Início / Especiais / Curiosidades /

Eu me tornei um entusiasta da air fryer, e estes são os motivos

Tenho air fryer desde 2015 e uso ela mais do que microondas; veja o que eu costumo cozinhar e como escolher a fritadeira sem óleo ideal

Lucas Braga

Por

Especial
Imagem: Guilherme Reis / Tecnoblog

Durante a Black Friday de 2021, boa parte do time do Tecnoblog resolveu comprar uma air fryer. Eu, usuário do produto desde 2015, fiquei incrédulo que tinha gente na equipe que nunca encontrou motivação para equipar a cozinha com uma fritadeira sem óleo. E aqui vou tentar explicar os motivos pelo qual esse eletrodoméstico conquistou o meu coração, que uso desde fazer batata frita até ressuscitar comida do delivery.

Como tudo começou

Minha irmã foi a precursora da air fryer na minha vida. Foi no início de 2015 que fui na casa dela, comi um torresmo (eu sou mineiro, gente) feito com a fritadeira e ele saiu crocante e sequinho. Dali foi amor à primeira vista mordida.

Não deve ter demorado nem uma semana e comprei uma air fryer da Mondial, modelo AF-03, numa promoção que saiu por um preço muito bom. Chegou, fiz batata algumas vezes, mas ela ficava tanto tempo dentro da caixa que muitas vezes esquecíamos da existência.

Air Fryer da Mondial: já foi tão utilizada que o logo da marca está sumindo (Imagem: Lucas Braga / Tecnoblog)

Em determinado momento, a caixa ficou inutilizável e ela foi migrada pra dentro do armário. A preguiça em pegar a air fryer diminuiu, passamos a utilizá-la mais vezes e enfim ela ganhou um lugar fixo na bancada da cozinha.

O tempo passou, a AF-03 continuou (e continua!) funcionando muito bem, mas acabei trocando para uma air fryer maior, também da Mondial de modelo Grand Family.

Ela faz as coisas sem (ou com pouco) óleo

O primeiro motivo que me fez tornar um air fã foi o fato dela fazer as coisas sem óleo, o que significa que sua cozinha não vai ficar bagunçada após a fritura. Sabe aquela panela cheia de óleo velho que fica guardada no forno em 8 a cada 10 casas brasileiras? A air fryer vai acabar com isso.

Na prática, a air fryer nada mais é do que um forno elétrico com uma ventoinha de alta velocidade, como se fosse um mini forninho de convecção. O vento quente jogado em cima do alimento permite que ele fique com as bordas crocantes – os experts em cozinha dizem que é a tal da reação de Maillard.

Franguinho frito na air fryer hmmmmmmmm
Franguinho frito na air fryer hmmmmmmmm (Imagem:Eng Hooi Sim / Flickr)

Para que a crocância realmente aconteça, é importante que o alimento tenha uma fina camada de óleo. Se você comprar batata frita congelada, provavelmente ela já passou por um processo de pré-fritura em óleo vegetal, então você não vai precisar adicionar gordura.

Se você vai cozinhar algum alimento in natura e quer que ele fique crocante, é ideal colocar algum tipo de óleo. Para fazer batata frita a partir do alimento cru, é ideal colocar um fio de azeite e espalhar por todos os cortes para garantir o crec crec.

Aqui vai uma dica: existe azeite de oliva em spray. Ele é bem mais caro do que o vidro tradicional, mas vale a pena manter uma latinha dessas para usar exclusivamente com a air fryer, porque facilita muito o processo de espalhar o óleo em todas as superfícies do alimento.

Já comi coisa da air fryer e achei ruim

Antes de julgar se air fryer é realmente bom ou ruim, vale a pena testar diferentes tipos de alimentos. Por mais mágica que a fritadeira possa ser, alguns produtos não ficam legais.

Por exemplo: nunca tive muita sorte com as batatas congeladas da marca McCain, uma marca comum nos supermercados que inclusive fabrica as batatinhas do McDonald’s. Ela até sai crocante por fora, mas acaba secando demais por dentro e fica com gosto ruim, enquanto o mesmo produto preparado no óleo fica bom.

Por outro lado, as batatas da marca Bem Brasil não costumam decepcionar, saem crocantes por fora e macias por dentro. (Aviso de ética: o Tecnoblog não ganhou absolutamente nada por essa divulgação. É uma dica de verdade que nem lá no Achados!)

Lavar a air fryer não dá trabalho?

Uma das coisas que mais me deixa intrigado são pessoas que reclamam da dificuldade de limpar o cesto da air fryer. Alguns até dão dica para forrar o fundo com papel alumínio, mas você não deve fazer isso porque compromete a circulação do ar.

Eu não acho a air fryer um eletrodoméstico difícil de limpar. A minha dica é recolher o óleo que saiu dos alimentos com o equipamento ainda quente, pois a gordura desliza mais fácil.

Não acho difícil limpar o cesto da air fryer (Imagem: HS You/Flickr)

Feito isso, não tem muito segredo: basta limpar com água quente, detergente e uma esponja convencional. Se você não tem água quente disponível, use a própria air fryer para esquentá-la: adicione água ao cesto e ligue por alguns minutinhos.

O que eu costumo fazer na air fryer

Um dos principais pensamentos que a gente precisa abstrair ao comprar uma air fryer é entender que ela não é apenas uma fritadeira, mas sim um mini forno de convecção.

Sendo assim, a air fryer serve para muito mais do que fritar batata, ainda que esse seja o carro-chefe do eletrodoméstico.

Aqui vai uma lista do que eu costumo fazer além da batata frita:

  • pão de queijo: quando estou sozinho ou com apenas mais uma pessoa, é legal assá-los na air fryer porque em 15 minutos está pronto. Se eu fosse fazê-los no forno, teria que esperar o forno pré-aquecer por muito tempo;
  • carnes: eu gosto de cozinhar e não dispenso uma boa frigideira, mas quando estou com preguiça simplesmente deito um bife mais grosso com sal (grosso ou de parrilha) e ligo a air fryer. Pare na metade do tempo para virar a carne e pronto, fica ótimo;
  • bacon: sai crocante e praticamente toda a gordura escorre. Fica sensacional;
  • ressuscitar a comida do delivery: esse é, talvez, um dos usos que considero mais importante para a air fryer. Sabe aquela batata frita que chegou murcha? Aquele frango empanado que ficou abafado no vapor da embalagem? Basta cinco minutinhos para reviver e comê-los como se tivessem saído da cozinha;
  • esquentar pães: se você coloca um pão pra esquentar no microondas, ele fica murcho. Na air fryer você consegue aquecê-lo mantendo as texturas mais próximas do original. Se deixar mais tempo, ainda viram torradinhas. Bônus: também funciona com pães congelados;
  • esquentar comida congelada: sabe aquele prato que você fez em uma ocasião especial e você congelou o resto? Descongele-o no microondas e mande pra air fryer. Confia em mim, vai ficar melhor;
  • batata frita com queijo e bacon: coloque a quantidade de batata congelada. Na metade do tempo, deite algumas fatias de bacon. Quando estiver pronto, deite algumas fatias de queijo prato ou muçarela por cima.

Fora isso, dá pra aquecer e fazer muita coisa na air fryer, tanto é que uso pouquíssimo o microondas por aqui. Tem gente que faz até receitas como tortas, bolo e pudim, mas não me aventuro tanto assim com o eletrodoméstico. Pra quem quiser algumas dicas, recomendo o perfil Fritadeiras do Instagram.

Como escolher uma air fryer

Em primeiro lugar: não se atenha à Philips Walita vendida pela Polishop porque é a air fryer original. Na minha opinião, outras marcas fazem produtos bons (ou até melhores) com preços muito mais baixos.

Você não precisa gastar R$ 1 mil numa Air Fryer da Philips Walita
Você não precisa gastar R$ 1 mil numa Air Fryer da Philips Walita (Imagem: Reprodução / Polishop)

Eu tenho da Mondial aqui em casa e acho bom, mas também já comi alimentos preparados em modelos da Arno, Britânia, Philco e outras marcas genéricas que não decepcionaram.

Preste atenção no tamanho e capacidade

Existem modelos de 3 litros, 4 litros, 5 litros, 12 litros… Mas o que mais importa, na minha opinião, é a largura da air fryer. Para que o alimento fique crocante é necessário que ele esteja livre para receber o vento quente, tanto por cima como por baixo.

As fabricantes costumam colocar cestinhas lotadas de batata frita nas imagens de divulgação. Se você repetir isso em casa vai ficar frustrado e comerá batata ruim.

Na hora de fazer o alimento é necessário colocar uma quantidade bem menor que o suportado pelo cesto, caso contrário os pedaços irão cozinhar de forma desigual.

Não dá pra encher o cesto desse jeito senão vai ficar horrível
Não dá pra encher o cesto desse jeito senão vai ficar horrível (Imagem: Divulgação / Mondial)

Eu gosto bastante dos modelos Family, Jumbo ou outras nomenclaturas de tamanho família, justamente por serem mais largos e caberem mais comida. Esse foi o motivo pelo qual decidimos trocar a Mondial AF-03 por uma Mondial Grand Family AF-55i aqui em casa. Foi uma substituição excelente.

O tamanho mais convencional, com 3 litros, funciona bem para quem mora sozinho ou com mais uma pessoa. Se você costuma receber amigos em casa vale à pena investir no modelo maior.

Não me dei bem com o forno air fryer

Forno air fryer: a ideia parece boa, mas na prática não me convenceu
Forno air fryer: a ideia parece boa, mas na prática não me convenceu (Imagem: Divulgação/Philco)

Aqui em casa também temos um forno elétrico com função de air fry. O modelo aqui é o PFE36S da Philco, e ele tem 36 litros de capacidade.

Por ser bem maior que uma air fryer convencional, o forno demora mais pra esquentar, o que acaba gastando muita energia. Também achei a ventoinha dele menos forte do que minha Mondial Grand Family.

Mas o maior defeito, na minha opinião, é a ausência do cesto. É super fácil servir batatas feitas na air fryer convencional, porque você destaca a cestinha com grelha e vira tudo no recipiente. Não dá pra fazer o mesmo no forno, porque a grade é larga e pouco ergonômica, obrigando o uso de pegadores para retirar o alimento.