Arquivo Legislação

Sem retorno do Ministério da Justiça, Proteste recomenda ação judicial sobre “morte súbita” do Galaxy S III

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O drama da “morte súbita” do Galaxy S III, pelo visto, está longe de acabar. O ofício com pedido de providências que a Proteste enviou ao Ministério da Justiça no dia 14 de setembro não resultou em qualquer retorno até agora e, diante desta situação, a associação passou a orientar os consumidores afetados a darem entrada em uma ação judicial.

Para quem não sabe, “morte súbita” é o apelido dado ao problema que faz unidades do Galaxy S III (também há relatos do defeito no Galaxy Note II) apresentarem travamentos que aumentam com o passar do tempo e, não raramente, chegam a inutilizar o aparelho. Este vídeo é um exemplo:

YouTube video

Nenhum dispositivo eletrônico está imune a defeitos, mas em relação ao Galaxy S III, os relatos são tão numerosos e acontecem em tantos países que sugerem um problema digno de recall. Na China, por exemplo, as queixas foram tantas que o assunto virou matéria recente de um grande canal de TV do país que, por sua vez, fez com que a Samsung prometesse resolver todos os casos. Por lá, é claro.

Logo depois de a Proteste ter enviado o ofício ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, o Tecnoblog entrou em contato com a Samsung e obteve a seguinte posição da companhia:

“Asseguramos aos nossos clientes que não foram encontrados problemas técnicos inerentes ao modelo Galaxy S III. Nossos consumidores são orientados a procurar a assistência técnica da Samsung em caso de dúvida ou qualquer questão relacionada aos nossos produtos. Estamos comprometidos com a satisfação de nossos clientes.”

Na prática, não é o que parece. O que mais tem causado irritação nos consumidores afetados é justamente a assistência técnica: há inúmeros relatos de casos de aparelhos que foram enviados para reparo, inclusive dentro do período da garantia, mas foram devolvidos sem resolução satisfatória.

Diante da falta de retorno do Ministério da Justiça em relação ao assunto, cujo contato se deu após a Proteste ter cobrado a Samsung e também não ter tido resposta, a entidade entendeu que a única opção que resta aos consumidores afetados é uma entrada no Juizado Especial Cível.

A orientação é válida para todos os usuários que não tiveram o problema do seu aparelho resolvido pela assistência técnica dentro do prazo de dez dias. Já há mais de mil casos nesta situação, segundo a Proteste.

Para quem está disposto a seguir por este caminho, a entidade está oferendo um modelo de petição onde é possível pleitear a troca do aparelho defeituoso, devolução do dinheiro pago pelo produto ou até mesmo indenização. Interessados em obter auxilio da associação podem se cadastrar neste endereço.

Com informações: Extra

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado Infowester.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque