Início » Celular » Moto G8 Power Lite com bateria de 5.000 mAh chega ao Brasil

Moto G8 Power Lite com bateria de 5.000 mAh chega ao Brasil

Motorola inicia vendas de Moto G8 Power Lite no Brasil por R$ 1.399. Bateria de 5.000 mAh promete até dois dias de uso

Bruno Gall De Blasi Por

O Moto G8 Power Lite é o mais novo celular da Motorola à venda no Brasil. O smartphone, que promete bateria para passar até dois dias longe das tomadas e possui ficha técnica intermediária com câmera tripla, chegou ao mercado brasileiro nesta quarta-feira (29), por R$ 1.399.

Motorola Moto G8 Power Lite

O Moto G8 Power Lite é uma variante mais simples do Moto G8 Power que mantém a mesma capacidade de bateria: 5.000 mAh. Segundo a Motorola, o componente garante até dois dias de uso.

O conjunto fotográfico é triplo. São três câmeras na porção traseira, sendo a principal de 16 megapixels (f/2) e a secundária de 2 MP (macro, f/2.4), capaz de aproximar objetos em até quatro vezes. Há ainda um sensor de 2 MP responsável por capturar a profundidade de campo para fotos com o popular Modo Retrato (efeito bokeh).

O visual do lançamento se aproxima da parte frontal do Moto G7, graças ao notch em forma de gota para abrigar a câmera de selfies de 8 MP. Já a tela mede 6,5 polegadas e possui resolução HD+. O painel é LCD.

As especificações do Moto G8 Power Lite são intermediárias. Entre elas estão o processador MediaTek Helio P35, chip octa-core de até 2,3 GHz. O celular ainda possui 4 GB de memória RAM e armazenamento interno de 64 GB, com suporte a cartões microSD.

O Moto G8 Power Lite chega aos usuários com Android 9 Pie, assim como o Moto E6S.

As vendas do Moto G8 Power Lite começam nesta quarta-feira (29). O preço sugerido é de R$ 1.399.

Motorola Moto G8 Power Lite – ficha técnica:

  • Tela: LCD IPS TFT de 6,5 polegadas, resolução HD+ (1600 x 720), 269 ppi, proporção 20:9, aproveitamento frontal de 87%
  • Processador: MediaTek Helio P35 (MT6765) octa-core de 2,3 GHz (ARM Cortex-A53) e chip gráfico PowerVR GE8320 de 680 MHz
  • RAM: 4 GB
  • Armazenamento: 64 GB, expansível por cartão microSD de até 256 GB
  • Câmera traseira tripla:
    • principal: 16 megapixels, f/2,0, 1,0 µm
    • macro: 2 megapixels, f/2,4, 1,75 µm, foco a até 2,5 cm de distância
    • profundidade: 2 megapixels, f/2,4, 1,75 µm
  • Câmera frontal: 8 megapixels, f/2,0, 1,12 µm
  • Bateria: 5.000 mAh, carregador de 10 W
  • Sistema operacional: Android 9 Pie
  • Conectividade: microUSB, entrada 3,5 mm para fone de ouvido, Bluetooth 4.2, Wi-Fi 802.11 b/g/n 2,4 GHz, sem NFC
  • Mais: leitor de digitais na traseira
  • Dimensões e peso: 164,9 x 75,8 x 9,2 mm, 200 g

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Victor Serrão (@Victorgpserrao)

Aguardando o Moto G8 Power S Plus.

@Banana_Phone

Aquele celular com 3 câmeras, mas nenhuma presta.

undefined (@el_dust)

E o suporte a wi-fi de 5 GHz passou bem, bem longe…

Júlio Cézar Matos (@jcmatos)

Tô mais ansioso pelo Moto G8 Power Lite S Pro.

@ksio89

Me deu vergonha alheia ler a ficha técnica, pois é indistinguível de um aparelho de entrada, mas com preço de intermediário de verdade. Só desavisado que realmente precisa de muita bateria pra comprar uma tranqueira dessas.

John Smith (@john)

Tela IPS HD, Processador Mediatek, microUSB, Android 9, sem suporte a redes ac 5Ghz, sem NFC.
Tá ruim demais até pra ser um aparelho de entrada em 2020.

Jonathas Sales (@Jonathas_Sales)

Parei de ler quando vi o nome “Mediatek”. Dispenso!

Alair Ribeiro (@Alair_Ribeiro)

Chega a ser ridículo esse lançamento, fazendo um comparativo ele está até mais caro que o próprio G8 Power, isso me lembra muito a pilantragem na época do G7 Power, onde a primeira versão chegou com 32GB e meses depois. lançaram a de 64GB

@ksio89

Aí complica, o aparelho já é superlimitado em recursos e não tem nem uma bateria decente pra salvar? Pelo visto é um lixo completo.

² (@centauro)

A Motorola (fabricante) diz que a bateria pode durar até 2 dias, o Tecnoblog (que só testou uma única unidade) faz um review em que diz que pode ser possível, você compra um (unidade do mesmo modelo mas, óbviamente, distinta do utilizado no review) que demonstrou não ser possível e a culpa é do Tecnoblog?
Qual a lógica?