Início » Antivírus e Segurança » CCleaner reverte atualização após crítica por coleta de dados

CCleaner reverte atualização após crítica por coleta de dados

A versão 5.4.5 do CCleaner impedia que o monitoramento de dados fosse desativado

Victor Hugo Silva Por

Depois de diversas críticas, o CCleaner decidiu voltar atrás e cancelar uma atualização que poderia colocar sua privacidade em risco. Segundo usuários, a ferramenta de limpeza de arquivos indesejados estava coletando dados sobre a atividade em um computador mesmo sem ter autorização.

O problema ocorria com o recurso de monitoramento ativo, que envia a cada 12 horas dados para o CCleaner melhorar a limpeza do sistema. Até a versão 5.4.4, os usuários podiam desabilitar a função a qualquer momento.

CCleaner

Na versão 5.4.5, porém, essa possibilidade deixou de existir. Já não era mais possível desabilitar o monitoramento em segundo plano e o programa continuava enviando dados mesmo que os usuários não quisessem.

O CCleaner até oferecia o botão para impedir a análise dos arquivos, mas ele não tinha muita utilidade. Mesmo ao desmarcar a caixa de seleção que interrompia o monitoramento, o programa voltava a ativar o recurso ao ser reiniciado.

Com o monitoramento habilitado, a ferramenta continua aberta mesmo que você aperte o botão de fechar. Neste caso, ela passa a exibir um ícone na barra de tarefas do Windows. E aí está outro problema da versão 5.4.5.

Após a atualização, o CCleaner deixou de exibir, junto com o ícone, uma opção para fechar. O único modo para finalizar o programa era usar o Gerenciador de Tarefas do Windows e encerrar a tarefa, o que não é algo conhecido por todos os usuários.

Para resolver o problema, a Piriform, desenvolvedora do CCleaner, decidiu voltar da versão 5.4.5 para a 5.4.4. Em um comunicado, a empresa disse que a medida servirá para realizar melhorias em uma futura atualização.

"Estamos trabalhando para separar a funcionalidade de limpeza dos relatórios de análise e oferecer mais opções de controle". Ela também prometeu divulgar quais dados são coletados pelo programa, qual a finalidade de cada um e como eles são processados.

Desde 2017, a Piriform e, consequentemente, o CCleaner, são de propriedade da Avast. O valor da negociação não foi divulgado à época da compra, mas o acordo envolveu uma base de cerca de 130 milhões de usuários ativos do programa.

Com informações: BleepingComputer.

Mais sobre: ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Keaton
Depois que a Piriform ltd foi comprada pela AVAST, só fizeram meeeeeeeerrrrrr...coleta de dados adoidada, diversos crashs, etc.
Wees
uma base de cerca de 130 milhões de usuários ativos do programa.
Diogo
Eu não fico sem, uso para limpeza de arquivos e registros, tirar programas da lista de programas, limpar inicialização e tarefas agendadas.
Veritas
Desinstalei esta bagaça depois daquela versão cheia de malware.Era tão bom... pena que ferraram tudo
Caleb Enyawbruce
Ainda existe quem use essa porcaria?
João
Esses que reclamaram se jogariam da ponte ao saber o que o windows, o navegador, o google, os anúncios e até as extensões que bloqueiam anúncios coletam. Ah, e nem mencionei os smartphones tb...
Silvio Nascimento
Espera o que da empresa que força a instalação do Avast via outros softwares (ex. Utorrent).
brazlocateli
"Limpe seu computador sujando seu computador", moderna versão de "pare de fumar fumando".
Fio da Navalha
Tomara que a empresa Avast aprenda com essa, corre o risco de perder todos os clientes da ferramenta. Anos de dedicação criando um produto para estragar numa atualização. Uso a mais de 10 anos, se continuar desse jeito troco na hora.
Alex Silva
Efeito placebo
Lucas Santos
Próxima versão virá com um switch de enfeite.