Mentira de Elon Musk sobre Tesla deve custar bilhões de dólares na Justiça

Tweet de Musk sobre fechar o capital da montadora e pagar US$ 420 por ação foi considerado falso; agora, investidores querem indenização

Giovanni Santa Rosa
Por

Elon Musk ganhou muito destaque no noticiário ao longo dos últimos meses pela compra do Twitter e pelas muitas polêmicas que se seguiram. Ser manchete por falar demais, porém, não é novidade para ele — e em alguns casos, isso já teve sérias consequências. O bilionário agora será julgado por postar na rede social, em 2018, que tinha dinheiro garantido para fechar o capital da Tesla.

Elon Musk
Elon Musk (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Musk é alvo de um processo coletivo movido por investidores da Tesla no Distrito Norte da Califórnia (EUA). A decisão será tomada por um júri, cuja seleção começa em 17 de janeiro.

Os investidores alegam ter sido prejudicados por um tweet em que o bilionário propunha fechar o capital da montadora, pagando US$ 420 por ação.

A ideia não tinha muita base e não foi para frente, mas teria sido suficiente para influenciar o mercado.

A ação diz que os investidores perderam bilhões de dólares com a flutuação dos preços de ações, títulos de dívida e opções da empresa entre 7 de agosto de 2018, data do tweet, e 17 de agosto de 2018, quando ficou evidente tudo não passava de mentira.

Agora, eles querem que Musk arque com os prejuízos do malfadado tweet.

Professores de Direito ouvidos pelo Ars Technica e pela Reuters acreditam que os investidores vão ganhar o processo. No entanto, é preciso definir qual foi o prejuízo causado pelos tweets enganosos.

Segundo documentos da defesa, os investidores querem uma indenização de US$ 66,67 por ação. Musk discorda do cálculo.

Por outro lado, uma decisão judicial de abril de 2022 já considerou que as mensagens postadas pelo bilionário eram falsas e imprudentes. Isso já coloca os investidores em vantagem no júri, segundo os professores ouvidos nas reportagens.

Musk teve que deixar presidência de conselho da Tesla

Caso você não se lembre, em agosto de 2018, Musk escreveu em seu Twitter que estava considerando fechar o capital da Tesla e tirar a empresa da bolsa de valores.

Ele pagaria US$ 420 por ação, cerca de 20% a mais do que o valor na época, e teria dinheiro garantido para isso.

Nos dias seguintes, o executivo enviou e-mails a funcionários e fez mais declarações, tudo dando a entender que a proposta era realmente séria.

No fim do mês, porém, Musk recuou. Ele alegou que os acionistas foram contra a ideia e que a operação traria desafios.

A SEC, comissão que fiscaliza o mercado financeiro dos EUA, considerou que tudo não passava de uma brincadeira. O órgão declarou que “420” é um número relacionado à maconha, e o valor teria sido escolhido para fazer uma piada e agradar a namorada de Musk à época, a cantora Grimes.

Além disso, Musk não tinha discutido o assunto a fundo. As conversas com o fundo soberano da Arábia Saudita para conseguir financiamento eram apenas preliminares

Brincadeira ou não, o caso teve consequências para Musk já em 2018. A SEC aplicou a ele uma multa de US$ 20 milhões e o obrigou a deixar o cargo de presidente do conselho administrativo da Tesla. O órgão considerou que o executivo manipulou o mercado com suas mensagens.

Com informações: Ars Technica, Reuters.

Relacionados

Relacionados