Início » Comportamento » Engajamento com influenciadores no Instagram nunca esteve tão baixo

Engajamento com influenciadores no Instagram nunca esteve tão baixo

Aumento expressivo de postagens patrocinadas é uma das explicações

Emerson Alecrim Por

O Instagram é a rede social preferida para ações de marketing envolvendo os chamados influenciadores digitais. Embora muitas marcas consigam realizar campanhas com resultados satisfatórios no serviço, o momento requer atenção: um levantamento da InfluencerDB indica que o engajamento com influenciadores nunca esteve tão baixo.

Elijah O'Donnell / curtidas no Instagram / Unsplash

Nas medições da InfluencerDB, a taxa de engajamento corresponde à média de curtidas nas postagens em relação ao número de seguidores do influenciador.

Atualmente, essa taxa está com média de 3,6% para contas com pelo menos 10 mil seguidores. Influenciadores com algo entre 5 mil e 10 mil seguidores têm engajamento de 6,3%. Já aqueles na faixa entre 1 mil e 5 mil seguidores têm taxa de engajamento de 8,8%.

Mesmo não revelando todos os números, a InfluencerDB indica que essas porcentagens estão mais baixas que nos anos anteriores. A empresa dá como exemplo a categoria de influenciadores de viagens, que registrava engajamento médio de 8% em 2018 e, em 2019, caiu para 4,5%. Categorias como moda, alimentação e beleza também registraram quedas.

As causas para o problema são numerosas, mas um fator parece ter mais peso: o número de postagens patrocinadas aumentou tanto que, ao que tudo indica, o engajamento dos usuários acabou ficando diluído.

Apesar disso, o mercado de influência digital não está morto. O que os especialistas recomendam é a criação de campanhas planejadas com mais cuidado, que levem mais em conta a qualidade e o contexto do conteúdo do influenciador do que o seu número de seguidores.

A própria InfluencerDB indica que campanhas junto a pequenos influenciadores podem trazer mais resultados, talvez porque, em muitos casos, eles se dedicam a nichos mais específicos.

Um número crescente de instagramers usa a região de Chernobyl (Prypyat) como cenário

Um número crescente de instagramers usa a região de Chernobyl (Pripyat) como cenário

Trabalhar com postagens patrocinadas em vez de oferecer "mimos" em troca de divulgação também parece ser mais eficaz, de acordo a InfluencerDB. Uma das explicações para isso é que os influenciadores tendem a fazer um trabalho mais profissional quando são remunerados.

Exemplos de que campanhas com influenciadores devem ser criteriosas não faltam. O notável caso da jovem Arii, que não conseguiu vender o número mínimo de 36 camisetas para uma marca de roupas mesmo tendo 2,6 milhões de seguidores é um bom exemplo.

Outro é o dos instagramers que, pegando carona na série da HBO, transformaram a região de Chernobyl em cenário para poses descontraídas ou, em alguns casos, até sensuais, sem levar em conta que uma tragédia gravíssima ocorreu ali. Essa aparente falta de bom senso evidencia a importância de uma análise cuidadosa na seleção de influenciadores para campanhas.

Com informações: Mobile Marketer.

Mais sobre:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

gbitte
Sempre existiram, a única diferença é que não tem um selo de jornal atrás.
CerealKiller
https://www.vfast.com.br utilize a ferramenta e acabe com este problema!!
Ana
Falando como pessoa que acompanha vários blogueiros, primeiro são tantas postagens, de tanta gente, que se for pra "engajar" em todas não saio mais do celular. Segunda, esse papo de engajamento é tão chato, porque quase todo mundo só tá fazendo post prá pedir comentário, curtida. Tá um saco mesmo. E a culpa é das próprias redes que colocam os que tem mais engajamento na frente da vitrine. Por isso acredito que as próprias redes sociais cavaram essa cova.
Vader
mendigar likes em troca de alguns merréis, se prestar a humilhação pública em troca de mimos. falsidade. ingenuidade de crer que a bolha jamais estourará. quem influencia os influenciadores?
Murilo Aquino
Os biscoitos estão escassos
Alberto Prado
Ou coach de digital influencer, rsrsrs.
Luiz Henrique
1 lugar: Instagram.2 lugar: perfil de política no twitter.
Luizão
na vdd os "influenciadores" migraram e se multiplicaram da tv pro instagram, mas concordo q é uma das piores porcarias q se popularizou nessa geração.
Gustavo Hofer
não sabe a diferença entre influenciador e gerador de conteúdo e chama o outro de cabeça minúscula
Franco Luiz
Vao fazer coisas com amoeba la que ninguem vai nem se quer olhar haha
Franco Luiz
Exatamente
Vagner Da Silva
Eu pulo tudo, eu lá quero saber se uma gostosa recebeu delivery de marmita vegana? Esse povo de publicidade nem está se esforçando mais.
Rodrigo Gomes
Poxa vida, essa galera vai ter que trabalhar agora. Que pena...
Ricardo - Vaz Lobo
Se tem influenciador, tem os influenciados.
Ricardo - Vaz Lobo
Virou tudo carne de vaca. Até a próxima febre.
Ricardo - Vaz Lobo
Quem é consumidor ávido dessas porcarias, só muda de endereço.
Ricardo - Vaz Lobo
O ambiente engravatado do LinkedIn inibe gente dada a besteiróis.
Franco Luiz
Exato
Franco Luiz
não n acompanho nenhum e pelo seu choro ja vi que vc deve ser um ou se achar um
Robert Rey
Pra isso existe o Linkedin
Anderson
Acredito que você esteja muito por fora deste mercado. Influenciador não é só blogueirinho. Existem centenas de perfis que geram conteúdo de excelência para segmentos bem nichados. Perfis relacionados a Engenharia, Direito, Marketing, Contabilidade ajudam MUITO os profissionais da área e as empresas que tem produtos para oferecer neste segmento aproveitam muito bem a autoridade destes perfis frente ao seu público. Você mesmo deve acompanhar alguns influenciadores e está aqui criticando o que não sabe. Deixa de ser cabeça minúscula e vá entender o mercado. Influenciador não é só a bonitinha da novela Chiquititas.
Vitor
Ainda bem... espero q os biscoiteiros sumam junto
Franco Luiz
Influenciador precisa acabar, pior porcaria que surgiu nessa geração
Queen
Lugar mais toxico do universo, se chama Instagram, quanto mais pessoas largarem essa merda, melhor para saúde mental delas.