Início » Gadgets » O bichinho virtual Tamagotchi está de volta

O bichinho virtual Tamagotchi está de volta

Felipe Ventura Por

Eu não tive um bichinho virtual quando era criança. Até brincava com os Tamagotchis que meus amigos levavam para a escola, mas nunca fiquei interessado em ganhar um. (Eu não tenho animais de estimação hoje em dia, o que pode ou não estar relacionado a isso.)

Bem, se você nunca teve um Tamagotchi, ou se quer entrar na forte onda nostálgica de brinquedos retrô, eis sua chance: a japonesa Bandai relançou o bichinho virtual nos EUA.

O Tamagotchi — que combina a palavra japonesa “tamago” (ovo) com o inglês “watch” — está comemorando seus 20 anos de lançamento global. Ele começou no Japão, e chegou a mais países em 1997. Desde então, foram vendidas mais de 76 milhões de unidades.

A versão de relançamento possui tela de 16 x 16 pixels (contra 32 x 16 pixels no modelo original) e é 20% menor, com 3,8 cm de altura e cerca de 3 cm de largura. Ele mantém o formato semelhante a ovo, e possui três botões na parte inferior.

Você liga o Tamagotchi e se depara com um ovo, do qual sairá seu bichinho virtual. Então é hora de alimentá-lo, limpar os excrementos, oferecer ajuda quando ele estiver doente, e desligar a luz quando for hora de dormir. Infelizmente, segundo o Engadget, não dá para discipliná-lo quando ele se comporta mal, nem mesmo brincar com ele.

O aparelho emite sons quando o bichinho quer algo de você, e aparentemente não possui função mudo, então vai pentelhar o dono até morrer de negligência. Claro, você pode resetar o Tamagotchi e criar outro animalzinho direito desta vez, mas não parece ser tão divertido quanto antigamente.

A edição de aniversário foi lançada no Japão em abril, e chega aos EUA em 5 de novembro por US$ 15; a pré-venda começa nesta terça (10).

Vale lembrar que a Bandai Namco vende um app oficial do Tamagotchi: ele custa US$ 3,99 para iOS, e R$ 12 para Android.

Com informações: Engadget, Mashable.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

elton martins
Notícia de bichinho virtual e o povo cagando regras aí embaixo putaqueopariuuu, tem que dar um reset nesse Brasil msm,daqui só pra piorr.
zoiuduu .
oxe, claro que nao, vc se confundiu ai rss
Ligeiro
Não é você que tá torcendo pela entrada do Bolsonaro? Espera ele entrar para ver...
zoiuduu .
Não foi pra vc que eu dei o like msm kkkk Boa sorte no seu sonho de anonimato virar hediondo,
Senhor Bean
Uma lei da palmada pode ligar o alerta vermelho na escola de uma criança de chega com hematomas e evitar o pior. É o melhor que se tem hoje.
André Sales Fonteles
O infanticídio sempre foi crime e moralmente condenável. Não obstante alguns ainda insistem em fazê-lo. O motivo é simples: quem faz isso não se importa com as leis. Não será uma "lei da palmada" que impedirá ou mudará esse quadro.
Ligeiro
E vocÊ não me deu boas risadas, só está estressando a galera. Torço que um dia anonimato vire crime hediondo. Só chegar a intervenção militar...
Maico Andrade
Na época troquei o meu numa fita do "Wild Guns" do SNES! Nem dormia de tanto jogar!
Gesonel o Mestre dos Disfarces
continua ACONTECENDO, ô néscio. Leia direito antes de responder.
Gesonel o Mestre dos Disfarces
Já tem uns genéricos no gearbest, por volta de seis reais.
Gesonel o Mestre dos Disfarces
Não tirando sua razão no assunto em questão, mas veículos de comunicação NÃO SÃO "boas referências". Mas tenho certeza de que você não vai ter dificuldade nenhuma em achar artigos científicos sobre o tema.
zoiuduu .
internet ,,, toma amigo um like pra tu ficar feliz , vc me deu boas risadas.
Senhor Bean
Veículos de comunicação são “boas referências” e 2011 foi praticamente ontem. Mas enfim, isso não vem ao caso. Minha indignação começou porque o senhor ali em cima fez uma piada com a lei que foi criada para tentar mitigar esse problema tão sério. Comentários como esse podem legitimar as atitudes de pessoas doentes que não enxergam problemas em espancar seus filhos.
Kaio
o artigo e de 2011, o projeto de lei foi aprovada em 2014. mas parabens vc finalmente foi atras de boas referencias. https://direito-do-estado.jusbrasil.com.br/noticias/2967924/lei-da-palmada-proibe-os-pais-de-castigarem-fisicamente-os-filhos
Senhor Bean
Essa vale pra vc e pro zoiuduu. Não sei qual é o referencial de vcs, mas pra mim UM caso é muito. Segundo Argachoff (2011, p. 85), em sua tese de mestrado em Direito pela Universidade de São Paulo, USP, foram registrados 42 casos de infanticídio de 2000 a 2011, uma média de 4 casos por ano, somente no estado de São Paulo e sem levar em consideração a morte de adolescentes. Esses foram os casos que ele achou pois "cumpre deixar consignada a dificuldade na obtenção de tais registros. As informações solicitadas aos diversos setores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo eram quase sempre respondidas negativamente". Fonte: ARGACHOFF, Mauro. Infanticídio. 2011. Dissertação (Mestrado em Direito Penal) - Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. doi:10.11606/D.2.2011.tde-03092012-090650. Acesso em: 2017-10-10.
Exibir mais comentários