AI Pin: o aparelho mais curioso do ano custa US$ 699 (e ainda cobra assinatura)

Dispositivo vestível utiliza ímãs para se fixar à roupa do usuário. Startup Humane tem parceria com OpenAI e Microsoft, entre outras empresas.

Thássius Veloso
Por
Mão aberta. Nela há uma interface azul com reprodução de uma música.
Interface gráfica do AI Pin utiliza projetor a laser (Imagem: Divulgação/Humane)

A startup Humane finalmente deu detalhes sobre o AI Pin, o curioso aparelho que tem a proposta de substituir o celular. Ele tem preço de US$ 699 nos Estados Unidos, equivalente a R$ 3.440 em conversão direta. Os usuários também terão de pagar a assinatura de US$ 24/mês, cerca de R$ 120.

E o que o consumidor leva para casa? Um apetrecho tecnológico de formato retangular, do tamanho de um estojo de fone de ouvido, com inteligência artificial capaz de realizar uma série de atividade.

Acessório branco fixado perto da gola de moletom
AI Pin custa US$ 699 (Imagem: Divulgação/Humane)

O cofundador da Humane, Imran Chaudhri, ganhou as manchetes há cerca de seis meses por causa de uma palestra no TED em que falava do “computador desaparecendo”. Agora a imprensa americana pôde conhecer o produto de perto.

O AI Pin

O clipe do AI Pin foi projetado para ficar na gola da camisa, no bolso, na jaqueta, na bolsa, enfim, em algo ponto próximo do usuário. Nele há câmera, alto-falante e projetor a laser. Este assistente virtual acompanharia a pessoa ao longo do dia, sempre pronto para realizar as tarefas solicitadas.

Os jornalistas dos Estados Unidos não puderam “vestir” o AI Pin, mas tiveram a chance de interagir com ele. Alguns dos comandos aceitos pelo dispositivo da Humane envolvem enviar a mensagem para um contato, traduzir uma fala em tempo real ou tirar uma foto.

Não há nenhuma tela no AI Pin, mas existe uma interface gráfica. O projetor a laser exibe formas numa coloração azul. Nas demonstrações, executivos da Humane sugerem que os usuários posicionem a palma da mão na direção do projetor, o que lembra a maneira como interagimos atualmente com o smartphone.

Acessório fixado na jaqueta
AI Pin é fixado na roupa por meio de ímãs (Imagem: Divulgação/Humane)

A diferença fica por conta dos gestos. Os botões estão localizados nas bordas de um disco, e o comando se dá ao inclinar a palma da mão para algum destes lados. É preciso fazer o clique ao juntar o polegar e o indicador (mesmo movimento recém-adicionado ao Apple Watch).

O AI Pin roda o sistema Cosmos, desenvolvido pela Humane com base no Android. Ele conversa via Bluetooth com smartphones Android e com iPhones.

Inteligência artificial e assinatura mensal

A Humane diz que o Cosmos se integra com variados serviços de inteligência artificial. A OpenAI (e seu ChatGPT) e a Microsoft são mencionadas na apresentação, mas outros parceiros também poderiam embarcar no projeto. As músicas são provenientes do Tidal.

Os comandos e a maneira de funcionamento lembram bastante o GPT-4. Houve poucas exibições de IA generativa, mas numa das mensagens enviadas a um amigo, o representante da Humane pede e o sistema Cosmos gera uma frase “mais animada” do que a original. Toda a estrutura exibida até agora tem mais a ver com Alexa ou Siri.

Case do AI Pin visto de frente e de costas
Caso do AI Pin (Imagem: Divulgação/Humane)

A assinatura mensal de US$ 24 prevê o acesso aos recursos na nuvem da Humane, bem como conectividade via rede de telefonia da T-Mobile. As vendas do Humane AI Pin começam em 16 de novembro, por ora limitadas ao mercado americano.

Confira abaixo o vídeo de divulgação do AI Pin

Relacionados