Lee Kun-hee, líder da Samsung por três décadas, morre aos 78 anos

Lee Kun-hee foi responsável por transformar Samsung em gigante global, mas também se envolveu em escândalos

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos
Kun-Hee Lee (imagem: Reuters/Steve Marcus)
Lee Kun-hee (imagem: Reuters/Steve Marcus)

No último domingo (25), a Samsung comunicou a morte, na mesma data, de Lee Kun-hee. O executivo tinha 78 anos e, apesar de não ser muito conhecido internacionalmente, seu trabalho teve repercussão global. Ele foi líder da Samsung por três décadas e o principal responsável por transformá-la em uma das maiores companhias de tecnologia do mundo.

O sucesso da Samsung como negócio com presença ativa em vários segmentos da indústria é creditado a Kun-hee. A companhia foi fundada por seu pai, Lee Byung-chul, em 1938 e, inicialmente, comercializava peixes, frutas e vegetais. Somente no final da década de 1960 é que a Samsung adentrou no universo dos eletrônicos.

Foi mais ou menos nessa época que Lee Kun-hee passou a trabalhar na empresa do pai. No entanto, ele só viria a assumir a presidência da Samsung em 1987, depois do falecimento de Lee Byung-chul.

Nos anos seguintes, a Samsung passou por uma transformação radical. Determinado a fazer a companhia prosperar, Kun-hee estabeleceu, em 1993, um modelo de administração que incluiu desenvolver produtos mais sofisticados e afastar a empresa da reputação de marca de itens baratos.

Deu tão certo que a Samsung acabou se tornando a companhia mais valiosa da Coreia do Sul. Nas décadas seguintes, a empresa virou referência no desenvolvimento e fabricação de uma ampla variedade de produtos, com destaque para celulares, TVs, eletrodomésticos e chips.

Ao contrário dos líderes de companhias como Apple, Microsoft e Google, Kun-hee sempre foi reservado. Entrevistas ou pronunciamentos públicos da sua parte eram raros. Mas, nos bastidores, Lee Kun-hee era bastante atuante e considerado um líder visionário.

Não por acaso, o empresário se tornou o homem mais rico da Coreia do Sul. A Forbes aponta que ele faleceu com uma fortuna estimada em US$ 21 bilhões.

Mas a trajetória de Lee também foi cercada de escândalos. Ele foi presidente da Samsung de 1987 a 1998. Neste último ano, ele assumiu a função de CEO e permaneceu nela até 2008, quando, após condenação por evasão fiscal e corrupção, decidiu renunciar.

Samsung Galaxy Note 20 (Foto: Paulo Higa/Tecnoblog)

Samsung Galaxy Note 20 (Foto: Paulo Higa/Tecnoblog)

Com penas abrandadas e um perdão concedido no final de 2009 pelo então presidente da Corei do Sul Lee Myung-bak, Lee Kun-hee voltou à presidência da Samsung em 2010 e permaneceu na função até o seu falecimento.

Porém, nos últimos anos, o empresário vinha dividindo a liderança da Samsung com seu filho Lee Jae-yong (que também teve problemas com a justiça, chegando a ser preso em 2017 e tendo a sua pena anulada no ano seguinte). Isso porque Lee Kun-hee sofreu um ataque cardíaco em 2014 e tinha, desde então, a saúde debilitada.

Não ficou claro se a causa da morte teve relação com o estado de saúde de Kun-hee nos últimos anos.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados