Consultora que ajudou Twitter a ser comprado por Musk recebe calote do Twitter

Charles River Associates foi contratada pela antiga gestão para ajudar em processo contra Elon Musk e forçar compra da plataforma; nova diretoria continua sem pagar

Felipe Freitas
Por

Diz o ditado: o mundo não gira, ele capota. Agora, quem sente essas palavras na pele é a consultoria jurídica Charles River Associates (CRA). Em agosto de 2022, o escritório foi contratado pelo Twitter para forçar que Elon Musk comprasse a rede social. Na época, Musk havia anunciado a desistência do negócio — depois de semanas queimando a imagem do Twitter.

Twitter (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Twitter (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A contratação da consultoria aconteceu um mês desse anúncio de Musk. Em outubro, quando toda a disputa judicial indicava que ele perderia a ação e seria forçado a comprar a rede social, o bilionário “desistiu de desistir” e finalizou a aquisição do Twitter. Porém, problemas de gestão levaram a empresa a dar calote, incluindo no aluguel da sede em São Francisco.

Consultora: “você recebe US$ 44 bilhões, eu recebo US$ 0?”

Eu adoro ditados, mas não concordo que a vida é uma caixinha de surpresa. A vida está mais para uma série de ironias. Talvez a Charles River Associates não pense isso, mas os sócios devem sentir um gosto amargo por terem feito bem o seu trabalho não receberem nada por isso.

No processo aberto contra o Twitter e divulgado pelo Ars Technica, a CRA informa que forneceu serviços para a rede social entre 15 de agosto e 27 de outubro para tratar do litígio da empresa com Elon Musk — a compra foi concretizada no dia 28 de outubro. A consultora afirma que a plataforma está devendo US$ 2,19 milhões de dólares pelos serviços prestados.

E tanta coisa acontecendo no Twitter de Elon Musk que noticiá-las chega a ser difícil (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)
“Pendura essa, chefia” (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Porém, a CRA cobra também os custos da ação e juros pelos atrasos. Resta saber quando e se o Twitter irá pagar tudo isso — Musk é vingativo e deve dificultar a vida de quem o forçou a entrar no caos do Twitter.

Além disso, a consultora informa na ação judicial que entrou em contato com a plataforma para cobrar o que deve e não teve nenhuma resposta. O Twitter também responde por não pagar 14 meses US$ 136.000 de aluguel, US$ 1,09 milhão para a empresa de software Imply Data (com contrato até 2024) e US$ 197.725 por transportes de jatinho de Elon Musk durante os dias 26 e 27 de outubro — antes do bilionário finalizar a compra, mas ainda assim dívidas da companhia.

Relacionados

Relacionados