Início » Negócios » Apple Music chega a 60 milhões de assinantes em meio à disputa com Spotify

Apple Music chega a 60 milhões de assinantes em meio à disputa com Spotify

Spotify tem 100 milhões de assinantes Premium e reclama de taxas da App Store

Por
28/06/2019 às 11h48

O vice-presidente de serviços da Apple, Eddy Cue, informou na quinta-feira (27) que o Apple Music atingiu mais um marco: 60 milhões de assinantes já usam o serviço de streaming de música. O número se aproxima do Spotify, que possui 100 milhões de usuários pagantes ao redor do mundo e está em uma briga com a Apple pelas taxas cobradas na App Store.

Apple Music

Os dados foram revelados por Cue ao site francês Numerama em uma entrevista na Apple Store Champs-Élysées. Segundo o executivo, o Apple Music já é o serviço de streaming mais popular dentro do ecossistema da Apple e será aperfeiçoado continuamente com novos recursos, como as letras de músicas sincronizadas no iOS 13.

O crescimento do Apple Music foi rápido: o último número que havia sido divulgado pela empresa era de 50 milhões de assinantes, em abril. O The Verge lembra que a Apple tem se esforçado para tornar o serviço mais popular: ela diminuiu os preços na Índia, ofereceu degustações de quatro meses para usuários do Shazam e fez parceria com a American Airlines para fornecer streaming grátis no Wi-Fi das aeronaves.

Apple e Spotify trocam acusações por taxas cobradas na App Store

Apple Music

Quem não deve estar tão feliz com o crescimento do Apple Music é o Spotify, que briga com a Apple pelas taxas cobradas na App Store — a empresa sueca chegou a levar o caso à Comissão Europeia. Pelas regras da loja de aplicativos do iOS, a Apple fica com 30% do valor pago pelos usuários no primeiro ano de assinatura, e 15% depois desse período.

“Se pagarmos essa taxa, isso nos forçaria a aumentar artificialmente o preço de nossa assinatura Premium bem acima do preço do Apple Music. E, para manter nosso preço competitivo para nossos clientes, isso não é algo que podemos fazer”, disse Daniel Ek, CEO do Spotify. Ek quer o mesmo tratamento de serviços como o Uber, que não pagam a taxa adicional da Apple.

A Apple discorda: “Depois de anos usando a App Store para fazer o seu negócio crescer de modo significativo, o Spotify busca ficar com todas as vantagens do ecossistema da App Store — incluindo a receita substancial que a empresa gera por lá —, mas sem contribuir para esse marketplace”, disse a empresa em um comunicado. No meio da briga, a Apple publicou uma página em seu site explicando os princípios da App Store e divulgando serviços concorrentes.

Mais sobre: , ,