Início » Internet » Facebook libera anúncios em vídeos no Brasil para monetizar páginas

Facebook libera anúncios em vídeos no Brasil para monetizar páginas

Com os chamados Ad Breaks, o Facebook pagará 55% da receita de cada anúncio exibido pelas páginas

Por
21 semanas atrás

O Facebook revelou nesta quarta-feira (13) um passo importante para atrair mais criadores de conteúdo no Brasil. A empresa passará a exibir por aqui os Ad Breaks, pequenos intervalos que aparecem junto aos vídeos e ajudam a monetizar páginas.

Apesar de não serem desejados pelos espectadores, os anúncios devem beneficiar quem produz vídeos um pouco mais longos e possui uma base expressiva de seguidores. As páginas que participarem do programa receberão 55% do valor pago em cada comercial.

Facebook libera anúncios em vídeos no Brasil para monetizar páginas (Con-karampelas / Unsplash)

Os criadores poderão indicar o formato de anúncio que preferem. Os comerciais terão de 6 a 15 segundos e poderão ser exibidos no meio ou no início do vídeo. Há, ainda, a opção de exibir um anúncio em imagem logo abaixo do player. O Facebook oferece uma ferramenta de inserção automática, mas permite que as páginas escolham espaços com mais potencial.

Para mostrar os Ad Breaks, será preciso cumprir alguns requisitos. A rede social exige, por exemplo, que os vídeos com pelo menos três minutos tenham mais de 30 mil visualizações de, no mínimo, um minuto nos últimos dois meses.

A página também deve ter mais de 10 mil curtidas e estar de acordo com os Padrões de Qualificação para Monetização da plataforma. É possível verificar se a sua página é elegível para o programa neste link.

O Facebook não revelou projeções de retorno com os Ad Breaks, mas o fato de boa parte dos anúncios ser exibida em sua totalidade deverá beneficiar as páginas. Segundo a plataforma, mais de 70% dos anúncios que aparecem nos vídeos são vistos até o final.

A chegada do Ad Breaks ao Brasil marca uma nova etapa para tornar o Facebook um ambiente mais propício para criadores de conteúdo. Em agosto, a rede social liberou a plataforma de vídeos Watch no país e ficou um pouco mais parecida com o YouTube.

Mais sobre: ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.