Imgur vai banir imagens de pornografia de seus servidores

Conteúdo explícito será excluído e não mais permitido na plataforma; imagens antigas e não utilizadas também dirão adeus ao site

Ricardo Syozi
Por
Imgur
Imgur (Imagem: Reprodução / Internet)

O Imgur, site gratuito para hospedar imagens, anunciou na quarta-feira (19) que vai alterar os termos de serviço para todos os usuários. Como resultado, as pessoas não poderão mais realizar o upload de imagens com conteúdo de “nudez, pornografia e sexualidade explícita”. Aqueles que têm esse tipo de arquivo nos servidores da página podem realizar o download para suas máquinas pessoais até o dia 14 de maio de 2023.

As mudanças vão se tornar efetivas a partir do dia 15 de maio. Segundo a postagem no blog da empresa, manter esse tipo de arquivo poderia trazer problemas à marca:

O conteúdo explícito e ilegal tem historicamente representado um risco para a comunidade do Imgur e seus negócios. Não permitir o seu upload permitirá que a companhia aborde esses riscos e proteja o futuro da nossa comunidade.

A página ainda permitirá fotos de nudez artística. Contudo, como o site ainda está calibrando a detecção automatizada nesses estágios iniciais, alguns conteúdos que podem ter sido permitidos sob “exceções artísticas” anteriormente podem não se aplicar dessa vez.

Além disso, o Imgur informou que pretende deixar tudo bastante claro para a sua base de usuários. De acordo com a marca, se uma pessoa realizar o upload de alguma imagem que é considerada uma violação dos termos, ela será notificada rapidamente. O arquivo também acabará sendo excluído consequentemente.

Por fim, a empresa disse que não dará advertências ou suspenderá contas quando alguém tentar adicionar esse tipo de conteúdo aos servidores da companhia.

Imgur (Imagem: Reprodução / Internet)
Página inicial do Imgur (Imagem: Reprodução / Internet)

Imagens antigas também poderão ser excluídas

O Imgur também informou que vai focar em “remover conteúdo antigo, não utilizado e inativo, que não esteja vinculado a uma conta de usuário de nossa plataforma”. Porém, a página não apresentou detalhes ou características específicas sobre o que seriam esses arquivos antigos.

Para tentar minimizar o impacto dessas mudanças perante a comunidade, a empresa disse que vai fazer uso tanto de uma detecção automática quanto de uma revisão humana. Ela ainda pede para que os usuários continuem reportando violações dos termos por outras pessoas.

É importante lembrar que o Imgur é uma entre várias opções de sites para hospedar imagens grátis. Vale conhecer outras plataformas sempre que possível.

Com informações: The Verge.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ricardo Syozi

Ricardo Syozi

Repórter

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral. Entrou para o Tecnoblog em 2021.

Relacionados