Quais apps do iOS estão na sua pastinha de coisas inúteis da Apple?

Paulo Higa
Por
Quais apps do iOS estão na sua pastinha de coisas inúteis da Apple?

Desde sempre, a Apple embute uma porção de apps no iOS que não podem ser removidos. Alguns dos ícones são realmente essenciais, como o Ajustes, App Store ou Telefone (ok, talvez esse último não seja tão importante para algumas pessoas). Mas outros têm utilidade bastante duvidosa, como o Apple Watch, que aparece independentemente de você possuir o relógio, e o Bússola, que dispensa explicações.

Em vez de permitir que os usuários removam ou ocultem os apps que não usam, a Apple seguirá o caminho contrário no iOS 9, que passa a trazer nativamente o Buscar meus amigos (para encontrar contatos próximos a você) e o Buscar Meu iPhone (que também localiza iPads e Macs perdidos). O que acontecerá com eles? Bem, eu tenho uma pastinha chamada “Lixos da Apple“ só para esses apps — e imagino que você faça algo parecido.

A intenção aqui é descobrir quais apps do iOS cada um de nós coloca no limbo, e se existem opções melhores para as soluções nativas da Apple. Vamos lá? Eu começo.

Neste momento, existem 21 apps da Apple na minha pasta de inutilidades. São eles:

apple-inutilidades
  • Contatos: o próprio app Telefone já traz essa função, de forma que faz pouco sentido ter um ícone dedicado para isso.
  • Mapas: na minha opinião, existem opções melhores que os mapas da Apple. A maioria opta pelo Google Maps, mas minha escolha é o HERE Maps, que possui suporte a mapas offline e rotas de transporte público.
  • Relógio, Câmera e Calculadora: é mais rápido acessar esses apps pela central de controle, que está a um deslizar de dedo de distância. Além disso, no caso do Relógio, troco a função de despertador pelo Sleep Cycle (US$ 1,99), que me acorda num momento mais oportuno, quando estou com sono leve, e ainda gera gráficos bacanas sobre o meu sono.
  • Calendário: embora não seja ruim, uso o Sunrise, da Microsoft, que integra bem com vários serviços, como Wunderlist, LinkedIn, Facebook, Trello e até Foursquare. Mesmo antes do Sunrise, usava o Fantastical (US$ 4,99) pela interface mais elaborada.
  • Bússola: não sou marinheiro e também nunca usei a função de nivelador.
  • Game Center: pode ser útil para quem é competitivo e gosta de desafiar seus amigos que também possuem iDevices. Não é o meu caso.
  • Tempo: o Yahoo Tempo possui uma interface mais caprichada, além de mostrar informações adicionais, como a probabilidade de chuva em vários momentos do dia.
  • Apple Watch: aparentemente, não pareia com o meu relógio Citizen.
  • Dicas: é um app interessante para novatos no iOS, trazendo dicas de recursos não muito óbvios, mas tem pouca utilidade para usuários mais experientes.
  • Banca: funciona para quem lê revistas, mas também não é o meu caso. O Notícias, que virá no iOS 9, provavelmente será mais interessante.
  • Bolsa. acompanho diariamente a cotação do dólar e algumas papeis na bolsa, mas faço isso usando o widget na central de notificações.
  • Vídeos: é, talvez, o app mais inútil de todos, desde que o iOS ainda se chamava iPhone OS. Uso o VLC quando quero ver alguma coisa no iPhone ou iPad, que acessa serviços de nuvem, permite enviar arquivos por Wi-Fi e reproduz vídeos com praticamente qualquer codec, sem dores de cabeça.
  • iTunes Store: em tempo de serviços de streaming de música crescendo a todo vapor, está difícil justificar um gasto de dezenas de reais para comprar apenas um álbum — e o fato da Apple cobrar em dólar só piora as coisas.
  • Mail: o Mailbox me agrada mais e ajuda a organizar a bagunça da minha caixa de entrada, que frequentemente lida com mais de 200 emails por dia.
  • FaceTime: foram raras as vezes em que precisei fazer uma chamada em vídeo pelo iPhone. Mas, nas poucas ocasiões, o Skype sempre me serviu bem e não exigiu que a outra pessoa também tivesse um iDevice ou Mac.
  • Podcasts: melhorou muito, mas ainda prefiro o Pocket Casts (US$ 3,99), que sincroniza minhas assinaturas na nuvem e permite que eu acompanhe os mesmos episódios, de onde parei, em outros aparelhos — como estou sempre testando Androids, essa função é particularmente útil por aqui.
  • Notas e Lembretes: são apps tão simples, mas tão absurdamente simples, que não me atendem, tanto que finalmente ganharão uma repaginada no iOS 9. Para fazer anotações, uso o OneNote. Já para as listas de tarefas, minha escolha é o Wunderlist, também da Microsoft.
  • Gravador: eu gravo bastante áudio no celular, seja para entrevistas ou para alguma aula complicada que ouvirei posteriormente, mas prefiro o Recordium (US$ 9,99) pelos recursos de recorte, anotações, ajuste do volume de gravação e salvamento na nuvem.

Sua vez!

Relacionados

Relacionados