Início » Legislação » Ex-presidente Trump abre processo contra CEOs do Facebook, Twitter e Google

Ex-presidente Trump abre processo contra CEOs do Facebook, Twitter e Google

Donald Trump, ex-presidente dos EUA, pede “fim ao silenciamento” após ser banido de redes sociais por incentivo à violência

Ana Marques Por

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (7), que está abrindo processos contra o Facebook, Google e Twitter, e seus respectivos CEOs, por “censura”. Banido das redes sociais por incentivo à violência, em especial após o atentado ao Capitólio, em janeiro, o político afirma que pretende dar um “um fim ao silenciamento e ao cancelamento”.

Donald Trump (Imagem: Gage Skidmore/Flickr)

Donald Trump (Imagem: Gage Skidmore/Flickr)

Em uma coletiva nesta quarta, Trump disse que a ação contra Sundar Pichai, Mark Zuckerberg e Jack Dorsey reivindica “uma suspensão imediata da censura vergonhosa e ilegal das empresas de mídia social ao povo americano”.

Os processos em parceria com o America First Policy Institute podem ganhar status de ação coletiva, e buscam “indenizações compensatórias e punitivas”. Eles foram apresentados ao Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito Sul da Flórida, Divisão de Miami. O ex-presidente americano afirmou ainda que “não está procurando um acordo”.

Facebook revisou decisão e manteve Trump suspenso

Trump foi suspenso do Facebook após o motim de 6 de janeiro, no Capitólio dos EUA. Na época, Mark Zuckerberg afirmou que os riscos de permitir que o presidente continuasse a usar o serviço da plataforma durante o período eram “simplesmente grandes demais”. No início de junho, o Facebook decidiu manter o banimento, ainda que possa aceitar seu retorno em 2023.

O Twitter também baniu Trump na ocasião, de forma permanente, o que resultou em uma redução significativa no número de posts com desinformação na plataforma. Já o YouTube afirmou que a suspensão poderia ser reduzida mediante uma diminuição do “risco de violência” oferecido pelo político.

No início desta semana, uma nova rede social lançada por um ex-conselheiro de Trump gerou burburinho por acolher apoiadores do ex-presidente. A plataforma Gettr foi alvo de um ataque hacker que expôs dados de mais de 85 mil usuários, incluindo e-mails, nomes de usuário e datas de aniversário.

Com informações: CNET e TechCrunch.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

Uai. o Trump não ia pra Gettr? Ou será que já foi banido de lá também? hahaha

Túlio F (@Tulio)

“Banido das redes sociais por incentivo à violência…”

E depois ele propaga Fake News.

Objetivamente, conseguem listar o que seria o incentivo à violência?

Eu (@Keaton)

Vou mostrar apenas um exemplo…

Se tu começa à mentir que as eleições foram roubadas, depois começa à agitar o pessoal à querer te por no governo à qualquer custo depois que tu levou uma surra nas urnas… acho que pode ser sim considerado incentivo à violência.

Tu pode procurar outros discursos dele se não acreditar nesse…

Anthony Fernando (@Anthony_Fernando)

Se Trump vai ganhar o processo, eu n sei. Mas que já passou da hora dessas empresas serem punidas por ficar parciais em ralação a ideologias…

Eu (@Keaton)

Se tu interpretar as coisas fora do contexto, é óbvio que tu não verá materialidade.

“Fight like hell”, sozinho, não faria sentido algum. Talvez numa guerra. Porém se tu junta esse tipo de coisa com discursos feitos pela mesma pessoa que dizem “elections was stolen from us” (que é uma mentira), “we won’t accept” (que pode agitar o pessoal à não aceitar uma coisa que foi correta) e essas bs… sim, isso ao meu ver pode sim gerar violência. Tanto que acabou em.

O movimento original era sim democrático, agora que tá perdendo o sentido.
Manifestações de esquerda e direita, desde que não violentas (tipo esse pessoal que acha que, literalmente, tacar pedra nas pessoas é protesto politico) e que não prejudiquem terceiros (com danos à patrimonios alheios) também são democráticas… mas sinceramente não tenho visto bom senso de ambos os lados.

Já disse diversas vezes: o pais não vai mudar se o pessoal continuar encarando as eleições como se estivesse num FlaFlu da vida… politico não é famoso, politico é nosso funcionário. Pagamos com nossos impostos… (as vezes mais que uma vez… se é que você me entende…)

Pois é. Eu realmente gostaria de entender como, filosóficamente falando, hora dizer que as eleições foram roubadas, hora que não vão aceitar e hora que é para lutar poderia resultar em algo minimamente decente. Por favor, me ilumine.

Pois é. Analise todos juntos. Não um separado do outro e tu vai ver o que eu falo.
Eu poderia citar os discursos de um certo outro politico alemão, mas não estou muito afim de cair na lei de godwin… Esses discursos até hoje não são visto como manipuladores por muitas pessoas. (inclusive foram usados esses tempos atrás num certo pais latino americano que fala um idioma parecido ao espanhol)

Mas enfim…