Satélite Dragon da SpaceX

Satélite de carga Dragon, da SpaceX

O plano de Elon Musk para oferecer acesso à internet a partir de satélites ganha cada vez mais força. Neste final de semana, durante a inauguração de uma filial da SpaceX em Seattle, o visionário empreendedor revelou novas facetas do projeto. Uma delas, acredite, é facilitar a comunicação com Marte.

A prioridade continua sendo a Terra, é claro. Como adiantamos aqui, a ideia é colocar em órbita pelo menos 700 satélites para oferecer acesso à internet a partir do espaço.

Estes satélites fugirão do convencional. Para começar, serão relativamente pequenos e leves, pesando cerca de 115 quilos, provavelmente. Além disso, orbitarão em baixa altitude – algo em torno de 1.200 quilômetros acima da superfície terrestre.

Em órbita baixa, a latência da comunicação (resumidamente, o tempo que um dado leva para chegar ao destino) tende a ser menor que aquelas proporcionadas pelos satélites convencionais. Ao menos teoricamente, este aspecto abre caminho para a oferta de velocidades maiores.

Este ponto está diretamente ligado a outro objetivo de Musk: oferecer acesso à internet no máximo possível de lugares e não apenas em localidades de difícil acesso ou com infraestrutura precária, diferente das propostas do Google Project Loon e do Internet.org, do Facebook.

O plano é complementar – ou mesmo rivalizar com – os serviços atuais oferecidos via fibra óptica e redes móveis. É por isso que os satélites deverão oferecer conexões de alta velocidade, tanto quanto possível.

A comunicação entre os satélites é tida como um dos fatores para este fim: em vez de passar por servidores em terra, por exemplo, informações transmitidas sob determinadas circunstâncias podem trafegar de um satélite para outro até o destino ser alcançado.

Elon Musk (fonte: Wired)

Elon Musk

E como Marte entra nesta história? Não é novidade que Elon Musk planeja, no longo prazo, construir uma colônia no planeta vermelho. O alicerce deste projeto é um abrangente sistema de transmissão baseado – adivinhe – em satélites. Um segundo sistema faria então a comunicação da rede de Marte com os satélites que cobrem a Terra.

Soa como uma ideia megalomaníaca de alguém fissurado em ficção científica, não? Mas, para um empresário que está por trás de companhias como Tesla Motors e SpaceX, além de projetos como o Hyperloop (conceito de transporte em massa de alta velocidade), um perfil assim está longe de ser um defeito.

Com informações: ExtremeTech, BusinessWeek

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados