Início » Brasil » In Loco divulga mapa com índice de isolamento social no Brasil

In Loco divulga mapa com índice de isolamento social no Brasil

In Loco auxilia prefeitura do Recife; empresa divulga dados de isolamento baseado na movimentação de celulares

Lucas Braga Por

A In Loco publicou em seu site um mapa do Brasil com índices de isolamento social baseados na localização de celulares. Além de dados nacionais, a plataforma mostra os números de cada estado. Dados de 1º de abril de 2020 mostram que 51,8% do país se encontra em quarentena; o Distrito Federal concentra a menor movimentação, enquanto Tocantins foi o estado com a maior mobilidade registrada.

Índice de isolamento social da In Loco

O mapa — que pode ser acessado neste link — é atualizado diariamente com os dados do dia anterior. Quanto maior o número, maior o isolamento social. A In Loco faz o rastreamento ao integrar uma API em aplicativos de parceiros como Santander, Magazine Luiza, Hering, Banco Original e TIM; ela tem uma base de 60 milhões de dispositivos cadastrados.

Vale notar que a In Loco firmou uma parceria com a cidade de Recife para mostrar um mapa de calor com a movimentação de pessoas na capital pernambucana. Segundo a prefeitura, não haverá invasão de privacidade porque os dados coletados não expõem a identidade dos cidadãos.

In Loco usa sinais de telefonia, GPS e Wi-Fi

A In Loco é capaz de obter a localização com precisão indoor por meio de GPS, triangulação de redes Wi-Fi, sinal de Bluetooth e de telefonia. Ela também identifica idade, gênero, quanto tempo determinados apps ficam abertos, operadora do usuário e modelo do celular.

O rastreamento da In Loco não é opt-in, ou seja, se você usa um aplicativo com essa API integrada, já está enviando dados para a empresa. É possível interromper essa coleta de informações ao preencher um formulário com o ID de publicidade do seu smartphone.

Índice de isolamento social por unidade federativa

Comentários da Comunidade

7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Italo F

Quando descobri essa empresa logo tratei de ir na página deles e retirar meu aparelho da lista. Eles dizem que não divulgam dados privados, mas e se ocorre um vazamento? Bizarro uma empresa com tantos usuários assim ser tão oculta

ochateador

Empresas adoram encher a boca para falar que protegem a privacidade, aí descobrimos que usam um SDK que rastreia as pessoas…

João M.

Tarde demais, agora as próprias operadoras oferecem os dados ao governo.

Italo F

Mas o Google, as operadoras… Pelo menos estamos conscientemente usando os serviços deles. Essa empresa brotou do nada pra usar dados dos usuários sem ser notada. É diferente, pelo menos pra mim.

@Banana_Phone

Eu fiz estágio em uma das 4 principais operadoras do Brasil em 2016, na época dava pra saber em qual das antenas de todo o brasil um número estava conectado, com isso dava pra saber a localização do dono da linha. Não é uma localização exata como de um GPS, mas você consegue saber em qual parte de um bairro o usuário da linha está.
Porém, isso só funcionava no 2G e 3G, o 4G não tinha essa possibilidade. Mas para o aparelho sair do 4G e ir pro 3G/2G era só ligar pro número, pois o VOLTE ainda não estava habilitado na época.
E não dava pra saber exatamente onde um aparelho esteve nos dias anteriores, a menos que tivesse recebido/feito ligações ou SMS, aí ficava registrado em qual antena o usuário estava conectado.
Mas não sei se é assim até hoje e também não sei se isso era pra todos os casos, pois o que eu usei para isso era em uma rede com equipamentos Ericsson, se fosse Nokia ou Huawei talvez fosse diferente.

Bopez

Do site da In Loco: “Com consentimento dos usuários, captamos dados…”

Consentimento (s.m): decisão favorável quanto a solicitação ou pedido; aprovação, anuência, aquiescência.

Seja qual for a definição de consentimento que a In Loco quis usar, certamente não é essa. Duvido muito que um alerta claro foi enviado para 60 milhões de aparelhos informando a presença do SDK da In Loco, os dados coletados e a opção de aceitar ou não o envio dessas informações. Se enviaram, esqueceram do meu celular.

Não, o usuário não consentiu ao instalar um app bancário, de operadora ou de loja. O consentimento existiu entre as duas empresas, para o usuário restou a coerção. Ele é obrigado a dar poderes dignos de investigação policial para empresas desconhecidas, só para poder fazer uma transferência sem ir à agência como um Neandertal.

Participe da discussão