Início » Computador » Huawei já vende laptops MateBook com Linux na China

Huawei já vende laptops MateBook com Linux na China

Huawei MateBook 13, MateBook 14 e MateBook X Pro começaram ser vendidos com o Deepin Linux

Emerson Alecrim Por

Não existe nada indicando que os Estados Unidos irão amenizar as restrições comerciais impostas à Huawei no curto ou médio prazo. Se é por esse motivo ou não, o fato é que, no mercado chinês, a companhia já comercializa laptops da linha MateBook com a distribuição Linux Deepin no lugar do Windows.

Huawei MateBook 13

Huawei MateBook 13

Por ora, são três modelos de notebooks: MateBook 13, MateBook 14 e MateBook X Pro. Este último é o mais avançado. A sua configuração mais simples inclui tela de 13,9 polegadas com resolução de 3000×2000 pixels, processador Intel Core i5, 8 GB de RAM e SSD de 512 GB.

Todos eles estão à venda na loja online Vmall. Não está claro se a decisão de lançar esses modelos com Linux tem como base o embargo dos Estados Unidos, até porque, no site, é possível encontrar versões dos mesmos laptops com Windows 10 — todos eles foram anunciados antes das sanções americanas, portanto, ainda contam com suporte da Microsoft.

Uma possibilidade é a de que a Huawei esteja simplesmente testando a aceitação que os seus notebooks terão se vierem com Linux. O preço pode dar uma ajudinha nesse aspecto: o MateBook 13 e o MateBook 14 com Deepin são o equivalente a US$ 42 mais baratos que as versões com Windows. No MateBook X Pro, esse diferença corresponde a US$ 84.

Huawei MateBook X Pro

Huawei MateBook X Pro

O próprio Deepin também pode ajudar. Essa distribuição é chinesa, mas tem como base o Debian e, de modo geral, é bastante elogiada por trazer uma interface bonita e funcional.

Você vai encontrar no Deepin, por exemplo, a função Cloud Sync, que sincroniza as configurações do sistema (como senhas de Wi-Fi, papel de parede e modo de economia de energia) com as nuvens. Esse recurso é útil para deixar o sistema do seu jeito rapidamente em uma nova instalação, por exemplo.

A distribuição pode ser baixada a partir do site deepin.org, para quem tiver curiosidade.

Se esse é um teste de aceitação ou não, o que é certo é que as sanções americanas já afetam as operações da Huawei. A companhia chegou a cancelar o lançamento de um MateBook por estar impedida de negociar com a Microsoft.

Mas a prova de fogo vem na próxima semana: a Huawei deve lançar o Mate 30 com Android, mas sem o ecossistema do Google. Os motivos já são óbvios.

Com informações: Forbes.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Keaton

Remix não funcionava em AMD. D:

Mas teria de ser emulador mesmo.

Alexandre D'or

Relaxa cara! Não sou fanboy de Linux. Eu sou do tipo que respeito as pessoas! Se pra você o Windows funciona melhor, então use-o! Não sou de ficar forçando Linux nos outros como alguns manés. Sei que Linux não é perfeito, e existe sistema perfeito? Não... Eu mesmo já tive problemas tanto com Windows, como com Linux, mas acabei preferindo o Linux pelo alto poder de customização, porque eu posso mandar no computador, sem atualizações forçadas, demoradas e que me forcem a reiniciar, sem telemetria, sem problemas de 100% de uso de disco ou bloatwares/serviços em segundo plano atrapalhando o desempenho em jogos e programas. Esse foram alguns dos motivos que me fizeram optar pelo Linux ao Windows.
Emulador de Android eu conheço o Genymotion. Há também o Anbox, mas tá com desenvolvimento meio parado. Agora se você quiser instalar o Android num desktop, eu recomendaria o Phoenix OS ou Bliss OS, já que o Remix OS morreu.

Keaton

Não sou hater de Linux, antes que afirmem isso. Eu gostava do Linux, porém o Linux me odiava com todas as forças. Hora e meia alguma coisa parava de funcionar sem que eu fizesse absolutamente além de atualizar um pack ou outro... Depois de uns anos, eu meio que me cansei de perder horas e horas reconfigurando tudo. (Windows eu reinstalo uma vez a cada cinco, seis anos.... Linux agora só em maquina virtual... )

btw... tem algum emulador funcional de Android no Linux?

Alexandre D'or

Sempre vai ter algum que vai fazer, mas o bom é que existe essa opção para nós, que gostamos verdadeiramente de Linux.

Keaton

Sim, mas isso não quer dizer que nenhum faça. Principalmente a turma do Windows pirata.

Alexandre D'or

Mas nem todos fazem isso, muitos comprarão justamente por esse fator.

Alexandre D'or

Sem contar que o desktop tem se tornado cada vez mais nichado, as pessoas hoje usam na maior parte do tempo os smartphones para tarefas básicas e até complexas, coisas que antes necessitavam exclusivamente de um computador. O mercado de desktop está morrendo para os USUÁRIOS COMUNS, tirando entusiastas, gamers e profissionais, a cada dia tá mais restrito. De certa forma já o ano do Linux, ao menos ao nível mobile, com Android.

Em relação ao Deepin eu discordo que está parado no tempo. Muito pelo contrário, o Deepin é uma das interfaces que mais tem evoluído num período de tempo curto. Sempre lançando novidades que o Gnome e KDE muitas vezes demoram muito pra colocar. Há funções no Deepin que não existem em outros desktops. O fato de ter base Qt facilita e muito a maleabilidade do sistema.

Keaton

Não que você não possa instalar o Windows depois... mas, né.

VaGNaroK Alkimist

Os Windows user devem olhar para o termo KWIN e se perguntando:
Essa porra é de comer?
KKKKKKKKKKKKKK!!!!

Buldego

Apesar dessa função ainda estar restrita a China.
Na atualização do mês que vem já liberam pra todos.

Emerson Alecrim

Realmente, já modifiquei o texto. Valeu o toque!

Marcos Vinicius Fraga
Core i5 num notebook SEM COOLER OU DISSIPADOR DE CALOR? Desempenho de Atom no preço de i7, vergonha isso daí
Trovalds

A MS não tem culpa nenhuma. Quem tem culpa é a própria comunidade Linux. A começar pelo "pai" que falou que o GNOME é lixo. Daí a Red Hat enfia goela abaixo de todo mundo o systemd em desfavor do openRC, quando o GNOME teve a mudança radical do 2 pro 3 fizeram um fork do 2 e ele ainda existe, o KDE Plasma evolui pouco, Mate, Cinnamon, Deepin Desktop Enviroment. Daí também criaram o pulseaudio em desfavor do ALSA (apesar desse último ter parado no tempo), o X também parou no tempo, o Wayland, que é substituto do X, ainda tem que rodar com camada de compatibilidade com o X porque senão os programas não funcionam, vários componentes e periféricos tem drivers fechados (como as placas de vídeo) e o suporte por parte dos fabricantes no Linux é no mínimo devagar... e por aí afora.

Em resumo: o Linux no desktop não decola porque é cada um querendo que ele tenha a cara de um pai diferente. Só que o principal que todo mundo esquece: o Linux tem a cara de quem ele quiser.

P. Herrera

Como se não fossem formatar. Hahaha
Era para as empresas trazerem os notebooks pra cá com Linux, isso diminuiria o preço das máquinas.
Mas a maioria só vem com o lixo do Windows 10 Home(pior versão).

zephyr1an

acho que isso aí poderia acontecer se a Microsoft embarcasse o Linux no Windows, mas isso obviamente nunca vai acontecer né, afinal de contas o Linux é coisa de comunista

edit: /s

Exibir mais comentários