Início » Brasil » Out There Somewhere: jogo brasileiro superlegal mostra o potencial dos estúdios de games nacionais

Out There Somewhere: jogo brasileiro superlegal mostra o potencial dos estúdios de games nacionais

Por
7 anos atrás

Eu sei que nem todo mundo costuma acompanhar de perto os lançamentos independentes no universo dos games. Mas tudo bem, o que eu queria dizer é que vocês deveriam, só pra evitar perder pérolas como Out There Somewhere.

Desenvolvido pelo estúdio nacional MiniBoss e lançado dia 21 de fevereiro, o jogo mistura elementos de plataforma e quebra-cabeças com um visual 16 bits, que deve te trazer saudades dos anos 1990. Vale a pena conferir o trabalho bem feito.


(Vídeo do YouTube)

O primeiro estágio é um shoot ‘em up lateral no melhor estilo arcade, mas as coisas ficam interessantes de verdade quando Yuri (personagem principal do jogo) chega em solo alienígena. Com sua arma de teletransporte ele deve resolver vários quebra-cabeças e coletar as peças necessárias para reconstruir sua espaçonave e derrotar o temível Grigori, vilão intergalático.

Embora a mecânica de teletransporte possa te lembrar de Portal, não se deixe enganar: a jogabilidade de Out There Somewhere é genuína. Diferente do sucesso da Valve, quando o projétil atinge uma parede Yuri é teletransportado para o ponto de impacto. Junte isso com gráficos bonitos, bom level design, inimigos e poços de lava para ter um ótimo jogo.

É no mínimo estimulante ver o Brasil criando uma cena de desenvolvimento independente de jogos e mostrando que temos muito talento por aqui.

O estúdio MiniBoss está há algum tempo desenvolvendo jogos e conseguiu reconhecimento internacional com alguns títulos premiados em seu catálogo, como Talbots Odyssey e Trapped!, que foi desenvolvido durante a Global Game Jam desse ano. Você pode adquirir Out There Somewhere no site da MiniBoss ou no Desura por US$ 4,99. Roda em Windows. Você também pode segui-los no Twitter para ficar sabendo das novidades e próximos lançamentos.

Mais sobre: ,