os mais avançados da linha e, além de serem equipados com as CPUs Kryo e GPUs Adreno de maior desempenho da Qualcomm, costumam trazer as últimas novidades em conectividade, fotografia e inteligência artificial, que depois são lançadas nas séries inferiores.

Processadores como o Snapdragon 8 e 8+ são usados em smartphones premium com Android e podem trazer modens 5G de múltiplos gigabits por segundo, além de suporte a câmeras de centenas de megapixels. O FastConnect 7800 do Snapdragon 8 Gen 2, lançado em 2022, foi o primeiro da Qualcomm a se conectar a redes Wi-Fi 7.

A linha também equipa notebooks e tablets mais potentes por meio de SoCs como o Snapdragon 8cx Gen 3 Compute Platform, adotado no Lenovo ThinkPad X13s, lançado no Brasil em 2023.

Qualcomm Snapdragon 8 Gen 2, um chip Arm de 64 bits (Imagem: Giovanni Santa Rosa/Tecnoblog)
Qualcomm Snapdragon 8 Gen 2, um chip Arm de 64 bits (Imagem: Giovanni Santa Rosa/Tecnoblog)

Snapdragon 7 Series (7, 7+, 7c e 7c+)

A linha Snapdragon série 7 traz os recursos premium mais procurados e algumas das tecnologias de próxima geração da Qualcomm. Foi criado pela empresa como uma opção mais acessível em relação à série 8, mas ainda atendendo à maioria dos usuários avançados.

Está presente tanto em smartphones na categoria “intermediário premium”, com plataformas como o Snapdragon 7+, quanto em computadores com Windows, equipados com o Snapdragon 7c+ e 7c Compute Platform.

Embora sejam menos potentes que a série 8, os processadores Snapdragon série 7 costumam ter tecnologias muito recentes. Os modelos Snapdragon 7 Gen 1 e 7+ Gen 2, por exemplo, foram lançados o mesmo processo de fabricação de 4 nanômetros dos chips mais caros da Qualcomm.

Snapdragon 6 Series

Os processadores Snapdragon série 6 são voltados para celulares intermediários. A Qualcomm descreve a linha como um “equilíbrio entre desempenho e consumo de energia”.

O primeiro modelo da série, o Snapdragon 6 Gen 1, foi anunciado em 2022 e equipou smartphones mais simples, como o Motorola Moto G Stylus 5G. Esse chip é capaz de lidar com imagens de 200 MP, conexão 5G de até 2,9 Gb/s e telas Full HD+ com taxas de atualização de 120 Hz, dependendo do projeto da fabricante do aparelho.

Snapdragon 4 Series

O Snapdragon série 4 reúne os SoCs mais simples da Qualcomm para smartphones. De acordo com a própria empresa, trata-se de uma linha para aparelhos de entrada, que suporta as tecnologias mais populares e os recursos de conectividade essenciais.

Os processadores da série 4 focam em baixo custo, portanto, não trazem as últimas tecnologias da Qualcomm e têm desempenho inferior ao das outras linhas, especialmente em CPU e GPU.

Em geral, esses chips processos mais maduros de fabricação, que diminuem o custo de produção. O Snapdragon 4 Gen 1, lançado junto na mesma época do Snapdragon 6 Gen 1, se diferenciava principalmente pela litografia de 6 nm, mais antiga que o processo de 4 nm do irmão mais potente.

Snapdragon 800, 700, 600, 400 e 200

Snapdragon 800, 700, 600, 400 e 200 eram as séries usadas pela Qualcomm até 2023 para dividir sua linha de processadores. As diferenças entre cada série eram:

  • Snapdragon 800: equivalente à série 8, era voltada para celulares topo de linha. O Snapdragon 888+ foi o último, lançado em 2021, e tinha processo de 5 nm da Samsung, suporte a 5G de até 7,5 Gb/s, GPU Adreno 660 e DSP Hexagon 780 capaz de processar 32 trilhões de operações por segundo (TOPS);
  • Snapdragon 700: equivalente à série 7, era voltada para smartphones na categoria intermediário premium. O Snapdragon 782G foi o último, lançado em 2022, e tinha processo de 6 nm da TSMC, suporte a 5G de até 3,7 Gb/s, GPU Adreno 642L e DSP Hexagon 770 de 12 TOPS;
  • Snapdragon 600: equivalente à série 6, era voltada para modelos intermediários. O Snapdragon 685 foi o último, lançado em 2023, e tinha processo de 6 nm da TSMC, suporte a 4G de até 390 Mb/s, GPU Adreno 610 e DSP Hexagon 686 de 3,3 TOPS, sendo uma mudança incremental em relação ao Snapdragon 680 de 2021;
  • Snapdragon 400: equivalente à série 4, era voltada para aparelhos básicos. O Snapdragon 480+ foi o último, lançado em 2021, e tinha processo de 8 nm da Samsung, suporte a 5G de até 2,5 Gb/s, GPU Adreno 619 e DSP Hexagon 686 de 3,3 TOPS;
  • Snapdragon 200: reunia os chips básicos da Qualcomm, voltados para dispositivos de baixo custo. O nome Snapdragon foi eliminado da série a partir de 2017 com o lançamento do Qualcomm 205, com CPU quad-core de 1,3 GHz, GPU Adreno 308 e processo de fabricação em 28 nm da TSMC.
Qualcomm 205, lançado em 2017, eliminou o nome Snapdragon da série 200 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
Qualcomm 205, lançado em 2017, eliminou o nome Snapdragon da série 200 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Snapdragon XR e AR

Snapdragon XR é a linha de SoCs da Qualcomm voltada para headsets de realidade estendida (XR), virtual (VR), aumentada (AR) e mista (MR). São projetados para suportar recursos de voz e vídeo com maior desempenho sustentado, baixo consumo de energia e menor dissipação de calor.

As principais características do Snapdragon XR são as otimizações para rastreamento posicional, como o 6DoF (6 Graus de Liberdade), que permite a movimentação livre do usuário no espaço. Também há melhorias para o Video See Through (VST), que mescla as imagens do mundo real com o ambiente virtual em óculos de realidade estendida.

Uma versões mais simples do Snapdragon XR, batizada de Snapdragon AR, foi lançada em 2022 para equipar óculos de realidade aumentada. O Snapdragon AR2 era composto de um processador, um coprocessador e um chip de conectividade distribuídos pelas hastes dos óculos.

Snapdragon XR e AR, chips da Qualcomm para realidade estendida e aumentada (Imagem: Giovanni Santa Rosa/Tecnoblog)
Snapdragon XR e AR, chips da Qualcomm para realidade estendida e aumentada (Imagem: Giovanni Santa Rosa/Tecnoblog)

Snapdragon W

Snapdragon W, antes conhecida como Snapdragon Wear, é uma linha de chips para dispositivos vestíveis, como relógios inteligentes e fones de ouvido totalmente sem fio.

Esses chips são construídos para fornecer conectividade e desempenho básicos com o mínimo consumo de energia possível, já que wearables têm baterias com baixa capacidade. Os SoCs da série W também podem ser usados em câmeras de ação e rastreadores de objetos.

Snapdragon G

Snapdragon G é a série de processadores da Qualcomm para videogames portáteis. Reúne o Snapdragon Elite Gaming, conjunto de tecnologias que melhoram o desempenho dos jogos e adicionam capacidades típicas de desktops, como drivers de GPU atualizáveis.

O Snapdragon G3X Gen 1, lançado em 2021, era focado em consoles portáteis com Android e permitia rodar jogos em até 144 frames por segundo com HDR10 por meio da GPU Adreno. O modem 5G e o suporte às redes Wi-Fi 6 podiam ser usados para games via streaming.

Videogames portáteis equipados com o Snapdragon G3x Gen 1 rodam jogos a até 144 fps (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
Videogames portáteis equipados com o Snapdragon G3x Gen 1 rodam jogos a até 144 fps (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Quem fabrica os chips Snapdragon?

Os chips Snapdragon são fabricados pela TSMC e pela Samsung.

A Qualcomm é uma empresa de processadores do tipo fabless, ou seja, não possui fábricas de semicondutores. Ela é responsável pelo projeto do chip e terceiriza a fabricação para outras companhias.

Como saber se o processador do celular é Snapdragon?

Uma forma de descobrir o modelo do processador do celular é por meio do aplicativo CPU-Z, disponível para Android em versão gratuita com anúncios. O nome do SoC fica em destaque no topo da tela principal, que também mostra especificações como o número de núcleos da CPU, o clock da CPU e o modelo da GPU.

CPU-Z informando que o chip Snapdragon 8 Gen 1 tem oito núcleos (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
CPU-Z informando que o chip Snapdragon 8 Gen 1 tem oito núcleos (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Qual é a diferença entre Snapdragon e MediaTek?

Snapdragon é uma marca de SoCs da Qualcomm, enquanto MediaTek é uma empresa taiwanesa que produz chips concorrentes das marcas Helio e Dimensity para celulares, tablets e notebooks baseados em arquitetura Arm.

A MediaTek era líder em vendas de chipsets para smartphones no primeiro trimestre de 2023, com 32% das unidades, seguida pela Qualcomm (28%) e pela Apple (26%), segundo a Counterpoint Research.

Qual é a diferença entre Snapdragon e Exynos?

Snapdragon e Exynos são duas linhas de SoCs para smartphones, tablets e notebooks baseados em arquitetura Arm. O Snapdragon é da Qualcomm, enquanto o Exynos é uma marca da Samsung. Eles se diferenciam em características como processo de fabricação, desempenho geral e dissipação de calor.

Comparações entre as duas linhas são comuns devido à prática da Samsung de comercializar o mesmo modelo de celular com diferentes SoCs dependendo do país. O Galaxy S22, por exemplo, foi vendido com Snapdragon 8 Gen 1 no Brasil, mas Exynos 2200 na Europa.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais sobre Snapdragon na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Relacionados