Telegram recupera endereços inativos e quer leiloá-los futuramente

Usernames estavam nas mãos de agentes iranianos que pretendiam revendê-los; Telegram planeja criar marketplace de nomes, emojis e stickers

Giovanni Santa Rosa
Por

Pavel Durov, CEO e fundador do Telegram, já disse que considera vender nomes de usuário, de grupos e de canais. O app deu um passo nesse sentido: removeu todos os links públicos de canais que estavam vazios ou inativos — e o executivo voltou a falar em leiloar estes endereços.

Logotipo do Telegram
Telegram (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Em seu canal, Durov disse que 70% de todos os nomes de usuário do Telegram tinham sido reservados por cybersquatters do Irã e eram mantidos em canais inativos.

Cybersquatter é o nome dado a um agente que reserva domínios e endereços que podem ser importantes para outras pessoas. Eles não têm a intenção de usá-los, apenas revendê-los a preços exorbitantes.

O Telegram, então, tomou providências. Em meados de agosto, todos os endereços públicos de canais que estavam vazios ou nativos há mais de um ano foram removidos.

Endereços serão limitados por geolocalização

Durov diz que 99% destes endereços serão disponibilizados novamente, mas não de modo amplo.

Eles serão distribuídos com limitações de algoritmo e geolocalização. A intenção é que mais usuários possam selecioná-los para eles não caírem novamente nas mãos de poucos.

Nem todos, porém, serão colocados para uso imediatamente. Durov reafirmou sua intenção de leiloá-los.

“Assim, aqueles que comprarem links fáceis de lembrar estarão motivados a dar um bom uso para eles, além de acrescentar valor para nossos usuários, com conteúdo original em endereços t.me”, diz o executivo.

Telegram precisa de dinheiro

Além do bom uso, o Telegram também pode estar atrás de formas de receita. Durov já falou em vender itens como emojis e stickers em um marketplace, por meio de contratos inteligentes em blockchain. A empresa também lançou uma assinatura premium com recursos extra.

O Telegram já chegou a precisar de US$ 700 milhões para pagar dívidas, então é compreensível que a plataforma esteja buscando jeitos de ganhar dinheiro.

Novos endereços do Telegram

Voltando aos usernames, Durov anunciou que, agora, também é possível acessá-los por links com o esquema tecnoblog.t.me. Os links antigos, como t.me/tecnoblog, continuam valendo.