Apple decide criar GPU própria para iPhones (ou: a parte ruim de ter um cliente grande demais)

Metade da receita da Imagination Technologies, dona da PowerVR, vem da Apple

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 1 mês

Eis um ponto negativo de ter um cliente grande demais: se você perdê-lo, suas receitas vão despencar e sua crise financeira deve piorar. É o que está acontecendo com a Imagination Technologies, que desenvolve os chips gráficos dos iPhones e iPads. A Apple decidiu que vai criar sua própria GPU — o que fez as ações da empresa parceira caírem 70% nesta segunda-feira (3).

Apple A10 é equipado com uma GPU PowerVR GT7600 personalizada

A Imagination é uma empresa britânica mais conhecida por desenvolver as GPUs PowerVR, que estão nos processadores da Apple e, até um tempo atrás, nos chips Intel Atom para smartphones. O problema é que só os pedidos da Apple representam metade de toda a receita da Imagination — e a maior parte desse dinheiro vai desaparecer nos próximos 15 a 24 meses.

Depois de avisar os investidores sobre a perda de seu maior cliente, a Imagination viu a cotação de seus papéis abrirem em baixa de 63%, passando de 268,25 libras no fechamento anterior para apenas 100,00 libras no primeiro minuto do pregão da bolsa de Londres. No ponto mais baixo do dia, o tombo era de 72%.

Para acalmar os acionistas, a Imagination afirmou que, embora a Apple esteja trabalhando “em um projeto independente de GPU”, a empresa de Tim Cook não apresentou evidências de que não vai mais precisar das patentes, informações confidenciais e propriedade intelectual da Imagination para desenvolver seu próprio chip gráfico — portanto, é provável que a britânica continue ganhando com royalties.

A Apple é cliente antiga da Imagination, tendo equipado os iPhones e iPads com GPUs PowerVR desde 2010, e detendo quase 10% das ações da pequena companhia. Em 2016, a Apple admitiu que estava conversando com a Imagination sobre uma possível aquisição, mas as negociações não avançaram.

No ano passado, a Imagination obteve receita de US$ 150 milhões, sendo que US$ 75,8 milhões vieram dos cofres da Apple. Mesmo com esse dinheiro, os britânicos não estavam bem: em março de 2016, a empresa anunciou um plano para demitir 350 funcionários, uma redução de 20% na força de trabalho.

Agora com menos dinheiro, vamos esperar para ver se a Imagination vai conseguir emplacar suas GPUs — as PowerVR, embora apresentem ótimo desempenho, têm pouco espaço no mercado por causa da forte concorrência com a ARM (que desenvolve as GPUs Mali) e a Qualcomm (que tem a Adreno). O chip topo de linha mais recente da MediaTek, o Helio X30, tem uma GPU PowerVR. Quem sabe?

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados