Apple já permite download de apps no iPhone via web, mas só na Europa

iOS 17.5 beta 2 marca início de downloads de aplicativos no iPhone sem que usuário tenha que acessar App Store; opção vale só na União Europeia

Emerson Alecrim
Por
Aplicativos no iPhone 15 Pro Max (imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)
Aplicativos no iPhone 15 Pro Max (imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Quem usa iPhone sabe que, por padrão, só é possível instalar aplicativos no aparelho a partir da App Store. Mas vai ser diferente na Europa. Por lá, o iOS 17.5 e versões posteriores permitirão que apps para a plataforma sejam baixados a partir de páginas na web, sem que a loja de aplicativos da Apple tenha que ser acessada.

Essa possibilidade começou a valer oficialmente nesta terça-feira (16) em razão do lançamento do iOS 17.5 beta 2. Usuários localizados em algum país da União Europeia podem, a partir de hoje, baixar e instalar aplicativos para iPhone diretamente das páginas dos desenvolvedores ou em sites de downloads.

Motivo: a Lei de Mercados Digitais da União Europeia

Se dependesse da Apple, nada mudaria na dinâmica de downloads de aplicativos para iPhone. A companhia começou a permitir que apps sejam baixados no iOS via web para usuários europeus em atendimento à Lei dos Mercados Digitais da União Europeia (ou Digital Markets ActDMA).

Essa lei foi criada pela Comissão Europeia com o intuito de tornar os mercados de serviços digitais mais justos, seguros e competitivos nos países que fazem parte do bloco.

O DMA entrou em vigor em março de 2024 e estabelece, entre suas determinações, que o usuário tenha direito de escolher facilmente o navegador padrão de seus dispositivos e possa acessar lojas ou sites alternativos de apps.

No Android, isso não é um problema, pois lojas alternativas à Google Play existem há tempos, a exemplo da F-Droid. Mas não há nada parecido para iPhone, o que levou a Apple a permitir downloads de apps a partir da web para cumprir a lei.

Ícone do Threads no iOS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Aplicativos no iOS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Mas não é um “liberou geral”

Alguns critérios devem ser respeitados para que downloads no iOS a partir da web sejam possíveis. Para começar, os desenvolvedores só podem oferecer aplicativos que estiverem vinculados à sua conta de desenvolvedor na Apple. Além disso, eles devem informar com clareza como os aplicativos coletam e usam dados do usuário.

Os desenvolvedores também devem pagar uma taxa de 0,50 euros para cada primeira instalação anual que exceder a marca de 1 milhão de downloads nos últimos 12 meses.

As exceções ficam para aplicativos fornecidos por organizações sem fins lucrativos, instituições educacionais e órgãos governamentais. Se a quantidade de downloads for inferior a 1 milhão no período de um ano, também não é preciso pagar taxas.

Já o usuário terá que conceder permissão para que o aplicativo seja instalado a partir da web. Para tanto, o iOS exibirá informações como nome do app, nome do desenvolvedor e capturas de tela para que a pessoa tenha certeza de que quer mesmo baixar aquele software.

Por fim, a condição principal: a Apple só precisa permitir downloads fora da App Store a usuários localizados na União Europeia, e somente no iPhone. A empresa não tem intenção de liberar a funcionalidade em outros países ou para iPad.

A companhia irá providenciar APIs aos desenvolvedores para facilitar a distribuição de aplicativos via web dentro de todos os critérios necessários para isso.

Receba mais sobre Apple na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados