O que é Exynos? Saiba mais sobre os processadores da Samsung para celulares

Exynos é a linha de processadores da Samsung para celulares, tablets, smartwatches e até carros. Entenda características do SoC e diferenças para o Snapdragon

Emerson Alecrim Paulo Higa
Por e
• Atualizado há 9 meses
Samsung Galaxy S21 com SoC Exynos 2100 (imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S21 com SoC Exynos 2100 (imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Exynos é uma família de processadores criada pela Samsung para equipar smartphones e tablets Galaxy, smartwatches, notebooks e outros dispositivos. Eles são fabricados no modelo System-on-a-Chip (SoC) e têm arquitetura Arm.

Os Exynos são compostos de CPU, GPU, ISP e outros tipos de processadores dentro do mesmo chip de silício. São a principal alternativa ao Snapdragon, da Qualcomm, nos smartphones da linha Galaxy. Entenda os principais modelos de Samsung Exynos e suas diferenças para os concorrentes.

Para que serve o Samsung Exynos?

A linha Samsung Exynos é formada por SoCs, isto é, chips que reúnem múltiplos processadores em um único circuito integrado, como CPU com arquitetura Arm para processamento geral, GPU para gráficos e modem para conexão 5G ou 4G.

O formato de SoC torna os chips da Samsung adequados para dispositivos compactos, o que explica o seu direcionamento a celulares, tablets e smartwatches. Também há chips Exynos voltados a dispositivos de casa inteligente e até a automóveis.

Quais são os componentes de um Samsung Exynos?

Por serem SoCs, os chips Samsung Exynos contam com diversos componentes integrados, como:

  • Processador central (CPU): executa processos gerados pelo sistema operacional. Costuma ser baseada na tecnologia big.LITTLE, que combina núcleos Arm Cortex de alta velocidade com núcleos de eficiência energética (com menos desempenho);
  • GPU: executa tarefas que resultam em conteúdo gráfico, como renderização de jogos e decodificação de vídeo. A linha Exynos têm GPU Arm Mali. Mas há exceções, a exemplo do Exynos 2200, que tem processador gráfico com arquitetura AMD;
  • Memória cache: tanto a CPU quanto a GPU podem ser complementadas com memória cache para permitir acesso rápido aos dados em processamento, embora a Samsung não costume revelar a quantidade desse item;
  • NPU (unidade neural): processador que acelera tarefas de aprendizagem de máquina e inteligência artificial. Está presente nos chips mais avançados, a exemplo dos Exynos 2200 e 1380;
  • DSP: processa sinais digitais de áudio, vídeo e outras aplicações. Nos SoCs Exynos mais avançados, pode lidar com tarefas de inteligência artificial;
  • ISP (processador de imagem): transforma imagens capturadas pelas câmeras do celular ou tablet em fotos e vídeos;
  • Modem e conexões sem fio: o modem permite ao celular ou tablet se comunicar com redes móveis. Chips modernos suportam tanto redes 5G quanto tecnologias anteriores. Também há módulo para Wi-Fi e Bluetooth;
  • Localização por satélite: faz o chip ser compatível com sistemas de geolocalização, como GPS, Glonass, BeiDou e Galileo.

Quais são os modelos de chips Samsung Exynos?

A linha de processadores da Samsung para smartphones é composta por quatro séries principais: Exynos 800, Exynos 900, Exynos 1000 e Exynos 2000.

Quanto maior o número da série, mais avançado costuma ser o chip. Assim, um System-on-a-Chip (SoC) da série Exynos 2000 tende a ser mais rápido ou oferecer mais tecnologias do que um Exynos 800 de mesma geração.

Exynos 800, 900, 1000 e 2000

  • Exynos 800: reúne os chips intermediários da Samsung lançados em 2020, como o Exynos 850 e o Exynos 880. Esses processadores têm oito núcleos de CPU e modem 4G;
  • Exynos 900: são SoCs avançados lançados entre 2019 e 2020. Têm oito núcleos de CPU, combinando unidades de alto desempenho com opções de eficiência energética (menos potentes). Um chip de destaque é o Exynos 990;
  • Exynos 1000: série que equipa celulares de categoria intermediária premium. Tem tecnologia de 5 nanômetros, modem 5G e suporte nativo a HDR10+. Inclui modelos como Exynos 1280 e Exynos 1380;
  • Exynos 2000: são SoCs de alto desempenho que equipam celulares topo de linha, como o Exynos 2100 do Galaxy S21 FE e o Exynos 2200 do Galaxy S22 Ultra. Este último chip se destaca por ter litografia de 4 nanômetros.
Chip Exynos 2200 (imagem: divulgação/Samsung)
Chip Exynos 2200 (imagem: divulgação/Samsung)

Exynos 3, 4, 5, 7, 8 e 9000

  • Exynos 3: série do primeiro chip, o Exynos 3 Single 3110, lançado em 2010 com tecnologia de 45 nanômetros. Também conhecido como Hummingbird, equipou o primeiro smartphone Galaxy S;
  • Exynos 4: teve versões com 45 a 28 nm lançadas entre 2011 e 2014. Chips com dois núcleos recebiam a palavra Dual no nome, como Exynos 4 Dual 4210. Versões quad-core tinham denominações como Exynos 4 Quad 4415;
  • Exynos 5: série lançada entre 2012 e 2014, teve versões com dois, seis e oito núcleos de CPU. Um de seus destaques era o Exynos 5420, chip octa-core que equipou o tablet Galaxy Tab Pro 10.1 de 2014;
  • Exynos 7: formada por chips com 28, 20 e, pela primeira vez na linha, 14 nm. Um exemplo é o octa-core Exynos 7904, que equipou intermediários como o Galaxy A30. Não houve uma série Exynos 6 como predecessora;
  • Exynos 8: série com poucos modelos anunciados entre 2016 e 2017, como os octa-core Exynos 8890 e Exynos 8895. Este último tinha tecnologia de 10 nm e equipou o topo de linha Galaxy S8;
  • Exynos 9000: série baseada em litografias de 10, 8 e 7 nanômetros. Teve modelos lançados entre 2018 e 2019. Um deles foi o octa-core Exynos 9825, que esteve presente no potente Galaxy Note 10+.

Exynos Auto

Exynos Auto é uma linha de processadores desenvolvidos especificamente para carros. Eles podem cumprir várias funções, como rodar aplicativos no painel do veículo (como mapas ou reprodutores de mídia) e comandar sensores ou câmeras para prevenir acidentes. Um chip com essas características é o Exynos Auto V92.

Exynos W

Exynos W é uma linha de SoCs usada em dispositivos vestíveis (wearable), a exemplo do smartwatch Galaxy Watch 6, com o dual-core Exynos W930, e do Galaxy Watch 5, equipado com o Exynos W920. Esses chips reúnem características como CPU de baixo consumo, conectividade sem fio e geolocalização.

Galaxy Watch 4 com chip Exynos W920 (imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Galaxy Watch 4 com chip Exynos W920 (imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Exynos Modem

Exynos Modem é uma linha de chips que faz celulares, tablets e outros dispositivos portáteis terem acesso nativo a redes móveis. É o caso do Exynos Modem 5300, que permite ao smartphone Google Pixel 7 ter conectividade 5G e LTE.

Quais produtos têm Samsung Exynos?

Estas são as linhas de produtos que mais contam com chips Samsung Exynos:

  • Galaxy S: linha de celulares avançados da Samsung. Alguns modelos têm processadores Exynos, como o Galaxy S20 Ultra, a primeira versão do Galaxy S20 FE 4G e o Galaxy S21 FE vendidos no Brasil;
  • Galaxy A: é uma linha de smartphones intermediários da Samsung, tendo de modelos básicos a premium. Muitos deles têm SoC Exynos, como o Galaxy A54, o Galaxy A33 e o Galaxy A14;
  • Galaxy M: esta é uma linha de celulares intermediários, mas com modelos um pouco menos avançados do que a família A. Entre os aparelhos com chip Exynos estão o Galaxy M54 e o Galaxy M14;
  • Galaxy F: linha de smartphones intermediários com modelos comercializados em países como Índia e China. Celulares como Galaxy F62, Galaxy F54 e Galaxy F12 têm chip Samsung Exynos;
  • Galaxy Watch: a família de relógios inteligentes da Samsung têm diversos modelos com chip Exynos de baixo consumo energético, como o Galaxy Watch 5, o Galaxy Watch 4 Classic e o Galaxy Watch Active 2;
  • Carros: a Samsung cria SoCs Exynos que permitem que carros tenham telas de alta resolução, sensores que previnem colisões e auxílio de condução baseado em câmeras. O Audi A4 é um dos veículos que têm chip Exynos;
  • Celulares de outras marcas: chips Exynos já equiparam smartphones de concorrentes da Samsung, a exemplo do Motorola One Vision e do Meizu 15 Plus.
O Samsung Galaxy A54 tem chip Exynos 1380 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O Samsung Galaxy A54 tem chip Exynos 1380 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Qual a diferença entre Exynos e Snapdragon?

Os chips Exynos e Snapdragon têm como base as arquiteturas da Arm, mas se diferenciam entre si em características como projeto, litografia e componentes integrados.

A primeira diferença está no fabricante. Os chips Exynos são desenvolvidos e produzidos pela Samsung Semiconductor. Já os modelos Snapdragon são projetados pela Qualcomm, que é uma empresa fabless, ou seja, não possui fábricas de semicondutores. A sua produção é feita por companhias como a TSMC.

Nos componentes, os chips Exynos contam, em sua maioria, com GPUs integradas Arm Mali, enquanto os modelos Snapdragon são equipados com gráficos Adreno, da própria Qualcomm.

Também há diferenças em itens como modem, processador de sinal de imagem e módulo para localização por satélite.

Quais países usam celulares Galaxy com Exynos ou Snapdragon?

Não existe um padrão válido para todos os países. A Samsung decide a distribuição regional das unidades com um SoC ou outro a cada geração.

Alguns Samsung Galaxy S têm versões com chips Exynos e outras com Snapdragon. No Galaxy S22, versões com Exynos foram distribuídas em partes da Ásia, Europa, Oriente Médio e África. Estados Unidos e Canadá tradicionalmente recebem unidades com Snapdragon.

O Brasil também não segue um padrão consistente. No mercado nacional, o Galaxy S21 foi lançado com Exynos 2100, enquanto o Galaxy S22 chegou com Snapdragon 8 Gen 1.

Como ver se o celular é Exynos ou Snapdragon?

Galaxy S21 com Exynos 2100 (imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)
Galaxy S21 com Exynos 2100 (imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Um jeito fácil de descobrir se o seu celular Galaxy tem chip Exynos ou Snapdragon é instalando o aplicativo CPU-Z. A ferramenta informa o nome do processador na aba SoC, que também tem informações sobre CPU e GPU.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais sobre Exynos na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Relacionados