Até que foi rápido: um dia depois de admitir que estava reduzindo propositalmente o desempenho de iPhones com baterias antigas, a Apple levou um processo nos Estados Unidos que pede reparação de danos.

A ação coletiva está sendo movida pelos usuários Stefan Bogdanovich e Dakota Speas, no estado da Califórnia. O processo argumenta que a funcionalidade da Apple que diminui a velocidade do processador de iPhones antigos nunca foi solicitada ou aceita pelos proprietários, e que ela reduz o valor de seus smartphones.

Além disso, os autores da ação tocam no assunto da obsolescência programada. Segundo eles, a Apple teria implementado o recurso apenas para forçar os donos de iPhones a trocarem seus aparelhos, já que não informa que a perda de desempenho está relacionada à degradação na bateria.

Em comunicado, a Apple explicou que “as baterias de íons de lítio tornam-se menos capazes de atender às demandas de pico de corrente […] à medida que envelhecem ao longo do tempo, o que pode resultar no desligamento inesperado do dispositivo para proteger seus componentes eletrônicos”, confirmando que o recurso está presente nos iPhones 6, 6s, SE e 7.

Agora, a empresa pode ser obrigada a parar de limitar o desempenho dos iPhones por software e compensar financeiramente os usuários. Os autores querem que a decisão seja válida para todos os proprietários de iPhones anteriores ao 8 que morem nos Estados Unidos.

Com informações: MacRumors.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Relacionados