Início » Celular » Huawei P40 Pro chega em março com substituto para Google Play

Huawei P40 Pro chega em março com substituto para Google Play

Huawei não pode usar apps do Google devido à disputa com governo dos EUA; celular P40 Pro virá com Huawei Mobile Services

Felipe Ventura Por

A Huawei está impedida de usar os apps e serviços do Google em seus novos celulares devido a uma disputa com o governo dos EUA: é por isso que o Mate 30 Pro vem sem a Play Store. O próximo smartphone high-end da empresa, o Huawei P40 Pro, será um pouco diferente: ele virá com um substituto do Google Play Services chamado Huawei Mobile Services.

Huawei Mate 30

Huawei Mate 30

Richard Yu, CEO da Huawei, confirmou alguns detalhes do P40 em uma entrevista com a imprensa francesa em Shenzhen, China. Ele diz que o novo celular será lançado no final de março de 2020 em um evento em Paris, um mês após a feira Mobile World Congress.

O executivo promete um design “nunca antes visto” para o P40, além de maior autonomia da bateria, desempenho mais rápido e câmeras com melhor qualidade. São avanços que normalmente esperaríamos de uma nova geração de smartphone.

O detalhe mais importante talvez esteja no software: o P40 rodará Android 10 personalizado com a interface de usuário EMUI. No entanto, ele não terá os apps e serviços do Google: isso exige fazer um licenciamento que não é possível devido às sanções comerciais dos EUA contra a Huawei. Por isso, o aparelho virá com uma solução própria chamada Huawei Mobile Services.

Huawei Mobile Services substitui serviços do Google

Huawei Mobile Services

Quase todo smartphone Android conta com um pacote chamado Google Mobile Services (GMS): trata-se de aplicativos como a Play Store, Chrome, Maps, YouTube, Gmail e outros, além de serviços em segundo plano como o Google Play Services (também conhecido como GMS Core).

O Huawei Mobile Services (HMS) é um substituto para o GMS: ele traz a loja AppGallery e aplicativos feitos pela fabricante para navegação web, mapas, e-mail e outras atividades. Ele também inclui o HMS Core, um conjunto de serviços que prometem ser equivalentes aos do Google. Entre eles, temos:

  • Account Kit, para que o desenvolvedor tenha a opção de oferecer login no aplicativo através de uma conta Huawei;
  • Push Kit, para envio e recebimento de notificações;
  • Location Kit, para acessar dados precisos de localização dentro de apps;
  • Map Kit, uma alternativa ao SDK do Google Maps;
  • Drive Kit, para ler, gravar e sincronizar arquivos na Huawei Cloud;
  • In-App Purchases Kit, para compras dentro do aplicativo;
  • Ads Kit, para anúncios dentro do app;
  • Game Service, para acompanhar conquistas e rankings assim como no Google Play Games.

O HMS ainda não foi lançado em nenhum dispositivo da Huawei, e deve fazer sua estreia na linha P40. Esse substituto do GMS provavelmente não será adotado em celulares de outras marcas, mas só a Huawei já vendeu mais de 200 milhões de smartphones em 2019 — esse volume deve ajudar a convencer os desenvolvedores.

Na China, onde a Huawei realiza a maior parte de suas vendas, os serviços do Google já são dispensáveis porque são proibidos no país. A empresa também prepara um sistema operacional próprio chamado HarmonyOS, que não será usado em celulares por enquanto.

Com informações: Frandroid, XDA Developers.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fabio Santos

Ambas pregam uma guerra fria e a Rússia acompanha, não devemos confiar em nenhuma, porém na atual situação confiar em algo que não barra o direito de expressão das pessoas vou de Eua, acho estranho apoiadores de chineses não entender isto.

raphael_silva

Aqui no Tecnoblog em alguma matéria sobre a proibição ;)

Leonardo de Pádua

Sim, na China a Huawei impera e lógico que sem as restrições do gov. Americano ela teria maior êxito nos outros mercados.

José Vieira

Gostaria de descobrir onde leu essa proibição... rs... #cadaumviu

rmcrys

Esses mil milhões de pessoas (bilhão? = bilião americano?) que a Huawei tem são quase todos... chineses. Ora, no mercado interno tem força, no mercado externo muito pouco. Na Europa por exemplo, a Huawei quase só vende celular de menos de 200€, é raro você ver algo melhor. Até a Xiaomi vende celular mais caro.

Ora o mercado externo depende quase só de aplicações dos eua/ Canadá/Europa/Israel. Se eu compro um Huawei e só tem quase aplicações chinesas, numa semana vendo o aparelho por muito bom que seja. E as pessoas menos jovens muito menos paciência têm para instalar apk

rmcrys

Se a questão é norte americanos (México e Canadá também são norte americanos) dos EUA vs. China/Rússia, nem tenha a menor dúvida que confio nos EUA! Os EUA com a sua monitorização, já avisaram várias vezes países como Canadá, Austrália, países da Europa de atentados terroristas (pena que muitos, como no caso dos atentados em Espanha, a polícia desse país não quis ouvir e não reagiu, logo houve muitos feridos e mortes). A China/Rússia não ajudam ninguém que não eles mesmos! É só interesse próprio a todo o custo e o resto do mundo "que se lixe". No caso dos EUA, eles usam para manter o equilíbrio mundial (com algum benefício para eles) e paz para eles e países associados (common wealth, comunidade europeia, Japão, Coreia do Sul, etc).

Se você comparar, a maior parte dos países estáveis social e economicamente, são países que estão trabalhando em conjunto. Outros países com grandes discrepâncias ou autoritarismo (ou que pouco trabalham em conjunto) como muitos países da América Central/Sul/Ásia/África trabalham sós ou pouco em conjunto. A união faz a força. No caso da China/Rússia, eles são tão grandes que são egoístas e querem tudo para eles, controlar e mandar no mundo. Os EUA são uma "chefe" num mundo mas que dialoga e se dá bem com os companheiros. A Rússia/China querem ser chefes para serem ditadores do mundo

Genumano

Eu não confio nos estadunidenses também, mas confio menos ainda numa república socialista onde o governo controla tudo da vida de sua população, mesmo sendo aberta ao capital.

Genumano

O detalhe mais importante do lançamento do P40 não terá nada a ver com software, nem com câmeras. Se confirmados os boatos, será o fato de ser o primeiro gadget do mundo com bateria de grafeno.

JOSÉ AUGUSTO

só sei que a Huawei não está nenhum pouco intimidada com o embargo e está decidida a bater de frente com o governo americano, ainda mais com a China dando respaldo pela retaguarda.
E de pensar que toda essa briga seja por causa da implementação do 5G...

johndoe1981

Vem esquerdar ao defender a China aqui no Tecnoblog não, Foice de SP é o lugar mais adequado pra fazer militância política com esses clichês de esquerda caviar.

Renan Barbosa

Então você confia nos norte-americanos...

Jonathan Braga

Pq?

Jonathan Braga

É a mesma coisa aqui no Brasil com a Xiaomi e agora no caso do 5G com a própria Huawei

raphael_silva

José, infelizmente eles não podem fazer isso, por sinal não podem nem ensinar como baixar. =/

rmcrys

+1

Exibir mais comentários