RideWith

Polêmicos ou não, os apps para caronas e compartilhamento de carros estão caindo no gosto de muita gente, tanto que até o Google decidiu desbravar o segmento: nesta segunda-feira (6), a companhia começou a testar em Tel Aviv, a segunda maior cidade de Israel, um serviço do tipo chamado RideWith.

A novidade está sendo desenvolvida pela equipe responsável pelo Waze, serviço pertencente ao Google desde 2013. O Waze fornece mapas, rotas e outros dados necessários para viabilizar a ideia.

É inevitável comparar o novo serviço com o Uber, mas ambos são semelhantes somente até certo ponto. No RideWith, o usuário só pode realizar duas caronas por dia — algo no estilo “ida e volta” — e receber uma pequena compensação para cobertura de custos, com 15% do total ficando com o Google. O valor, a ser pago com cartão de crédito, é definido pelo aplicativo com base em estimativas de consumo de combustível e em índices de desgaste do veículo.

Outra limitação: o usuário só consegue oferecer carona a partir da região em que está, ou seja, não é possível se locomover a um bairro vizinho para buscar o passageiro, por exemplo.

“O RideWith é um experimento na região de Tel Aviv que não compete com o Uber”

Como dá para notar, o Google aposta no aproveitamento de lugares vagos no carro para viabilizar a ideia, e não na obtenção de lucro pelo motorista. Essas medidas não deixam a empresa totalmente imune a complicações com governos ou organizações que representam taxistas, mas se problemas aparecerem, nenhum deles deve ser próximo do que o Uber enfrenta em vários países (inclusive no Brasil).

Mesmo assim, o Google fez questão de ressaltar que o seu serviço é diferente: “o RideWith é um experimento na região de Tel Aviv que não compete com o Uber. Trata-se de uma plataforma criada para que motoristas se ajudem em horários de pico”, disse um porta-voz.

O Google também informou que os testes serão ampliados, mas para outras localidades de Israel. Por enquanto, a empresa não tem planos de expandir o RideWith para outros países. Mas, levando em conta que a parceria com o Uber está esfriando (o Uber adquiriu a tecnologia de mapas do Bing na semana passada, só para começar), podemos esperar algo para um futuro próximo.

Com informações: WSJ.comHaaretz

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados