Início » Computador » Huawei já vende laptops MateBook com Linux na China

Huawei já vende laptops MateBook com Linux na China

Huawei MateBook 13, MateBook 14 e MateBook X Pro começaram ser vendidos com o Deepin Linux

Por
13/09/2019 às 11h07

Não existe nada indicando que os Estados Unidos irão amenizar as restrições comerciais impostas à Huawei no curto ou médio prazo. Se é por esse motivo ou não, o fato é que, no mercado chinês, a companhia já comercializa laptops da linha MateBook com a distribuição Linux Deepin no lugar do Windows.

Huawei MateBook 13

Huawei MateBook 13

Por ora, são três modelos de notebooks: MateBook 13, MateBook 14 e MateBook X Pro. Este último é o mais avançado. A sua configuração mais simples inclui tela de 13,9 polegadas com resolução de 3000×2000 pixels, processador Intel Core i5, 8 GB de RAM e SSD de 512 GB.

Todos eles estão à venda na loja online Vmall. Não está claro se a decisão de lançar esses modelos com Linux tem como base o embargo dos Estados Unidos, até porque, no site, é possível encontrar versões dos mesmos laptops com Windows 10 — todos eles foram anunciados antes das sanções americanas, portanto, ainda contam com suporte da Microsoft.

Uma possibilidade é a de que a Huawei esteja simplesmente testando a aceitação que os seus notebooks terão se vierem com Linux. O preço pode dar uma ajudinha nesse aspecto: o MateBook 13 e o MateBook 14 com Deepin são o equivalente a US$ 42 mais baratos que as versões com Windows. No MateBook X Pro, esse diferença corresponde a US$ 84.

Huawei MateBook X Pro

Huawei MateBook X Pro

O próprio Deepin também pode ajudar. Essa distribuição é chinesa, mas tem como base o Debian e, de modo geral, é bastante elogiada por trazer uma interface bonita e funcional.

Você vai encontrar no Deepin, por exemplo, a função Cloud Sync, que sincroniza as configurações do sistema (como senhas de Wi-Fi, papel de parede e modo de economia de energia) com as nuvens. Esse recurso é útil para deixar o sistema do seu jeito rapidamente em uma nova instalação, por exemplo.

A distribuição pode ser baixada a partir do site deepin.org, para quem tiver curiosidade.

Se esse é um teste de aceitação ou não, o que é certo é que as sanções americanas já afetam as operações da Huawei. A companhia chegou a cancelar o lançamento de um MateBook por estar impedida de negociar com a Microsoft.

Mas a prova de fogo vem na próxima semana: a Huawei deve lançar o Mate 30 com Android, mas sem o ecossistema do Google. Os motivos já são óbvios.

Com informações: Forbes.