Início » Computador » Asus anuncia placa-mãe que suporta 20 GPUs para mineração de criptomoeda

Asus anuncia placa-mãe que suporta 20 GPUs para mineração de criptomoeda

Emerson Alecrim Por

A procura por GPUs para mineração de criptomoedas foi tão grande em 2017 que os preços das placas de vídeo dispararam. Mas essa atividade já não é tão rentável, razão pela qual os preços começaram a voltar ao normal. Mesmo assim, a Asus acredita que ainda há espaço para esse nicho: a companhia acaba de anunciar a H370 Mining Master, placa-mãe específica para mineração.

H370 Mining Master

Você não leu errado, é mesmo uma placa-mãe. Ela vem com soquete LGA 1151 compatível com processadores Intel Core de oitava geração, dois slots para memória DDD4 (máximo de 32 GB), um slot PCI Express x16, duas conexões SATA de 6 Gb/s, seis portas USB 3.1 e outras quatro USB 2.0, além de conexão Gigabit Ethernet.

Agora vem a parte inusitada: a H370 Mining Master possui 20 entradas para placas de vídeos. Todas são portas USB 3.1 que se conectam diretamente ao barramento PCI Express da placa-mãe. A conexão de cada unidade deve ser feita por cabo riser: a ponta com USB vai para a placa-mãe, obviamente; a outra é ligada a uma plaquinha com slot PCI para conexão da GPU.

Vale frisar que a ideia não é nova. Lançada no ano passado, a B250 Mining Expert é uma placa-mãe com proposta parecida, mas que usa slots PCI Express x1 em vez de USB. De acordo com a Asus, a nova abordagem é mais interessante porque facilita a conexão dos cabos e é mais resistente que os slots PCI Express, diminuindo o risco de desconexão acidental, por exemplo.

Chama atenção, mas sem surpreender, a existência na placa-mãe de três conexões de 24 pinos para alimentação elétrica. Recursos de monitoramento também fazem parte do pacote: a placa é capaz de informar quais GPUs estão funcionando corretamente ou quais têm problemas, bem como os slots que estão desconectados.

H370 Mining Master

Na primeira olhada, a H370 Mining Master parece ser uma solução interessante. A questão é: vale a pena? Minerar Bitcoin, por exemplo, é uma atividade que deixou há tempos de ser consideravelmente rentável. Por isso, quem o faz normalmente prefere recorrer aos ASICs, dispositivos que fazem mineração com controle mais eficiente do consumo de energia.

O Ethereum é uma criptomoeda que se beneficia da mineração com GPUs e, por ter se valorizado muito, foi a principal responsável pela exorbitante demanda que fez as placas de vídeo sumirem do mercado. Mas, desde janeiro, essa e outras moedas digitais vêm seguindo uma tendência de desvalorização, para alívio dos jogadores que agora conseguem encontrar placas com preços normais.

Seja como for, a Asus promete demonstrar o equipamento e dar mais detalhes (incluindo preço, presumivelmente) na próxima semana, durante a Computex 2018.

Com informações: TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação