Início / Notícias / Negócios /

Uber recebe permissão em São Paulo para alugar patinetes elétricos

Autorização da Uber sobre patinetes foi publicada no Diário Oficial de São Paulo

Por

No final de 2019, a Uber começou a disponibilizar patinetes em Santos (SP). Em breve, o mesmo serviço vai ser oferecido na capital paulista: o Diário Oficial da Cidade de São Paulo do último dia 24 informa, na página 21, que a empresa obteve autorização para oferecer serviço de compartilhamento de patinetes elétricos no município.

Uber - patinete

A autorização foi concedida à Jump do Brasil Tecnologia. O nome não está errado. Em 2018, a Uber comprou a Jump, startup americana especializada justamente no compartilhamento de patinetes e bicicletas. Desde então, a empresa vem se expandindo pelos Estados Unidos e outros países.

Agora é a vez do Brasil. Mas, por aqui, os patinetes exibem o logotipo da Uber, não o da Jump, provavelmente por conta da grande aceitação que a marca da primeira tem no país.

Em Santos, a Uber cobra R$ 1,50 pelo desbloqueio do patinete mais R$ 0,75 por cada minuto de uso do equipamento. Não é necessário um app específico: o patinete pode ser desbloqueado no aplicativo padrão da Uber.

Na cidade de São Paulo, os preços e a prestação do serviço provavelmente serão os mesmos. Não está claro quando a modalidade começará a ser ofertada na cidade, mas, ao Mobile Time, a companhia informou que “os preparativos para o lançamento estão em estágio avançado e, em breve, os usuários poderão visualizar os patinetes na tela do celular”.

Patinete da Uber em Santos

Há um clima de otimismo com relação à chegada dos patinetes da Uber à capital paulista, até porque a novidade pode abrir caminho para a disponibilização do serviço em mais cidades.

Porém, o momento é de apreensão para o segmento. Embora o compartilhamento de patinetes seja uma mercado relativamente novo, ele já passa por uma crise. No Brasil, a Lime deixou de oferecer seus serviços nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro; já os patinetes da Grin e Yellow deixaram de ser disponibilizados em 14 municípios e, agora, só existem nas mencionadas capitais e em Curitiba.