Início » Telecomunicações » Site com lista de IPTV pirata é condenado em US$ 15,8 milhões

Site com lista de IPTV pirata é condenado em US$ 15,8 milhões

IPTV pirata CBC X-View é condenado a pagar Dish por violar 21 mil contas legítimas do streaming da operadora de TV paga

Lucas BragaPor

Um provedor de IPTV pirata que fornecia listas com canais de TV por assinatura pela internet foi condenado a pagar US$ 15,8 milhões para a operadora Dish, que atua com serviço de TV via satélite e o IPTV legítimo Sling nos Estados Unidos. O serviço ilegal contava com cerca de 130 canais e atendia até mesmo hotéis em Belize.

TV Box apreendida. Foto: Receita Federal/Divulgação

TV Box apreendida em setembro (Imagem: Divulgação/Receita Federal)

O serviço de IPTV em questão era o CBC X-View. O dono do produto, Robert Reich, se diz residente da Flórida e mantinha outras marcas como CBC e CBC Cable. Ele foi acusado por utilizar contas de usuários oficiais da Dish e Sling TV para retransmitir a programação dos canais pela internet, sem licenciamento para isso.

Não se tratava de um serviço IPTV barato: Reich vendia os acessos piratas com custo mensal de US$ 60, além da taxa de instalação de US$ 55. A adesão podia ser feita por telefone, internet, Facebook e WhatsApp.

O processo corre na justiça americana desde janeiro de 2020. Em abril, Reich recebeu uma ordem de restrição e em maio teve seus bens congelados. A condenação de US$ 15,8 milhões representa a violação de mais de 21,1 mil contas da Dish e Sling TV.

Hotel de Belize utilizava IPTV pirata

O serviço CBC X-View era utilizado até mesmo em hotéis de grandes redes, incluindo o Radisson Fort George localizado em Belize. A Dish não atua nesse país, e as TVs do hotel mostravam algumas mensagens de erro do serviço da operadora.

Além de pagar a multa, Robert Reich recebeu uma proibição permanente para retransmitir ou operar serviços de IPTV.

Empresas de IPTV pirata também são alvos no Brasil

No Brasil, a pirataria também é alvo de operações: o Ministério da Justiça desligou uma rede de 300 provedores IPTV que atendiam mais de 26 milhões de pessoas. Na ocasião, a Aliança Contra a Pirataria da TV por Assinatura (Alianza) informou que um único site tinha faturamento anual de US$ 18 milhões com seus 727 mil usuários.

Além do desligamento de provedores de pirataria, a Receita Federal também fez operações de busca e apreensão de TV Box não homologadas pela Anatel e com aplicativo de IPTV embarcado. Entre julho e setembro de 2020, o órgão confiscou mais de 240 mil equipamentos ilegais e destruiu outros 7 mil aparelhos que foram apreendidos em Ponta Porã (MS), divisa com o Paraguai.

Com informações: TorrentFreak, TechNadu

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Katia Pagani (@Katia_Pagani)

VC corta uma cabeça nascem mais 3 novas.

Senhor ranz (@Duko)

ou seja paradoxo de hidra sobre pirataria que nunca é encerrado, só se mantêm vivo e de forma infinito.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Me admira é esse hotel não ter recebido um processo ainda.