Notícias Celular

Google PhotoScan digitaliza (e trata) suas fotos antigas com machine learning

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O Google lançou um aplicativo na terça-feira (15) para escanear fotos impressas por meio da câmera do smartphone. Inúmeros programas já fazem isso, como CamScannerScanbot e Genius Scan — a diferença é que o PhotoScan tem algoritmos de aprendizagem de máquina para tratar as fotos da melhor forma possível, removendo reflexos indesejados e endireitando a imagem automaticamente.

google-photoscan

O PhotoScan é bem simples: basta abrir o aplicativo, tirar uma foto da sua foto antiga e, depois, apontar a câmera do smartphone para os quatro cantos da fotografia impressa. Ele detecta as bordas da foto (é importante deixar a foto sobre uma superfície de cor diferente), ajusta o ângulo da imagem e remove os reflexos — assim, você pode escanear uma foto mesmo que ela esteja atrás de uma moldura de vidro, por exemplo.

Como não poderia deixar de ser, você pode enviar todas as fotos escaneadas com apenas um toque para o Google Fotos, que trouxe melhorias, como um ajuste automático aprimorado, 12 novos filtros e configurações avançadas de brilho, contraste, saturação e exposição.

Eu fiz alguns testes com o PhotoScan e o resultado foi bem impressionante: num ambiente pouco iluminado, apontando o flash da câmera do celular (!) para uma foto com acabamento brilhante, o aplicativo foi capaz de digitalizar a foto corretamente, sem nenhuma luz estourando no meio da imagem. Mesmo exigindo cinco fotos da mesma foto, é um aplicativo que pode te poupar um bom tempo.

O aplicativo está disponível gratuitamente para Android e iOS.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque