Vodafone foi obrigada a enviar SMS em prol de ditadura

João Brunelli Moreno
Por

A operadora de telefonia britânica Vodafone afirmou que foi obrigada pelas autoridades egípcias a enviar mensagens de texto favoráveis ao regime do ditador Hosni Mubarak durante os protestos que vêm acontecendo no país.

Um repórter da agência de notícias Associated Press que está cobrindo os conflitos afirma que recebeu no último domingo um SMS em nome da operadora que pedia que “os homens honestos e leais confrontassem os traidores e protegessem a honra do povo”. Na quarta-feira, outra mensagem assinada por um grupo chamado “Amantes do Egito” pedia que a população participasse de uma manifestação de apoio ao regime, que está no governo há 30 anos.

Não demorou para que o conteúdo das mensagens fosse parar no Twitter, graças às reestabelescidas conexões à rede.

Em um comunicado oficial, a Vodafone afirma que o conteúdo das mensagens foi escrito por autoridades do governo e que não tinha o poder de mudá-las. “Argumentamos que a situação faria que o conteúdo das mensagens fosse inaceitável (…) Mas deixamos claro que a origem de todas as mensagens devia ser transparente”, afirmou a empresa. Outras operadoras locais, como a Mobinil e Etisalat também foram obrigadas a enviar mensagens com o mesmo conteúdo.

Com informações: Yahoo.

João Brunelli Moreno

Formado em comunicação e jornalismo pela Universidade Metodista de Piracicaba, João Brunelli Moreno é redator, blogueiro, roteirista e produtor de conteúdo. Venceu mais de 100 prêmios de publicidade, incluindo o 40° Profissionais do Ano realizado em 2018. Foi autor no Tecnoblog entre 2009 e 2012 cobrindo assuntos relacionados a gadgets, computadores, Apple, Google, Microsoft, entre outros.

Relacionados

Relacionados