GoPro Hero 12 Black: confira as primeiras impressões da nova action cam

GoPro Hero 12 Black tem recursos potentes para registrar momentos radicais, mas você também pode usá-la para belas fotos e vídeos de dias “pacatos”

Felipe Freitas
Por
• Atualizado há 8 meses

A GoPro Hero 12 Black foi anunciada neste mês de setembro com a proposta de ser uma câmera para registrar momentos de ação, seja algum esporte radical, uma trilha com amigos ou aproveitar a resistência à água para fotos e vídeos na praia. No entanto, eu tirei os sisos recentemente e tive que testá-la com atividades mais tranquilas. Conforme você verá abaixo, a Hero 12 Black também serve para esses momentos. O modelo tem preço sugerido de R$ 3.199.

GoPro Hero 12 Black (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
GoPro Hero 12 Black é nova geração da linha Hero (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)

Apesar de ser um produto muito associado com esportes e atividades físicas, as câmeras da GoPro ainda são… câmeras — e topo de linha. Você grava vídeos de até 5.3K/60fps e tira fotos de 27 MP. No lugar de uma longa pedala ou uma trilha, usei uma gata, quintal e cenários estáticos (na maior parte) para avaliar a GoPro Hero 12 Black.

Design robusto, com botões e slot de bateria firmes

Câmeras de ação necessitam de durabilidade. A GoPro Hero 12 Black mantém o visual robusto de gerações passadas. Você sente a firmeza ao pegar no produto. Mesmo sendo uma câmera “pequena” e com melhor manuseio em suportes, tripés e paus de selfies, segurá-la com a mão não dá a sensação de que ela vai escapar a qualquer momento.

A minha primeira e única experiência com uma GoPro foi em 2014. Eu posso não lembrar qual era o modelo das duas câmeras, mas lembro que a “fineza” dava um certo susto em manuseá-la (ainda mais que foram emprestadas para instalar em veículos do Baja SAE).

GoPro Hero 12 Black (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
GoPro Hero 12 Black trava firme para o slot de bateria e um botão de liga/desliga duro de apertar — e tá tudo bem (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)

A trava do slot da bateria é difícil de abrir e o botão de liga/desliga é duro. No entanto, isso não é algo ruim. Pense: você está fazendo uma trilha de bicicleta com a sua câmera instalada no capacete. A última coisa que você quer é a vibração abrindo o slot da bateria. Ou que, usando a câmera acoplada ao corpo, você esbarre e desligue a filmagem.

O suporte que vem com a Hero 12 Black tem uma fita adesiva dupla-face da 3M. Se você já usou uma dessas, sabe que o negócio gruda.

Fotos e vídeos de qualidade mantêm liderança da GoPro

Câmera em área sombreada, gato branco no sol como alvo: aqui a GoPro Hero 12 Black trabalhou (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
Câmera em área sombreada, gato branco no sol como alvo: aqui a GoPro Hero 12 Black trabalhou (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)

A Hero 12 Black traz melhorias pontuais para manter o status de líder do segmento. A gravação em 5.3K e as fotos de 27 MP são as mesmas (ótimas) especificações do ano passado. A novidade aqui está no suporte para HDR.

Apple, GoPro, Samsung e praticamente todas as empresas de eletrônicos estão no limite tecnológico dos produtos para consumidores. Por mais que falte uma novidade que nos deixe de queixo caído, gravar em 5.3K e tirar foto de 27 MP com uma câmera que cabe na palma da mão é surpreendente. Seu celular, monitor ou notebook muito provavelmente suporta uma resolução Full HD.

Parte do chão mais próxima da lente fica desfocado, "efeito" comum em lentes de grande angulação (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
Parte do chão mais próxima da lente fica desfocado, “efeito” comum em lentes de grande angulação (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
Fotos da GoPro Hero 12 Black continuam legado de alta qualidade (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
Fotos da GoPro Hero 12 Black continuam legado de alta qualidade (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)

Vamos aos testes

O primeiro recurso que eu queria testar na GoPro Hero 12 Black era o modo de gravação vertical, voltado para publicações em redes sociais. Este modo corta as bordas do vídeo para gravar na proporção 9:16, pronto para o Instagram ou TikTok.

O vídeo abaixo foi gravado em 4K com 30 fps (é possível usar até 60 fps no modo vertical). Este modo não permite a gravação em HDR e nem em 5.3K. Como esperado, ele corta as distorções laterais, mantendo aquelas do topo. No entanto, não tem como postar um vídeo de 4K e 60 fps no Instagram — ele será “rebaixado” para 1080p. Pelo menos a GoPro já deixa o vídeo pronto para 9:16

Para ativar o modo vertical, o modo mais simples é usando a configuração de controle Fácil. Voltado para os hobbystas, este tipo de controle deixa mais prático a troca de qualidade e proporção das capturas.

Faz sentido que a GoPro tenha optado por deixar esse recurso no controle Fácil. Será a melhor opção para quem adquirir a Hero 12 Black para lazer. O controle Profissional permite explorar mais configurações para gravações (foco do produto são vídeos) e fotos. Para os outros públicos, o objetivo são poucos cliques para conseguir os modos e qualidades desejadas.

Outro ponto importante para testar na GoPro Hero 12 Black é o HyperSmooth 6.0. O recurso de estabilização de vídeo é… bem, sensacional. Para não testar correndo pela casa, que deixaria sem graça e meu siso ainda dói, pedi ajuda para o uso do HyperSmooth 6.0 (obrigado, Fernando).

No início do vídeo, o ciclista está subindo em pé, sem usar o banco da bicicleta. A Hero 12 Black compensa muito bem as tremidas de um trecho de elevação em uma rua de lajota e com trechos de terra. Na descida você ainda percebe o balanço na câmera, mas o vídeo ainda tem uma boa suavidade — o “smooth” de HyperSmooth está justificado.  

Há algumas gerações, a linha GoPro Hero conta com modo de light painting — fotos de longa exposição para capturar um desenho feito com alguma fonte de luz, como uma lanterna. Apesar de gostar de fotografia, nunca me aventurei com isso. No entanto, o modo de light painting é fácil de aprender. Com um tempo de prática, quem adquirir uma GoPro por pode produzir imagens divertidas.

GoPro deixa a técnica de light painting mais acessível com recurso dedicado (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
GoPro deixa a técnica de light painting mais acessível com recurso dedicado (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)

GoPro e o comando de voz

O recurso de comando de voz não é novo, mas o suporte para fones de ouvido Bluetooth amplia as formas de usar a câmera.

A GoPro usou de exemplo uma gravação com câmeras instaladas na parte externa de um carro de rally. O diretor dentro do carro pode preparar as câmeras e ligá-las ou desligá-las por meio do seu fone, sem necessitar do celular.

Apesar do comando de voz ser prático, a GoPro precisa melhorar as falas. Eu tentei alguns comandos para gravar um vídeo e não tive sucesso. Ao pesquisar no site da empresa, descobri que a câmera só funciona com “GoPro, comece a gravar”. Aqui a Alexa dá aula.

A dificuldade com o comando de voz me mostrou outro problema: a ausência de um manual no aplicativo Quik. Para usar as novas GoPro, você precisa configurar a câmera com o app. Contudo, por que obrigar esse pareamento se o Quik não tem um manual ou tutorial?

A GoPro Hero 12 Black vale a pena?

GoPro Hero 12 Black (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)
GoPro Hero 12 Black (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)

Fernando Pessoa diz em “Mar Português” que “tudo vale a pena se a alma não é pequena”. Se você está pensando em comprar a sua primeira GoPro, sua alma fotográfica não pode ser pequena — uma maneira bonita de dizer que depende. Não tanto pelo preço, mas porque ela fornece vários formatos de conteúdo que vão além de publicar nas redes.

Assim, você que contempla a GoPro Hero 12 Black e não é lá um esportista deve levar em conta como pretende usá-la. Apesar de ser uma action camera, ela pode tranquilamente ser usada para registrar momentos em família, rolês com amigos e outras atividades de lazer — a durabilidade ajuda nos eventos mais festivos. Se a câmera do seu celular já te atende, talvez a Hero 12 Black seja uma compra que vá parar na gaveta. E você tem umas etapas a mais até gravar a foto ou vídeo e publicar nas redes (ou mandar no grupo da família do WhatsApp).

Para os esportistas, a resposta é sim. Por estar “lesionado”, não consegui testá-la no ciclismo (prática esportiva que amo). No entanto, eu imaginei as centenas de fotos e vídeos que poderia capturar durante uma pedalada aqui em Florianópolis. Atletas profissionais, amadores, fãs de atividades físicas e criadores de conteúdo são o público-alvo da GoPro. A câmera traz novas formas de registrar suas práticas esportivas e gravações em geral.

E o upgrade de geração? Com tudo que a GoPro Hero 12 Black entrega, o preço de R$ 3.199 não está elevado — eu esperava algo acima de R$ 4.000. O fator crucial para pular da Hero 11 Black para a Hero 12 Black, além do seu bolso, está na necessidade de maior autonomia de bateria. O dobro do tempo ligada é um quesito especial para criadores de conteúdo.

Receba mais sobre GoPro na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados