Início » Celular » Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra têm nova S Pen, 5G e telas maiores

Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra têm nova S Pen, 5G e telas maiores

Samsung Galaxy Note 20 Ultra possui tela de 120 Hz, câmera de 108 megapixels e melhorias em gravação de vídeo

Paulo Higa Por

A Samsung revelou nesta quarta-feira (5) o Galaxy Note 20 e o Galaxy Note 20 Ultra, os celulares supercaros com hardware poderoso e novos recursos para a caneta S Pen, que possui latência menor e mais gestos para controle à distância. Os smartphones têm suporte ao 5G brasileiro, gravam em 8K e trazem algumas das funcionalidades que a empresa já havia apresentado na linha S20.

Samsung Galaxy Note 20 Ultra tem câmera de 108 MP

O Galaxy Note 20 Ultra é o modelo para quem já estava acostumado com os últimos celulares da linha Note: ele possui uma tela de 6,9 polegadas com laterais curvadas e os melhores recursos da nova geração, como a câmera principal de 108 megapixels, a tecnologia ultra-wideband (UWB) e um modo de gravação de vídeo profissional, com diferentes modos de captura de áudio.

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

A S Pen está com um formato semelhante ao das gerações anteriores, mas a Samsung reduziu a latência da caneta para tornar a escrita mais natural: segundo a empresa, o atraso caiu para apenas 9 milissegundos. Além disso, por ter Bluetooth integrado, o acessório funciona como um controle remoto: você pode fazer gestos no ar para voltar, avançar, abrir a tela de aplicativos recentes e, agora, fazer uma captura de tela.

No aplicativo Samsung Notes, a principal novidade é a sincronização de áudio: é possível gravar uma reunião e fazer anotações à mão ao mesmo tempo; a ferramenta indicará em qual ponto do áudio você escreveu uma determinada observação. Também houve melhorias na organização de pastas, um recurso para anotar em PDFs e um botão para ajustar automaticamente o ângulo da sua escrita.

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

Exynos 990 e tela de “até” 120 Hz no Galaxy Note 20 Ultra

O próximo topo de linha da Samsung chega com melhorias no hardware em relação ao Galaxy Note 10, mas boa parte das novidades já foi apresentada na linha S20, revelada em março deste ano. Outras são apenas refinamentos de funções que já existiam nos aparelhos da marca.

O processador do modelo que será vendido no Brasil é o Samsung Exynos 990 octa-core, o mesmo que equipa o S20, S20+ e S20 Ultra. Alguns países, como os Estados Unidos e a Coreia do Sul, receberão uma variante com o Snapdragon 865 Plus, da Qualcomm. Questionada, a Samsung explica ao Tecnoblog que esses mercados receberão outra versão devido à existência de redes antigas com tecnologia CDMA.

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

A tela Dynamic AMOLED de 6,9 polegadas possui taxa de atualização de 120 Hz, mas a Samsung implantou o recurso de forma mais “inteligente” que no S20 Ultra: o novo celular poderá optar por um intervalo entre 60 Hz e 120 Hz dependendo do conteúdo que estiver sendo apresentado, o que deverá resultar em maior fluidez em jogos, mas economia da bateria de 4.500 mAh enquanto você estiver fazendo tarefas mais simples. Os gamers de plantão poderão ser beneficiados com a resposta ao toque de 240 Hz.

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

A câmera frontal é de 10 megapixels, enquanto as traseiras são de 108 megapixels (principal), 12 megapixels (ultrawide) e 12 megapixels (telefoto, com zoom óptico de 5x). Um novo laser se encarregará de melhorar a velocidade do foco automático, especialmente na gravação de vídeo, que é um dos destaques do novo produto.

O modo de gravação de vídeo profissional permite ajustar a velocidade do zoom, criando um efeito cinematográfico e aproximando o sujeito de forma mais suave. Também será possível selecionar a fonte de áudio: padrão (usando os três microfones integrados), frontal ou traseira, além de microfones externos conectados por USB ou Bluetooth. A filmagem continua sendo de até 8K a 24 fps, com direito a uma nova proporção de 21:9.

5G DSS, chip ultra-wideband e DeX Wireless

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

Em termos de conectividade, o Galaxy Note 20 Ultra possui um chip ultra-wideband (UWB), semelhante ao Apple U1 do iPhone 11, que pode ser utilizado para compartilhar dados de forma mais rápida e direcional com aparelhos compatíveis ou usar o celular como uma chave digital do carro, da casa ou da catraca do prédio do escritório.

A Samsung confirma ao Tecnoblog que o Galaxy Note 20 Ultra tem suporte ao 5G, apenas nas frequências sub-6, sem suporte às ondas milimétricas (mmWave) no modelo brasileiro. Ele será compatível com a tecnologia de compartilhamento dinâmico de espectro (5G DSS), nas frequências de 700 MHz, 1.800 MHz e 2.600 MHz, o que garante a compatibilidade com a rede lançada pela Claro.

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

O modo DeX, que transforma o celular em um desktop, poderá ser utilizado completamente sem fios: ele exibirá a interface com janelas flutuantes em qualquer TV compatível com o padrão Miracast ou com o recurso Samsung Smart View. Você poderá controlar o Galaxy Note 20 Ultra no modo DeX por meio de um teclado, mouse ou a própria S Pen.

Outros detalhes do Galaxy Note 20 Ultra são a bateria de 4.500 mAh com carregamento rápido de 25 watts, modo de latência reduzida para fones de ouvido Bluetooth em jogos, 8 GB ou 12 GB de RAM e 128 GB, 256 GB ou 512 GB de armazenamento interno.

O modelo será vendido globalmente a partir de 21 de agosto, nas cores bronze, preto e branco. A Samsung não revelou os preços ou a data de lançamento para o mercado brasileiro.

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

Galaxy Note 20: tela plana e hardware mais modesto

Assim como fez na linha Galaxy Note 10, quando lançou um modelo menor para atrair novos consumidores, a Samsung também está trazendo uma variante mais simples (o que é diferente de “acessível”). O Galaxy Note 20 tem o mesmo processador e a maioria dos recursos do modelo Ultra, mas chega com baixas nas câmeras, hardware e bateria.

Nas câmeras, a principal diferença é que o sensor de maior resolução tem 64 megapixels, não 108 megapixels. A lente com zoom também foi rebaixada: a Samsung fala em zoom híbrido de 3x, não mais em zoom óptico de 5x. Em relação ao Galaxy Note 20 Ultra, o zoom digital máximo cai de 50x para 30x (mas é claro que você não deveria chegar nem perto desses números caso queira ter alguma qualidade).

Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Ultra

Pela primeira vez em muito tempo na linha Note, desconsiderando as variantes Lite, a Samsung optou por trazer uma tela plana no Galaxy Note 20, sem curvaturas nas laterais, com 6,7 polegadas. Não há mais um modelo “compacto”, como o Galaxy Note 10, que tinha um painel de 6,3 polegadas.

Completam as especificações uma bateria de 4.300 mAh, 8 GB de RAM e opções de 128 GB ou 256 GB de armazenamento interno. As cores disponíveis serão bronze, verde e cinza. Os detalhes do lançamento para o mercado brasileiro ainda não foram revelados.

Samsung Galaxy Note 20 Ultra – ficha técnica:

  • Tela: Dynamic AMOLED 2X de 6,9 polegadas (3088×1440 pixels) com laterais curvadas e taxa de atualização de até 120 Hz;
  • Processador: Samsung Exynos 990 octa-core de 2,7 GHz (Brasil e resto do mundo) ou Qualcomm Snapdragon 865 Plus octa-core de 3,0 GHz (Estados Unidos, Canadá e Coreia do Sul)
  • Conectividade: 5G sub-6, 5G DSS, Wi-Fi 6, UWB, NFC, MST;
  • RAM: 8 GB ou 12 GB;
  • Armazenamento interno: 128 GB, 256 GB ou 512 GB;
  • Câmera frontal: 10 megapixels (f/2,2);
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 108 megapixels (f/1,8);
    • Telefoto: 12 megapixels (f/3,0) com zoom óptico de 5x;
    • Ultrawide: 12 megapixels (f/2,2);
    • Sensor de profundidade;
    • Foco automático a laser;
  • Sistema operacional: Android 10;
  • Bateria: 4.500 mAh com carregamento rápido de 25 watts;
  • Cores: Mystic Bronze (bronze), Mystic Black (preto) e Mystic White (branco);
  • Dimensões e peso: 164,8 x 77,2 x 8,1mm, 208 gramas.

Samsung Galaxy Note 20 – ficha técnica:

  • Tela: Super AMOLED Plus de 6,7 polegadas (2400×1080 pixels) plana;
  • Processador: Samsung Exynos 990 octa-core de 2,7 GHz (Brasil e resto do mundo) ou Qualcomm Snapdragon 865 Plus octa-core de 3,0 GHz (Estados Unidos, Canadá e Coreia do Sul)
  • Conectividade: 5G sub-6, 5G DSS, Wi-Fi 6, NFC, MST;
  • RAM: 8 GB;
  • Armazenamento interno: 128 GB ou 256 GB;
  • Câmera frontal: 10 megapixels (f/2,2);
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 12 megapixels (f/1,8);
    • Telefoto: 64 megapixels (f/2,0) com zoom híbrido de 3x;
    • Ultrawide: 12 megapixels (f/2,2);
  • Sistema operacional: Android 10;
  • Bateria: 4.300 mAh com carregamento rápido de 25 watts;
  • Cores: Mystic Bronze (bronze), Mystic Green (verde) e Mystic Gray (cinza);
  • Dimensões e peso: 161,6 x 75,2 x 8,3mm, 192 gramas.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
19 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leonardo Paulo de Macedo (@leonardopmacedo)

Eu não consigo entender o fato de um M31 recém lançado tem fucking 6000 mah de bateria e o note 20/20 ultra tem 4500 .-.

Diego Nascimento (@Dieg0)

Nada do que a gente já não esperava. E assim como vários lançamentos, meu interesse em comprar é quase zero.

² (@centauro)

Bateria maior ocupa mais espaço e é mais pesado.
Considerando um tamanho fixo pro aparelho, quanto mais componente ele tiver, menos espaço pra bateria vai ter.
Claro que é difícil fazer a comparação dos dois modelos aqui sem abrir os dois e ver como é a parte interna de cada um, mas podemos supor que eles não quiseram colocar uma bateria de 6kmAh pra não aumentar muito mais o tamanho e o peso do aparelho.

Gurga Zayed (@Speedusta)

A Samsung ainda não se tocou e insiste em enganar desavisado vendendo o Exynos 990 como se fosse a mesma coisa do SD865.

Engraçado que lançar o SD865 na Coreia do Sul virou padrão agora. Esse papo de CDMA não cola, lançam com Snapdragon onde o mercado serve de vitrine, onde a Samsung não quer fazer feio.

Daniel R. Pinheiro (@DiFF7Skyns)

Só espero que essas novidades da câmera e do app Samsung Notes venham pro Galaxy Note 10 por atualização…

Felipe Insfran (@felipous)

Sempre tem aqueles comentários criticando a Samsung por conta do Exynos

² (@centauro)

Quando o Exynos for tão bom quanto o SD equivalente, as críticas diminuem (pra parar, só se for melhor ou se abandonarem de uma vez).

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

O Note 20 Ultra será meu próximo celular, a ser comprado na Black Friday de 2021 após o lançamento do Note 21

Caio Silva (@Caio_R_Silva)

Acho que se existem criticas, é porque existem motivos… vários testes globais já comprovaram entre 10 a 20% de piora tanto em desempenho, quanto em bateria, além de vários jogos não rodarem bem no Exynos por alguma questão de compatibilidade. Até a GCAM também é mais tranquila no Snapdragon. O ponto é que quando se paga o preço de um top de linha, se espera o melhor produto disponível. Diferente de quando a Samsung quer utilizar o Exynos dela nas linhas mais básicas.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

Como já disseram, Exynos é complicado em top de linha. A diferenmnça não é tão pequena quanto a samsung quer fazer a gente acreditar.
E o note 20 de plástico? É isso mesmo? Aqueles eufemismos todos pra dizer que ambos tem a mesma sensação de toque não colou comigo, e pelo que o MKBHD falou no vídeo de hoje, pelo preço não faz muito sentido mesmo.
No mais, esperava um downgrade das câmeras do 20U pro 20, mas a tela ser só 60 hertz achei sacanagem, sem 1080p eu acho ok

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Quero nem ver, se no Galaxy S20 o Exynos 990 já apresentava desempenho inferior ao Snapdragon 865, imagine agora no Note 20 em que o comparativo vai ser com o Snapdragon 865 Plus…

Léo (@leo_oliveira)

Pois é, não deixa de ser um ponto…

Mas o CDMA também é uma questão, pois é tecnologia proprietária da Qualcomm e, como tal, só os modems dela suporta. Eu ainda acho incrível países que continuam no legado do CDMA… Mas de fato não é justificativa para forçar o Exynos no resto do mundo… Se já fez em 2, pq não em todos, né?

Paulo Maciel (@pymaciel)

Só espero que essa novidade do DeX wireless chegue para os aparelhos mais antigos (aka S9 pra cima), mas acho difícil.

Gurga Zayed (@Speedusta)

Exato. Meu ponto é que se quer vender Exynos, venda, mas que seja em modelo/submodelo diferente e por um preço menor.

Enquanto essa prática não cessar as críticas sempre serão válidas. Duvido que um possível consumidor desses produtos, com a grana investida na compra, ficaria contente em saber que tá levando um produto inferior ao vendido nos EUA.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Mas a Samsung não vê seu processador como inferior. Logo, ela não vai fazer distinção em preço. O snapdragon não é só mais performático, tem otimizações em câmera, áudio, em várias áreas. Porém, a Samsung disponibilizar seu flagship com o máximo de componentes próprios, dilui os custos de P&D.

Acredite, não fosse a questão do CDMA, até Estados Unidos receberiam Exynos.

Infelizmente a única forma de melhorar é colocando todo ano uma versão nova no mercado. A Qualcomm levou anos para chegar onde está hoje.

Exibir mais comentários