Início » Brasil » Governo estuda retomada do horário de verão após piora na crise hídrica

Governo estuda retomada do horário de verão após piora na crise hídrica

Sob pressão de empresários no setor de turismo, varejo e alimentação, Ministério de Minas e Energias pede novo estudo sobre impactos da volta do horário de verão

Ana Marques Por

O fim do horário de verão, decretado em 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro, pode ser revertido após uma nova avaliação do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). O pedido de um novo estudo sobre os impactos do retorno da medida de economia energética foi feito pelo Ministério de Minas e Energias (MME) após a piora da crise hídrica no país.

Ministro de Minas e Energias Bento Albuquerque (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Ministro de Minas e Energias Bento Albuquerque (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Novos hábitos no consumo de energia

De acordo com o ministro Bento Albuquerque, a crise que enfrentamos é a maior em 91 anos — “e só não é pior porque não se media antes”, disse Albuquerque em entrevista ao Poder360. Apesar disso, o ministério, em avaliação prévia, afirmou que não há indícios de que a aplicação do horário de verão traga benefícios para a redução de demanda energética.

“Neste sentido, a contribuição do horário de verão é limitada, tendo em vista que, nos últimos anos, houve mudanças no hábito de consumo de energia da população, deslocando o maior consumo diário de energia para o período diurno. Assim, no momento, o MME não identificou que a aplicação do horário de verão traga benefícios para redução da demanda”, disse o ministério de Minas e Energia em nota à Folha de S. Paulo.

No início do mês, empresários nos setores de turismo, varejo e alimentação pressionaram o governo pedindo o retorno do horário de verão. De acordo com os representantes, o momento é tão delicado que “qualquer economia energética se torna ainda mais relevante”.

Setor elétrico também pressiona governo

Atores do setor de energia e entidades como o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Instituto Clima e Sociedade (ICS) também enviaram uma proposta de retomada do horário de verão ao governo, como uma medida emergencial para enfrentar a baixa dos reservatórios nas hidrelétricas.

Um estudo do ICS estima que a medida poderia representar uma redução de 2% a 3% no consumo de energia durante o período. Além disso, segundo as entidades, a iniciativa poderia reduzir o acionamento das usinas termelétricas, impactando no preço da conta de luz.

O grupo pede ainda que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realize leilões de eficiência energética, no qual as empresas disputam para oferecer o menor custo na redução de consumo em uma determinada praça.

O MME não revelou quando o pedido de reexame do horário de verão foi feito ao ONS e nem o prazo para que o estudo seja concluído.

Com informações: Poder360, G1

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
22 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

Baixar a carga tributária e reduzir subsídio para baixa renda que é bom, nada.

Gustavo Vieira Theml (@gustavo_vieira)

Ah não… Essa porcaria de horário de verão de novo não.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Tudo isso pq não tá chovendo o suficiente depois daquele monte de queimadas.

Monin (@Monin)

Mais uma derrota do governo. Fico triste com uma notícia dessas.

Que tragam de volta o horário de verão. Se não trouxer a economia esperada, pelo menos existem outros fatores que a mim são ótimos.

Renan Novaes (@Renan_Novaes)

Independente de crise elétrica e etc etc etc o horário de verão deveria ser cláusula pétrea da constituição, jamais deveria ser abolido. É a melhor época do ano com o melhor horário, e quem discorda, discorde aí na sua casa.

Horário de verão = felicidade, bom humor, boteco, samba e carnaval.

Rumo a mais uma derrota deste desgoverno e contando.

Gigo CAP (@GigoCAP)

Já tô até aquecendo o alto-falante aqui.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Esse governo só sabe toma medida populistas sem nenhum estudo dos impactos dela, já tivemos outros governos com medidas populistas, pelo menos fingiam ter um embasamento técnico para elas, apresentavam alguns dados de como isso ia melhorar a vida das pessoas.

Luis Carllos (@XxxStrangeManxxX)

Fico impressionado como um país grande como o Brasil não sabe aproveitar os benefícios da energia solar e eólica, tudo tem que girar em torno de hidrelétricas e do nível dos reservatórios. Mas esperar o que de governantes que se elegem através de populismo barato e só tomam (ou não) decisões quando a merda já ta feita.

@ksio89

E pra piorar a isenção sobre energia solar vai ser encerrada em março do ano que vem, por pressão das distribuidoras e da Aneel.

Concordo com você, não dá mais pra depender de chuva pra produzir energia, não adianta ser energia limpa se não tem como gerar por que nível dos reservatórios está baixa, que é quase o tempo todo.

Gigo CAP (@GigoCAP)

Pior, 20% da energia consumida no Brasil ainda é de termelétricas. E a maior parte dessas usinas são alimentadas por óleo diesel!

² (@centauro)

Some a isso o fato de o percentual de perda de energia na transmissão aqui no Brasil ser de aproximadamente 20%* (contra 10% na Argentina, 5,6% no Chile, 11,5 na Colômbia e 6,5% na UE**) e fica mais claro que a situação é desoladora.

*https://www.epe.gov.br/sites-pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/PublicacoesArquivos/publicacao-160/topico-168/Anuário%20Estatístico%20de%20Energia%20Elétrica%202020.pdf (tabela 2.11)
**https://www.internationalrivers.org/wp-content/uploads/sites/86/2020/07/setor_eletrico_desafios-oportunidades_2_edicao_nov2012.pdf (página 42)

@teh

Era só ter acabado com o horário de verão mas tendo deixado o horário de verão como padrão e não o atual.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

elas foram piores, a resposta ao fogo mais lenta (pessoal insistindo em soltar balão durante ume época de estiagem e sendo solto depois de pagar uma multa pequena)

é um efeito cumulativo, agora ele tá chegando ao seu limite, em breve vamos ter novas áreas de sertão e desérticas no Brasil, quero ver criarem gado sem pasto.

Islan Oliveira (@Islan_Oliveira)

O Brasil tem sorte, pois está numa posição geográfica que permitir ter uma produção absurda de energia solar e eólica. Mas ainda assim, são fontes intermitentes, que você não consegue ter 100% de certeza da produção nos momentos de pico. Sempre vai ser necessário ter fontes mais seguras, que produzam energia o dia todo. Que no caso precisam ser usinas hidrelétricas, termelétricas ou nucleares. Idealmente teríamos mais usinas nucleares, que não dependem de chuvas, assim preservando nossos recursos hídricos e nem liberam gases de efeito estufa como termelétricas. Infelizmente, depois aos riscos de contaminação em caso de acidentes, é um tipo de usina que encontra muita resistência. Mas com as mudanças climáticas, a tendência é a redução das chuvas. Em um momento ou outro, vamos ter que começar a construir mais usinas nucleares.

Eu (@Keaton)

Adoro os comentários dos artigos com relação ao governo… tudo bem top de linha. wow

Exibir mais comentários