Review Samsung Galaxy S22 Ultra: um Galaxy Note para os fãs

Samsung Galaxy S22 Ultra é um Galaxy Note de 2022 trazendo ótimas câmeras, processador Snapdragon 8 Gen 1 e bateria para o dia todo

Darlan Helder
Por
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A última vez que vimos a Samsung lançar aparelhos da linha Galaxy Note foi em agosto de 2020 e, desde então, a empresa vem ignorando essa família para concentrar esforços nos smartphones dobráveis. O Galaxy S22 Ultra categoricamente dá valor a algo que já existia ao adotar todas as características do ecossistema Note. Mas não é só isso. Ele representa a maior novidade da linha Galaxy S de 2022, já que é o único a trazer upgrades de verdade. As primeiras impressões foram positivas, mas será que os sul-coreanos tomaram a melhor decisão?  

O S22 tem tudo para agradar o usuário de Galaxy S e os fãs órfãos do Note, entregando uma tela Dynamic AMOLED de 6,8 polegadas, quatro câmeras traseiras com novidades para fotos noturnas, processador Snapdragon 8 Gen 1, acabamento em vidro e slot para guardar a caneta S Pen, que está mais precisa. Nós passamos alguns dias com o novo aparelho da coreana e você confere a nossa análise a partir de agora.  

Análise do Galaxy S22 Ultra em vídeo 

YouTube video

Aviso de ética 

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo. 

O Galaxy S22 Ultra foi fornecido pela Samsung por empréstimo e será devolvido à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica

Design 

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Desde o Galaxy Note 20, é a primeira vez que a Samsung coloca slot num celular para você guardar a caneta S Pen. Analisando alguns modelos mais recentes, o Galaxy Z Fold 3 e o S21 Ultra são aparelhos que suportam a canetinha, mas nenhum deles traz espaço, mesmo, para guardá-la. Você precisa adquirir uma case à parte para anexar o acessório.  

Embora ainda lembre o antecessor, o S22 Ultra está muito diferente no visual. A traseira de vidro com acabamento fosco traz Gorilla Glass Victus+ e o módulo das câmeras, antes envolvente, foi extinto. A decisão dividiu opinião entre os leitores do Tecnoblog, mas eu gostei, sobretudo por combinar com todas as cores disponíveis.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Com relação às dimensões, a fabricante mexeu pouco por aqui e isso significa que o dispositivo continua volumoso. Estamos falando de um produto com tela de quase 7 polegadas e com um peso de 229 gramas. Os fãs de Galaxy Note não devem sentir diferenças, mas você que está no S21 ou no S21+, e pensa em migrar, prepare-se para a fase de adaptação.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Apesar desse possível contra para alguns, o S22 Ultra consegue passar uma sensação de segurança, e a S Pen melhora a usabilidade e o conforto nessa tela tão grande. Outros pontos fortes, além do Gorilla Glass Victus+, são a estrutura de alumínio (nas laterais do aparelho), e a proteção IP68, garantido resistência contra à água e à poeira.  

Tela e S Pen 

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Não foi só no design que a Samsung caprichou. A tela do smartphone chama muito a atenção pela qualidade impecável. Sabemos que a empresa se sobressai nesse quesito, mas eu pude perceber um grande capricho nessa geração. Em detalhes, ele tem um painel Dynamic AMOLED com resolução até WQHD+, de 3088 x 1440 pixels. Outro upgrade muito perceptível é o brilho máximo, que passou de 1.500 para 1.750 nits. 

Somado a isso, a experiência ainda é aprimorada, pois a Samsung oferece taxa de atualização de 120 Hz, para maior fluidez durante a navegação. Seja para jogar ou assistir a conteúdos de streaming, o S22 Ultra é um ótimo aparelho para essas atividades. E como a tela é levemente curvada — o que me fez lembrar do Galaxy S9 — a imersão se torna ainda mais precisa.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A S Pen não é “tudo o que você precisa”, mas é um diferencial importante e se torna útil em situações pontuais. Na apresentação de lançamento, a Samsung havia dito que a latência da caneta caiu de 9 para 2,8 milissegundos. Na prática, o aprimoramento no hardware garantiu uma usabilidade decente, pois eu não notei atraso perceptível e a resposta, durante os meus testes, foi muito satisfatória. 

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Eu tenho muita dificuldade em segurar e usar celulares que chegam perto ou passam de 7 polegadas. Por isso a S Pen foi essencial durante o período usando o S22 Ultra como aparelho principal. O seu formato e o peso promovem a facilidade de utilização, sem gerar cansaço após alguns minutos.  

Para quem gosta de escrever e fazer anotações, a Samsung emite um som que consegue passar a sensação de você estar escrevendo no papel e não numa tela. Alternar entre lápis e borracha é muito simples, já que você só precisa apertar o botão lateral. A S Pen também pode ser usada, através do recurso ações suspensas, para abrir a câmera e tirar uma foto, por exemplo. Entretanto, essa opção foi pouco lembrada por mim devido à complexidade de alguns comandos.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Software 

O S22 Ultra já vem rodando Android 12 acompanhado da One UI 4.1. Como eu disse durante a análise do Galaxy S21 FE, a nova interface da Samsung está muito mais bonita e personalizável, graças aos recursos de customização que o Google oferece na geração atual. Mas não só isso. A One UI se sobressai no mundo Android pelos belos elementos, estabilidade e configurações simplificadas.  

Samsung Galaxy S22 Ultra com Android 12 (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra com Android 12 (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

No mesmo dia da apresentação da nova linha Galaxy S, a Samsung reforçou a sua elogiada política de atualizações oferecendo novas versões de Android por quatro anos. Sendo assim, o S22 Ultra vai receber updates até o Android 16. Eu só espero que essas atualizações não demorem tanto para chegar nos aparelhos, mas é possível confiar neles, pois a coreana vem fazendo a lição de casa com êxito.  

Outros recursos do ecossistema Galaxy seguem disponíveis no S22 Ultra. Há o DeX, para usar o celular numa TV ou monitor; integração com computadores Windows, também há a Bixby, assistente virtual da coreana, mas você a usa no dia a dia? Por fim, tem o painel Edge, que exibe no canto da tela aqueles apps mais acessados por você.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Câmeras 

Na parte das câmeras, este ano a Samsung se dedicou em aprimorar o desempenho de registros em baixa luz. Mas o agrupamento é semelhante ao do ano passado: você tem a principal com 108 megapixels, a ultrawide de 12 MP (a mesma lente do S22 e do S22+), e há duas teleobjetivas, sendo uma com zoom óptico de 3x e outra de 10x.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O Galaxy S20 e o S21 em suas versões Ultra já tiravam boas fotos com todas as câmeras, e o S22 Ultra, felizmente, repete isso. Com pouquíssimas exceções, todas elas me entregam ótimos registros e eu faria modificações simples durante a edição. A principal tem um nível de detalhamento satisfatório, com cores fortes e um alcance dinâmico impecável. Uma foto de comida com ela, por exemplo, está pronta para ser publicada nas redes sociais.  

A ultrawide tem as mesmas características da lente de 108 megapixels. Como diferencial, há o ângulo de visão de 120 graus, capaz de capturar mais informações. É uma ótima câmera, porém a Samsung continua pecando nas aberrações cromáticas, que surgem sempre nos cantos da imagem. 

Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Testando as teleobjetivas, as fotografias com zoom de 3x têm boa nitidez e o nível de detalhamento também se destaca, já que o ruído é bem controlado. Ao pular para o zoom de 10x, você nota a qualidade reduzida, mas não é nada gritante que te faça descartar a imagem, e eu postaria algumas no Instagram, especialmente aquelas de paisagem.  

Já o zoom de 100x eu classifico como “algo divertido”: é mais para você “brincar” de ver detalhes sem precisar clicar no obturador, porque é impossível ter uma foto boa nesse nível. Além disso, muitas pessoas devem ter dificuldade para conseguir estabilizar a câmera, por isso as chances de sair um borrão são grandes.  

Foto tirada com zoom de 3x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 3x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 10x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 100x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 100x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Falando agora de novidades, mesmo, o destaque nesta nova geração vai para uma tecnologia de nome horrível: nightography. Em situações de baixa luminosidade, software e hardware trabalham para entregar imagens mais claras e ricas em detalhe. Assim como fez a Apple com os iPhones, a Samsung aumentou o tamanho do sensor para favorecer os registros nessas condições. 

Eu gostei do que vi. Não é sempre, mas na maioria das vezes as câmeras conseguem lidar bem com neon, farol de carro e iluminação de rua, sem gerar aqueles fantasmas que celulares mais baratos criam. As imagens, de fato, estão mais brilhantes e saturadas. A exceção vai para o zoom de 3x em diante, já que, nessa configuração, ele não consegue manter a qualidade como na principal e na ultrawide.  

Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 3x do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com zoom de 3x (noite) do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O app de câmera do S22 Ultra já veio configurado com o modo suavidade de pele ativado, no nível 2. Mesmo baixo, eu não gostei do resultado por ficar artificial demais, então preferi desativá-lo para ter selfies mais naturais. Eu consegui ter retratos com bom desfoque, brilho, nitidez e as cores são vívidas.  

Foto tirada com a câmera frontal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Em filmagem, o aparelho da Samsung pode gravar em até 8K a 24 frames por segundo. Até aqui, nenhuma novidade, uma vez que o S21 Ultra já gravava nessa configuração. Para este ano, a sul-coreana apresentou o Auto Frame, mais uma novidade focada em registros noturnos, que ajusta o fps de forma automática de acordo com a luz no ambiente, para manter a qualidade mesmo em baixa luz.  

Hardware e bateria 

O Snapdragon 8 Gen 1 é o processador que equipa o Galaxy S22 Ultra. Alguns mercados ficaram com o Exynos 2200, porém o Brasil foi contemplado com o chip da Qualcomm, para a alegria dos fãs. Em testes de benchmark, o iPhone 13 Pro Max com A15 Bionic, rival direto do S22 Ultra, saiu vitorioso no quesito CPU, mas o aparelho da Samsung foi quem levou a melhor na GPU. A Qualcomm deu uma atenção maior para o público gamer com o novo processador, entregando 30% mais desempenho e até 25% mais eficiência energética em relação ao antecessor.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Eu não vou me aprofundar nesses testes de benchmark porque “pessoas normais” não ligam para isso, mas é bom ter essas comparações. A Samsung diz que o desempenho do Exynos 2200 é equivalente ao do 8 Gen 1. Eu não tive a oportunidade de testar o smartphone com o chip próprio da empresa, mas a minha experiência com o Qualcomm foi muito positiva. O S22 Ultra conseguiu rodar Asphalt 9 e Genshin Impact com os gráficos no máximo e sem nenhuma limitação.  

Portanto, a GPU deve lidar muito bem com qualquer jogo que você instalar da Play Store. Como já esperamos de um celular topo de linha, todas as principais tarefas são executadas com desenvoltura e, durante os meus testes, eu não identifiquei problemas graves em termos de performance.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O Tecnoblog testou a versão com 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento interno, que custa R$ 9.499. Ainda existem outras variantes, com 8 GB de RAM, e espaço que começa em 128 GB e vai até 1 TB. No entanto, a fabricante sul-coreana está trazendo unidades para o Brasil com 256/512 GB e 12 GB de RAM, apenas.  

No quesito bateria, o S22 Ultra me surpreendeu positivamente. Mesmo em atividades mais intensas, com alto consumo de vídeo e “forçando” a CPU e a GPU em games, a bateria de 5.000 mAh é drenada com eficiência. Em um dia de teste, com 3 horas de vídeo, 1 hora de redes sociais e 15 minutos de Asphalt 9, sempre com o brilho da tela no máximo e no modo adaptável de 120 Hz, a porcentagem foi de 100% para 59%, um resultado excelente! A Samsung afirma que o modelo suporta carregamento rápido de 45 watts, mas o acessório não é enviado na caixa.  

Samsung Galaxy S22 Ultra: vale a pena? 

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

No início deste review, eu deixei este questionamento no ar: será que a Samsung tomou a melhor decisão ao lançar o S22 Ultra com atributos de Galaxy Note? Sim. Na minha visão, a fabricante conseguiu centralizar melhor a sua linha premium, sem deixar margem para confundir aquele consumidor que nunca teve e agora deseja apostar num smartphone topo de linha da coreana. Sendo assim, eles fizeram a coisa certa em 2022.  

Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy S22 Ultra (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O Galaxy S22 Ultra é um ótimo Android high-end para você que busca tela grande sem interferências, velocidade e câmeras consistentes. Eu o vejo atendendo bem você que sente falta de um Galaxy Note atualizado e também outras pessoas que já estavam na linha S. A caneta S Pen não é tudo; você vai mexer no celular normalmente sem ela, mas o acessório é um diferencial importante e garante uma experiência de uso personalizável e completa.  

Trazer o Snapdragon 8 Gen 1 para o Brasil foi um dos maiores acertos, assim eles conseguem cativar e até fidelizar o cliente/fã que sempre criticou a linha Exynos. A marca também se destaca pela excelente política de atualizações. E por falar nisso, eu acredito que apenas o software deva deixar você, consumidor, dividido entre Galaxy S22 Ultra e iPhone 13 Pro Max. Esses são os melhores celulares topos de linha que você pode ter em 2022. 

Samsung Galaxy S22 Ultra (Brasil)- ficha técnica

Tela6,8” Dynamic AMOLED 2X, Full HD, Infinity-O Edge-Display, 1-120 Hz, Gorilla Glass Victus+
ProcessadorQualcomm Snapdragon 8 Gen 1
RAM12 GB
Armazenamento256 e 512 GB
Câmera frontal40 MP f/2,2
Câmera traseira principal108 MP, f/1,8
Câmera traseira ultrawide12 MP, 120°, f/2,2 
Câmera traseira teleobjetiva10 MP, f/2,4 (zoom óptico de 3x)
Câmera traseira teleobjetiva (2)10 MP, f/4,9 (zoom óptico de 10x)
Bateria5.000 mAh
Conectividade5G, Wi-Fi 6E, Bluetooth 5.2 e S Pen
Sistema operacionalAndroid 12 com One UI 4.1
Dimensões77,9 x 163,3 x 8,9 mm
Peso229 gramas
CoresBranco, preto, verde e vinho

Review Samsung Galaxy S22 Ultra

Prós

  • Um Ultra que faz jus ao nome e ainda atende o fã de Galaxy Note
  • Tela AMOLED de 120 Hz impecável
  • Conjunto fotográfico tem tudo para agradar qualquer pessoa
  • S Pen agora está mais rápida
  • Tem Snapdragon 8 Gen 1 no Brasil e ele manda bem

Contras

  • Sei lá! Apenas o preço?
Nota Final 10
Bateria
10
Câmera
10
Conectividade
10
Desempenho
10
Design
10
Software
10
Tela
10
Darlan Helder

Ex-autor

Darlan Helder é jornalista e escreve sobre tecnologia desde 2019. Já analisou mais de 200 produtos, de smartphones e TVs a fones de ouvido e lâmpadas inteligentes. Também cobriu eventos de gigantes do setor, como Apple, Samsung, Motorola, LG, Xiaomi, Google, MediaTek, dentre outras. Ganhou menção honrosa no 15º Prêmio SAE de Jornalismo 2021 com a reportagem "Onde estão os carros autônomos que nos prometeram?", publicada no Tecnoblog. 

Relacionados

Relacionados