Eles estão cheios de problemas financeiros, mas também querem discutir o meio-ambiente. Não é por acaso que inventaram a hashtag que versa sobre os “problemas de primeiro mundo”. Na Europa, a bola da vez é a tarifa extra que as companhias aéreas têm que pagar para neutralizar as emissões de carbono em voos com origem ou destino naquele continente.

Começando em primeiro de janeiro, uma resolução da autoridade de aviação da União Europeia determina que todos os voos têm que compensar integralmente a emissão de carbono durante o transporte de passageiros e carga. Os créditos de carbono servem para garantir que as emissões do gás nocivo sejam neutralizadas.

Só que as companhias não vão arcar com o custo do próprio bolso. A Delta Airlines já avisou: subiu as passagens em 6 dólares para voos que passam pelo continente europeu. A Lufthansa, companhia da Alemanha, avisa que também vai aumentar a tarifa, embora não tenha especificado o quanto isso vai custar na ponta do lápis para os passageiros da gigante deustche.

O ponto mais polêmico dessa história é a obrigatoriedade de pagar pela emissão de carbono mesmo quando parte do voo não foi feito em espaço aéreo europeu. Por exemplo, a Delta chiou depois de calcular que um voo de Paris para Roma paga menos pela emissão de carbono do que um voo de Los Angeles a Paris, que passa por pequeno um trecho do espaço aéreo europeu, inferior ao do voo integralmente dentro do continente. É a companhia tem que neutralizar as emissões na íntegra, e obviamente que um voo intercontinental dura mais, emite mais carbono e, por isso, custa mais caro.

A discussão ainda está começando por lá. Não duvido que, num futuro próximo, sejamos nós os envolvidos em polêmica similar. Voar de avião, além de financeiramente custoso, também está entre os meios de transporte que mais emitem o bendito carbono. Cálculos do IPCC mostram que a aviação sozinha responde por 2% de todas as emissões de CO2 no mundo. Bastante.

Com informações: Wired

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

ricardo
A China é um dos maiores poluidores, mas isso se deve ao fato de que eles fornecem ao restante do mundo grande parte dos bens de consumo, produzidos lá por empresas estrangeiras. Ou seja, todos os países que consomem produtos chineses têm sua parcela de culpa nas emissões daquele país.
Thássius Veloso
As regras serão respeitadas. Mas não nos custa discuti-las.
TatoGomes
É só cada um comprar seu próprio helicóptero (ou par de asas) e voar sozinho por aí.
Eduardo
Acho que devíamos voltar a andar de charretes. Assim não teria poluição.
Guilherme
Por mim a Delta que se dane - quer pousar no território deles? Respeite as regras.
tchones
Enquanto isso a China polue mais do que todo mundo junto. No Brasil, não duvido nada que esse valor da taxa de carbono fosse passado para o cliente...
Sergio
Em breve nossos políticos, inspirados com essa notícia, criarão o ICCVA (Imposto de Compensação de Carbono sobre Veículos Automotores).
Francklin
Acho que agora as empresas vão dedicar mais dinheiro a pesquisas para combustíveis "naturebas".