Elon Musk fica fora do conselho do Twitter e poderá comprar ainda mais ações

Ao desistir de assumir uma vaga no conselho administrativo do Twitter, Elon Musk pode comprar ainda mais ações e aumentar sua influência na plataforma

Pedro Knoth
Por

O bilionário Elon Musk desistiu de fazer parte do conselho administrativo do Twitter, revelou o CEO da rede social, Parag Agrawal, em uma nota publicada no domingo (10). O diretor executivo da Tesla e da SpaceX estava prestes a se tornar conselheiro do microblog após comprar 9,2% de participação como maior acionista individual da plataforma, mas decidiu recuar. Caso aceitasse o cargo, Musk ficaria restrito a comprar apenas 14,9% da empresa.

Elon Musk, CEO da Tesla (Imagem: Oberhaus/Flickr)
Elon Musk, CEO da Tesla (Imagem: Oberhaus/Flickr)

Em seu próprio perfil no Twitter, Agrawal anunciou a desistência de Musk para assumir uma vaga. “Nós anunciamos na última terça-feira (5) que Elon Musk iria assumir uma posição no conselho administrativo do Twitter”, escreveu o CEO do microblog. Mas Musk teria manifestado o desejo de não tomar a posição no quadro executivo um dia antes.

Agrawal diz que, mesmo que Musk não faça parte do conselho administrativo, os acionistas do Twitter continuarão a escutar as sugestões — já tiveram várias — do maior acionista individual da rede social.

Para o Twitter, a desistência de Musk traz um futuro incerto. Por enquanto, o CEO da Tesla já expressou sua vontade de trazer novos recursos, como o botão de editar tuítes, e de tomar decisões mais “inusitadas”, como transformar os escritórios da rede social na cidade de São Francisco em um abrigo para pessoas sem-teto.

O anúncio de Agrawal fez com que Elon Musk deletasse alguns de seus tuítes publicados no final de semana. Em um deles, o empresário reagiu à nota do CEO do Twitter com um emoji de surpresa. Outra postagem estranha, até mesmo para o padrão do bilionário, considerado “zoeiro”, foi uma pergunta a seus mais de 80 milhões de seguidores sobre uma possível morte da rede social, já que algumas das celebridades mais seguidas ficam meses sem publicar nada.

De acordo com o contrato divulgado à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês), o Twitter planejava manter Musk no conselho administrativo pelo menos até 2024. A entrada do bilionário como acionista do microblog fez com que as ações da companhia na Nasdaq, bolsa de valores norte-americana, subissem 30%.

Interesse de Musk no Twitter é pessoal, dizem analistas

Até o momento, Musk não revelou o motivo para investir no Twitter, muito menos para se tornar o maior acionista individual da plataforma — inclusive acima do próprio fundador, Jack Dorsey. Mas o bilionário já mostrou preocupação com a liberdade de expressão na rede social, que ele considera ser uma “praça pública” na internet.

Analistas da consultoria financeira Bernstein alegam que o interesse de Musk no Twitter é pessoal. O CEO da Tesla se junta a outros 15 bilionários que possuem alguma participação em empresas de mídia, incluindo Jeff Bezos (fundador da Amazon e dono do jornal Washington Post).

“Vemos o interesse no Twitter como uma possível distração para Musk e para os acionistas da Tesla, já que o bilionário está demasiadamente comprometido com a plataforma devido a sua defesa veemente da liberdade de expressão”, explicaram os analistas da Bernstein.

Vale lembrar que o papel do conselho administrativo de uma empresa é fiscalizar ações e membros do quadro de diretores, e isso inclui votar propostas e eleger cargos executivos. Nesse sentido, caso fizesse parte do Twitter como conselheiro, Musk seria uma ponte direta entre acionistas e executivos.

De acordo com o Tech Crunch, Elon Musk ainda aparecia no site de relações com investidores, até a manhã desta segunda-feira (11), como conselheiro da plataforma.

Com informações: The Verge

Relacionados

Relacionados