Início » Aplicativos e Software » Android 11 da Samsung exagera ao fechar apps em segundo plano

Android 11 da Samsung exagera ao fechar apps em segundo plano

Samsung chega ao topo da lista de fabricantes que mais encerram apps em segundo plano, segundo o site DontKillMyApp

Ana MarquesPor

A Samsung liberou a atualização da One UI 3.0 com Android 11 para diversos modelos de celulares nos últimos meses, com mais alguns para receber o update em breve. No entanto, a nova versão do sistema parece estar sendo rigorosa demais com o gerenciamento de aplicativos – ao menos é o que indica o DontKillMyApp, site que classifica fabricantes de acordo com a sua agressividade ao encerrar apps em segundo plano.

Samsung Galaxy S20 Fan Edition (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Samsung Galaxy S20 Fan Edition (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

De acordo com o site, a Samsung passou a impedir que os aplicativos funcionem em segundo plano por padrão como uma forma de otimizar a duração da bateria. A ação, que vai contra as políticas de gerenciamento de processos do Android, levou a sul-coreana da terceira posição ao topo do ranking.

A equipe do DontKillMyApp explica que é possível reverter a situação manualmente, mas para isso os usuários precisam entrar em “Configurações” > “Aplicativos” e procurar pelo app que não deseja limitar. Nas configurações do app, é necessário entrar em “Otimizar o uso da bateria”, selecionar “Todos os aplicativos” e procurar pelo programa em questão, desativando a chave ao lado dele.

Configuração pode interromper recursos importantes

Uma das principais consequências do encerramento exagerado de apps em segundo plano pode ser o mau funcionamento de recursos importantes, como os que coletam informações para aplicativos de saúde, por exemplo.

Apesar de, em tese, não ser capaz de impedir a execução das notificações de COVID-19 que usam a API do Google, a nova política de apps em segundo plano da Samsung pode interferir bastante em programas de terceiros que monitoram atividades físicas para montar relatórios de perda de calorias e práticas de esportes.

Ainda não ficou claro se todos os celulares Galaxy atualizados com a One UI 3.0 enfrentam esse problema ou se as configurações estão limitadas a alguns modelos específicos.

Com informações: Android Authority

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vítor Gomes (@vctgomes)

Ridículo esse DontKillmyApp. Tem de fechar tudo q for possível e que não tem necessidade mesmo.

Vale lembrar a Samsung n impede o usuário de retirar o App, então, por mim, tudo ok.

Melhor desta forma do q deixar q os apps tomem conta e vire essa bagunça, como é o WhatsApp
Screenshot_20210218-215559_Device care1080×2400 195 KB

Felipe Vieira (@Feliperpv)

Desde que atualizei pro Android 11 os apps começaram a sumir dos apps abertos do nada. Tipo, de tarde eu deixei o Gmail aberto pra me lembrar de ver o email agora, mas o celular decidiu que eu não precisava mais dele e fechou o app, tirando ele da multitarefa sem eu pedir
extremamente irritante, eu só queria que o app que eu deixei aberto continuasse aberto

Henrique Picanço (@HenriquePicanco)

Mas o ponto da matéria não é esse. É que a Samsung estaria configurando o sistema para fechar apps que DEFINITIVAMENTE deveriam continuar abertos em segundo plano, como medidores de saúde e alertas de saúde pública.

Henrique Picanço (@HenriquePicanco)

Me veio uma questão aqui: Será que o sistema otimizado da Samsung poderia fechar alarmes de terremoto e tsunamis nos países onde existem este tipo de alerta?! (Tipo, se isto for feito por meio de um app também, né)

Vítor Gomes (@vctgomes)

Mas, neste caso, cabe ao desenvolvedor melhorar o App. O Google Messages, por exemplo, pede permissão ao sistema ignorar a otimização de bateria em segundo plano.

Apps q necessitem realmente do segundo plano precisam fazer o mesmo e solicitar o sistema essa permissão que existe assim como a de localização, armazenamento etc.

Higo Ferreira (@higoff)

Não funciona bem assim. Se o app é “comportado” e não fica fazendo acessos frequentes aos dados móveis nem consumindo muita atividade de CPU enquanto estiver em segundo plano, além de ser um app frequentemente utilizado pelo usuário, mais vale deixá-lo carregado em memória do que fazer repetidos acessos à Nand Flash para carregá-lo de volta. Um gerenciamento inteligente de memória é capaz de identificar essas características nos apps.

Yago G. Oliveira (@yagogabriell)

Assim que peguei um aparelho novo, fiz o teste de bateria com os apps. Todos sem restrição, depois todos sem execução em segundo plano e por fim, todos que só podem funcionar quando abertos.
A diferença é muito grande. Chego a ganhar mais de 3 horas só por não abrir.

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

O Android “puro” possui vários mecanismos e APIs bem definidas que informam aos apps quando precisam ser fechados ou quando o aparelho entrou em modo de repouso ou economia de bateria, permitindo que se adequem conforme necessário. Esses mesmos mecanismos também permitem um app sinalizar para o sistema quando precisam continuar funcionando para designar sua função (por exemplo, um monitor de atividade física ou app de streaming de música).

Como nem tudo são flores, várias fabricantes implementam recursos de economia de energia proprietários, sem uma API definida e que na maior parte dos casos simplesmente saem matando o app sem nem dar chance do mesmo salvar o seu estado para que volte de onde parou quando for executado novamente. Resultado, o app não funciona corretamente e a corda sempre arrebenta no lado mais fraco, com o usuário reclamando para o desenvolvedor do app ao invés de reclamar para a fabricante do aparelho.

A missão do Don’t Kill My App é justamente essa, mostrar as fabricantes que mais causam esse tipo de problema e quando possível, citar ajustes que possam ser feitos para que o aparelho se comporte como deveria. Não me surpreende a Samsung estar no topo, visto a customização gigantesca que fazem no Android, mexendo até onde não deveria ¯\_(ツ)_/¯

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Daí eu me pergunto, para que 12GB de RAM?

Rodrigo (@rodrigo1)

Até onde eu sei esse tipo de alerta não depende de apps, vem pela rede da operadora mesmo, como uma mensagem de operadora ou algo assim (aquelas que aparecem na tela do nada).

Pedro Zanini Pretto (@Pedro_Zanini_Pretto)

Irritante isso mesmo. Era o que eu mais detestava quando usava a MIUI, lá por 2017/2018. Na One UI 3.0, agora, se abro um página web no Edge, alterno para outro app (Gmail, por exemplo), ao voltar pro navegador, a página recarrega. Super frequente isso. Fora a perda de notificações na Mi Band 4, apesar do Mi Fit estar com todas as exceções configuradas no gerenciador de energia. Deveriam rever essa política tão agressiva. S10e aqui.

André (@andre00)

No meu aparelho todo mês a Samsung lista os apps não usados e me avisa que vai suspender. Eu acho isso ótimo. Suspendo os que não uso e desmarco os que uso.