Início / Notícias / Cultura /

Internet Archive digitaliza raridades e mais de 250 mil discos 78 rpm

Processo delicado e complicado transforma em mídia digital discos físicos com mais de 100 anos de idade, mas ainda tocáveis

Melissa Cruz Cossetti

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O Internet Archive — site que abriga uma biblioteca gratuita sem fim e também sem fins lucrativos com milhões de livros, filmes, software e sites — tem trabalhado desde 2016 para digitalizar milhares de discos 78rpm, alguns dos quais feitos nas primeiras décadas de 1900. O projeto, em parceria com a George Blood LP, está digitalizando mais de 250 mil deles e foi detalhado em um vídeo curioso no Twitter no último domingo (25).

Great 78 Project (Imagem: Divulgação / George Blood LP)

Great 78 Project (Imagem: Divulgação / George Blood LP)

Antes de mais nada…

O que é um disco 78 rpm?

Os discos produzidos no final da década de 1890 até o fim de 1950, rodavam a 78 rotações por minuto (rpm). Também conhecidos como goma-laca, podiam variar de tamanho — de 25 a 30 centímetros de diâmetro, comportando de três a cinco minutos de gravação por lado. Eram comumente vendidos sem encartes, com capa de envelope simples e informações das faixas apenas no rótulo colado no centro das chapas.

Great 78 Project

Dito isso, a turma do Internet Archive e da George Blood LP está tendo o famoso “trabalhão”. O Great 78 Project é um projeto colaborativo para a preservação, pesquisa e descoberta de registros em 78 rpm. De 1898 até o final de 1950, cerca de três milhões de lados (gravações em média de três minutos) foram feitos no formato. Embora as gravações comercialmente viáveis tenham sido restauradas e remasterizadas em LPs (vinil) ou em CDs, ainda há valor histórico nos raros discos em gravações de 78 rpm.

Como é a digitalização de discos 78 rpm

Cada disco é limpo em uma máquina de lavar que trabalha borrifando água destilada e usando um pequeno braço de vácuo para sugar a água, junto com toda a sujeira que se acumulou nos sulcos do disco ao longo dos anos — alguns deles com mais de 100 anos.

Os discos são então fotografados e as imagens são analisadas para extrair o máximo de informações dos rótulos internos  e adicioná-las ao banco de dados manualmente. Enquanto a maioria dos discos são das gravadoras Columbia, RCA Victor e Capitol, a equipe de digitalização também encontrou 1.700 outros selos, devidamente registrados.

Os discos 78 rpm, por não terem tamanhos e sulcos padronizados, são tocados em uma vitrola especial com quatro braços e suas respectivas agulhas. Cada versão captada por cada agulha deste toca-disco está disponível para download separadamente, com o nome do arquivo mostrando “3.3_CT” ou outro correspondente a agulha que foi usada.

Os quatro braços operando simultâneos sobre um disco centenário podem preocupar os mais cuidadosos, mas a maioria desses 78rpm é feita de goma-laca muito dura, o que os torna propensos a quebrar se manuseados com desleixo, mas também são resistentes o suficiente para que os sulcos não sejam danificados. Toca-discos mais novos também exercem menos força sobre o disco do que os aparelhos antigos.

Toca-discos Technics com 4 braços (Imagem: Divulgação / George Blood LP)

Toca-discos Technics com 4 braços (Imagem: Divulgação / George Blood LP)

Navegar pela coleção inteira pode ser assustador, é muita coisa! Mas você pode restringir sua navegação por ano, gênero e artista ou mesmo país, como o Brazil (com z).

Se você preferir se surpreender com uma “novidade antiga” de hora em hora, a conta @great78project no Twitter posta um novo registro da coleção a cada 60 minutos.

Alguns dos 78rpm já eram picture disc — discos cobertos por uma imagem impressa em toda a superfície. Você pode conferir alguns deles filtrando por essa opção no site.

Confira o vídeo também no YouTube do Internet Archive:

“A digitalização tornará essa música mais rara acessível aos pesquisadores em um formato em que ela possa ser manipulada e estudada sem danificar o disco físico.

Não há como prever se as versões digitais desses 78 rpm vão durar mais que as mídias físicas, então estamos preservando ambos para garantir a sobrevivência dos materiais para as gerações futuras”, explica a equipe por trás do projeto.

Com informações: great78.archive.org e The Verge