Cientistas criam chip que ‘conversa’ com neurônios

Rafael Silva
Por

Cientistas da Universidade de Calgary, no Canadá, anunciaram hoje um feito que ninguém achava ser possível. Eles criaram um chip de computador que é capaz de monitorar as conversas entre células do cérebro. Um chip anterior já havia sido criado por Naweed Syed, o mesmo líder do projeto do chip atual. Mas a versão anterior não conseguia gravar as diversas atividades elétricas e químicas que aconteciam entre neurônios.

O neurochip foi criado pensando em ajudar pacientes com doenças de Alzheimer e Parkinson. Ao ser implantado no cérebro, ele servirá para testar novas drogas que combatam os sintomas de tais doenças, além de permitir o monitoramento instantâneo do efeito delas. Os primeiros testes, no entanto, serão com pacientes com epilepsia. Os pesquisadores deverão implantar um chip de silicone em uma rede de neurônios extraído do cérebro dos pacientes.

Os pesquisadores também esperam que chips desse tipo sejam usados por pessoas que tiveram um braço ou uma perna amputados. Com um chip ligado diretamente ao cérebro, tais pessoas poderão controlar com extrema precisão as partes do corpo que perderam. Um dos pesquisadores até brinca que a ideia do filme Exterminador do Futuro sempre aparece quando a equipe discute essa área.

Bom, já que já temos a Skynet aparecendo e agora os Terminators estão para serem criados, vou começar a juntar uma grana e pegar o próximo ônibus espacial para Marte. Ou Júpiter. Ou qualquer planeta fora da Terra.

Com informações: Slashdot.

Rafael Silva

Ex-autor

Rafael Silva estudou Tecnologia de Redes de Computadores e mora em São Paulo. Como redator, produziu textos sobre smartphones, games, notícias e tecnologia, além de participar dos primeiros podcasts do Tecnoblog. Foi redator no B9 e atualmente é analista de redes sociais no Greenpeace, onde desenvolve estratégias de engajamento, produz roteiros e apresenta o podcast “As Árvores Somos Nozes”.

Relacionados

Relacionados