Amazon - robô

A Alexa já tem voz e, em breve, pode ganhar cara e corpo: depois do sucesso dos alto-falantes inteligentes Echo nos Estados Unidos, a Amazon estaria planejando criar um robô doméstico baseado na assistente virtual. A informação vem da Bloomberg.

Fontes próximas à companhia disseram ao veículo que o projeto está sendo desenvolvido há anos e já tem até codinome: Vesta, nome da deusa da mitologia romana que simboliza laços familiares e o lar. O robô estaria a cargo da Lab126, subsidiária da Amazon responsável por projetos de pesquisa e desenvolvimento. É de lá que linhas como Kindle e Echo saíram.

Não há nenhuma informação sobre o que a máquina será capaz de fazer. Mas, pelo foco no ambiente doméstico, é de se esperar que o robô possa se mover por qualquer cômodo da casa e atender a comandos de voz para realizar tarefas que os alto-falantes já podem fazer — sensores, câmeras e um sistema de visão computacional fariam o projeto se transformar em uma Alexa “ambulante”.

É um mercado de nicho, mas promissor. Robôs domésticos já existem, sobretudo no Japão. Por lá, o robô humanoide Pepper é relativamente famoso. Ele foi desenvolvido para identificar emoções e interagir de modo correspondente, razão pela qual o seu público-alvo inclui pessoas que vivem sozinhas.

Amazon Echo de segunda geração

Amazon Echo

O problema do Pepper e de robôs semelhantes é que eles são caros. Se a Amazon criar algo capaz de oferecer uma boa experiência e, ao mesmo tempo, não cobrar caro por isso, talvez o projeto Vesta consiga vingar.

Mas, de novo, as informações são escassas. As fontes ouvidas pela Bloomberg especulam apenas que o robô deverá ser testado na casa de funcionários no final do ano e, se tudo der certo, chegará ao mercado em 2019.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados