Início » Negócios » Tim Cook atinge US$ 1 bilhão em patrimônio com valorização da Apple

Tim Cook atinge US$ 1 bilhão em patrimônio com valorização da Apple

CEO da Apple enfim se torna bilionário, feito raro para quem não é fundador de uma empresa; ele detém 0,02% das ações

Paulo Higa Por

O mundo tem um bilionário novo. Tim Cook, CEO da Apple, acaba de ultrapassar a marca de US$ 1.000.000.000 em patrimônio após a forte valorização nas ações da Apple nas últimas semanas. Embora esteja longe da fortuna de empresários como Jeff Bezos e Bill Gates, o feito é raro para uma pessoa que não fundou uma gigante.

Tim Cook

O patrimônio de Tim Cook é estimado pela Bloomberg com base em documentos regulatórios e no desempenho típico de um investidor rico com venda de ações. Não é possível calcular a fortuna de Cook com precisão, já que, além de ser bem discreto sobre sua vida particular, ele costuma doar ações da Apple e pode ter feito outras caridades que não se tornaram públicas.

Tim Cook não tem um patrimônio tão grande quanto os mais ricos da lista de bilionários: Jeff Bezos (US$ 186 bilhões), Bill Gates (US$ 121 bilhões) e Mark Zuckerberg (US$ 99,7 bilhões). Esses três, no entanto, possuem em comum o fato de terem fundado suas empresas. Cook se tornou funcionário da Apple em 1998, como vice-presidente sênior de operações globais.

O atual CEO da Apple ocupa o cargo desde agosto de 2011, a convite de Steve Jobs, que faleceu naquele ano, vítima de um câncer no pâncreas. Em nove anos sob o comando de Tim Cook, a Apple passou de uma empresa de US$ 350 bilhões em valor de mercado para US$ 1,9 trilhão, bateu sucessivos recordes de faturamento com iPhones e lançou novos serviços para depender menos de vendas de hardware.

De acordo com a Bloomberg, Cook recebeu um bônus significativo em ações restritas no seu primeiro dia como CEO. Os pagamentos são feitos anualmente com base no desempenho da Apple na bolsa de valores. Hoje, o executivo de 59 anos detém 847.969 ações da Apple, o equivalente a US$ 375 milhões ou 0,02% de participação na empresa (esse é o número insignificante mais significativo que escrevi até agora).

As ações da Apple subiram em meio aos bons resultados financeiros. Em um trimestre de pandemia, ela faturou US$ 59,7 bilhões e teve forte alta nas vendas de Macs e iPads. A empresa também conseguiu aumentar a receita com iPhones, mesmo com uma queda generalizada no mercado. Nos próximos dias, a Apple poderá se tornar a primeira empresa americana com valor de mercado de US$ 2 trilhões.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Giovani (@Giovani)

O negocio só valorizando, e os caras processando app de receitas por causa de fruta (pera é fruta? é né?)…

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Justo. Não há como negar que ele soube conduzir a empresa ao sucesso financeiro. A fortuna que construiu é fruto desse trabalho árduo e de sucessivos anos de dedicação.

Algumas pessoas tendem a menosprezar o trabalho dos outros. Acham que é fácil ocupar um cargo de CEO, ainda mais quando essa empresa está prestes a cruzar os 2 trilhões em valor de mercado.

@ksio89

Embora tenha asco da Apple por causa de suas atitudes perante o consumidor, inegável a competência dele na gestão da empresa. E quanto mais ela pisa nos fanboys que pagam fortunas por seus produtos, mais eles compram. Pelo visto tratar os clientes como lixo funciona muito bem para a Apple.

Diego Nascimento (@Dieg0)

Único “produto” deles que me interessa são as ações.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Poderia exemplificar melhor ?

@ksio89

E preciso? Todo dia sai uma notícia aqui de alguma atitude da Apple que desrespeita o consumidor:

-telefone deu problema de recepção no sinal? Culpa do usuário por segurar errado o aparelho

-tablet fino que nem papel e sem reforço que envergou? Culpa do usuário por usar
errado a caneta stylus

-teclado de laptop com falha de projeto no mecanismo de acionamento que permite entrada de poeira e falha ao digitar? culpa do usuário por digitar errado

-cabo do carregador de baixa qualidade que se desfaz em pouco tempo? culpa do usuário por carregar errado

-empresa reduz o desempenho dos iPhones à medida que a bateria desgasta e não comunica nem permite que o usuário desabilite isso? claramente culpa do usuário por usar o aparelho por muito tempo, o certo é usar um mês e comprar outro.

E isso só são defeitos que lembro de cabeça, nem menciono as milhares de restrições e limitações absurdas do iOS/iPadOS/macOS e economias de palito que a Maçã faz em produtos caríssimos. Você compra um gadget vendidos a preço de ouro, mas não pode usar do jeito que você quiser, a fabricante que dita como você pode ou não usá-lo.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Isso foi na época do jobs.

Tudo começou quando um YouTuber entortou propositalmente, para veja só, ver se iria ou não entortar. No uso normal, ele não entorta do nada. O mesmo vale para o iPhone 6.

Concordo!

Não é essa porcaria que falam. Se a pessoa usar para a finalidade que se propõem, que é carregar, vai durar anos.

Agora se ficar tensionado as inserções ao usar o iPhone conectado ao cabo e armazenar do jeito errado, não vai durar mesmo.

Foi um péssimo erro de comunicação, e ela está pagando por isso até hoje. Pegando literalmente.

² (@centauro)

Bom, várias empresas fazem isso, não?

E eu lembro da empresa publicamente jogando a culpa no usuário no primeiro caso que você citou.
Nas outras ela jogou a culpa nos usuários publicamente também?

@ksio89

Sei disso, e o que é pior ainda, pois mostra que o desrespeito perante o usuário não vem de hoje.

Não foram relatos isolados, não é á toa que cunharam o termo “bendgate”. Uma mídia alemã foi boicotada pela Apple por expor o problema:

Alguns usuários também reclamaram que o iPhone 6 (Plus) puxava os cabelos ou a barba ao aproximar da orelha, o que é completamente bizarro kkkk:

Sua resposta foi idêntica à que a Apple daria, isto é, jogar a culpa no usuário. Os cabos são frágeis sim e custam caríssimo. Tanto são frágeis que até saiu notícia aqui no TB que a Apple iria reforçar o cabo devido à fragilidade.

Tenho cabos da Ugreen há mais de ano, que me custaram menos de 10 dólares, trançados e muito resistentes, e eu nem tenho tenho muito cuidado e funcionam perfeitamente. Já dei cabos da marca para meus pais (Android) e para minha namorada (iPhone), que são verdadeiros cupins de plástico e borracha, e mesmo tendo total falta de zelo, aguentam o desaforo e funcionam normalmente.

Dei de presente um cabo microUSB de 1,80m da Anker, que paguei módicos R$ 29,90, com 5 anos de garantia, coisa que a Apple nunca faria.

@ksio89

Fazem, mas estamos falando da Apple aqui. Considerando que seus produtos custam muito caro, as exigências são muito mais altas. Nos demais casos além do antennagate, é óbvio que estou ironizando a política da empresa de querer se eximir de dar garantia de defeitos em seus produtos.

E ainda tem mais um exemplo de atitude questionável da Apple, que é dificultar ao máximo o conserto do seus gadgets por reparadores independentes:

https://canaltech.com.br/notebook/chip-de-seguranca-do-macbook-pro-impede-o-reparo-por-terceiros-164345/

https://macmagazine.uol.com.br/post/2019/08/14/apple-se-manifesta-sobre-nova-polemica-envolvendo-baterias-de-iphones/

Gabriel Arruda (@gdarruda)

Precisa considerar que existe uma simples questão de viés de disponibilidade: qualquer problema da Apple fica maior, seja pela importância da empresa ou pelo volume de vendas. E, na prática, isso é útil para o cliente já que a pressão de imagem é muito maior.

Nas primeiras versões, a linha Razer era ótima em reviews, mas absurdamente problemática. Um problema muito mais amplo de qualidade . O novo Dell XPS 15 - considerado o rival do MacBook - não passou da semana de review sem problemas de trackpad, software e áudio. Imagina no futuro, pensando que é máquina para 5 anos de uso no mínimo e não chegou inteiro nem na mão de meia-dúzia de reviewers? Sobre o irmão menor, o novo XPS 13 polegadas vem com uma placa Wi-Fi com driver problemático que consome 100% da CPU, a versão developer vem com um Chrome quebrado no Ubuntu.

São todos produtos premium, mas continuam com problemas de projeto. A diferença é que a repercussão é menor, fica restrito a threads no Reddit geralmente. A Apple não, se o problema é grande acaba virando recall como foi o caso dos teclados. E, até onde eu sei, nenhuma fabricante tem algo próximo do suporte da Apple.

Eu tenho um desses MacBooks com teclado borboleta, comprado em 2017. Ainda não tive problemas com o teclado, mas tive com bateria inchada no final do ano passado. Em uma semana, trocaram, sem nota fiscal (colega trouxe de fora) e um notebook sem garantia com mais de 2 anos. Duvido que outro fabricante faria isso, especialmente fora da garantia.

Em resumo: não acho que outras empresas tenham controle de qualidade melhor, apenas que os problemas recebem menos atenção. E o suporte pós-venda é importante, não tenho coragem algum de pegar um XPS importado, apesar de parecer um ótimo notebook.

@ksio89

Nunca vi tanto defensor da Apple num tópico só, toda hora uma desculpa para tentar defender as ações da empresa. Quanto mais a empresa pisa neles, mais a idolatram, parece lavagem cerebral.

Pelo que os produtos da Apple custam, a incidência de defeitos era para ser quase zero, mesmo que o volume de vendas da Maçã seja bem menor que as concorrentes. Há produtos muito mais baratos que não dão tanto defeito quantos os da Apple, como os cabos de carregar e notebooks.

E na verdade o problema não é nem é tanto o índice de problemas, mas o descaso e arrogância da empresa em reconhecê-los e resolvê-los. Pergunte aos donos brasileiros de iPhone com desempenho reduzido o que acham de não receberem ressarcimento, ao contrário dos consumidores no exterior.

E muitos produtos a empresa só dá suporte depois da repercussão negativa na imprensa ou sob ameaça de ações judiciais. E nem menciono a política de dificultar ao máximo o reparo por terceiros.

Gabriel Arruda (@gdarruda)

Nunca vi tanto defensor da Apple num tópico só, toda hora uma desculpa para tentar defender as ações da empresa. Quanto mais a empresa pisa neles, mais a idolatram, parece lavagem cerebral.

Só falei da perspectiva “técnica” de quem, justamente, estava avaliando outra marcas em face dos problemas recentes. Não sei como será esse Apple Sillicon e esses MacBooks novos têm vários probleminhas, postei todos esses links justamente porque estou vendo alternativas no futuro.

Você que está emotivo com o assunto, julgando quem compra e não os argumentos práticos.

Pelo que os produtos da Apple custam, a incidência de defeitos era para ser quase zero, mesmo que o volume de vendas da Maçã seja bem menor que as concorrentes. Há produtos muito mais baratos que não dão tanto defeito quantos os da Apple, como os cabos de carregar e notebooks.

Por isso citei produtos do mesmo preço dos concorrentes, eu concordo que é uma merda e fiquei irritado com esses MacBooks justamente porque eu paguei caro para não ter problemas. Mas como eu coloquei, quem me garante que o XPS não tem problema? Ninguém, aparentemente é pior inclusive, mas não é notícia em lugar nenhum.

Dado isso, eu pensei: se isso tivesse acontecido com outro, como ficaria? Isso pelo menos funcionou bem comigo, outras marcas nem o suporte nacional é decente. Tive um Motorola top de linha recém-lançado, tava com problema no P2 e foi um inferno: tive que chegar cedo na assistência e pegar fila, o técnico falou que não tinha problema e fui obrigado a “chamar o gerente”. No final resolveu, mas ficou mal montado, só que nem fui atrás mais.

E muitos produtos a empresa só dá suporte depois da repercussão negativa na imprensa ou sob ameaça de ações judiciais. E nem menciono a política de dificultar ao máximo o reparo por terceiros.

Você só está confirmando meu argumento, a Apple não faria nada se não tivesse processos e danos na imagem. Não acho ela boazinha, só que a pressão é bem maior que nas outras empresas e isso é bom para o cliente.

-empresa reduz o desempenho dos iPhones à medida que a bateria desgasta e não comunica nem permite que o usuário desabilite isso? claramente culpa do usuário por usar o aparelho por muito tempo, o certo é usar um mês e comprar outro.

Ótimo exemplo do que eu argumentei: sabe esse Moto X que eu falei? Ele desligava sozinho com 1 ano e meio de uso porque a bateria não aguentava os picos. Mesmo problema, mas não teve ação nem nada, porque ninguém se importa.

Você tem essa lista toda aí porque é a Apple, e pela sua raiva, você não deve ter produto nenhum dela. Com outras empresas, você precisa procurar bem mais, mas não quer dizer que os problemas não existam.