Início » Aplicativos e Software » Godzilla vs. Kong, lançado em cinemas e streaming, bate recorde na pandemia

Godzilla vs. Kong, lançado em cinemas e streaming, bate recorde na pandemia

Enquanto cinemas seguem fechados no Brasil, Godzilla vs. Kong bate recorde no mundo todo e também no HBO Max

Felipe VinhaPor

Godzilla vs. Kong é um sucesso mesmo com os cinemas fechados em boa parte do mundo. O filme arrecadou US$ 48,5 milhões em sua primeira semana de estreia, onde foi possível estrear. Só no primeiro final de semana foram US$ 32 milhões. De acordo com o Variety, o longa-metragem foi exibido em cerca de três mil salas nos EUA, o maior número desde que a pandemia da COVID-19 começou, com a melhor bilheteria já somada nos últimos meses.

Godzilla vs. Kong mostra o retorno do cinema, aos poucos (Imagem: Divulgação/Warner)

Godzilla vs. Kong mostra o retorno do cinema, aos poucos (Imagem: Divulgação/Warner)

Vale lembrar que Godzilla vs. Kong também foi lançado no HBO Max, o streaming recém-lançado nos EUA e com previsão para chegar ao Brasil em junho, sem custo adicional para os assinantes. O plano da Warner é de lançar suas produções no cinema e também na plataforma online, no mesmo dia, até o final de 2021.

Ao Business Wire, executivos da Warner chegaram a comemorar o sucesso do longa também no streaming, informando que “Godzilla vs. Kong teve um público maior do que qualquer outro filme ou série de TV no HBO Max desde o lançamento”, mas sem entrar em detalhes de números.

Filmes como Mortal Kombat, Space Jam: Um Novo Legado, O Esquadrão Suicida e Duna devem seguir formato similar – e espera-se que o mesmo sucesso.

Godzilla vs. Kong no mundo todo

Já no resto do mundo, onde também tem cinema aberto em alguns países, Godzilla vs. Kong alcançou a marca de US$ 285 milhões em bilheteria no mesmo período. Só na China foram US$ 44 milhões.

O valor já pode ser considerado um sucesso, por conta de todos os fatores envolvendo a pandemia e as dificuldades que a indústria está passando. Em especial por conta do custo de produção do longa-metragem, que foi de US$ 165 milhões.

Os números impressionam e podem representar um fortalecimento do cinema em um cenário que se encaminha para o fim da pandemia em diversos países, onde a vacinação contra a COVID-19 está avançando e diversas restrições do isolamento social já foram revistas.

No Brasil ainda não temos HBO Max e o longa não está disponível em nenhuma plataforma digital. O lançamento do filme foi adiado para 29 de abril, mais de um mês depois da estreia norte-americana, pois os cinemas, por aqui, permanecem fechados.

Com informações: Variety.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

O filma pra ficar ruim tem que melhorar muito ainda.

Reinaldo Boson (@Ticano)

Isso é notícia boa demais, que saudade de ir ao cinema com a mulher, lanchar depois… Vida eterna à sétima arte