Apple prolonga home office e lista táticas para trabalho à distância

Funcionários da Apple provavelmente não devem retornar em totalidade aos escritórios antes de junho, de acordo com Tim Cook

Bruno Gall De Blasi
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
A marca brilhante da Apple, um ícone da companhia, logo na entrada da loja no Shopping Morumbi (Foto: Thássius Veloso)
Apple Store (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A Apple deve prolongar o home office por mais tempo. Aos funcionários, Tim Cook disse nesta quinta-feira (10) que é possível que boa parte da força de trabalho não retorne aos escritórios da fabricante do iPhone antes de meados de 2021 devido à pandemia de COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Apple pode manter home office até junho de 2021

Os novos detalhes sobre o trabalho remoto adotado pela companhia no começo de 2020 e em vigor até os dias atuais para combater o novo coronavírus foram revelados pela Bloomberg nesta quinta-feira (10). Durante a reunião, o CEO da Apple afirmou que “muito provavelmente” muitas equipes permanecerão trabalhando em regime de home office ainda em junho do ano que vem.

Cook também deu a entender que a Apple pode começar a se flexibilizar para o trabalho remoto no futuro devido aos resultados positivos deste ano. Ainda assim, o executivo explica que “não há substituto para a colaboração face a face, mas também aprendemos muito sobre como podemos fazer nosso trabalho fora do escritório sem sacrificar a produtividade ou os resultados”.

“Todos esses aprendizados são importantes”, afirmou. “Quando estivermos do outro lado desta pandemia, preservaremos tudo o que há de bom na Apple e, ao mesmo tempo, incorporaremos o melhor de nossas transformações neste ano”. Os funcionários da companhia de diversas regiões também terão os dias de folga entre o Natal e Ano Novo estendidos até 4 de janeiro.

Além de Cook, o vice-presidente sênior de engenharia de hardware, Dan Riccio, apresentou detalhes sobre o trabalho remoto da Apple nas fábricas durante a pandemia, tratado como um “grande desafio”. De acordo com o executivo, a companhia utilizou realidade aumentada e robôs para tornar os lançamentos possíveis em 2020.

Outras companhias estenderam o home office para meados do ano que vem, assim como a Apple. É o caso de Facebook e Google, que liberaram o trabalho remoto até julho de 2021.

Com informações: Bloomberg e iMore

Receba mais sobre Apple na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi

Ex-autor

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Escreveu para o TechTudo e iHelpBR. No Tecnoblog, atuou como autor entre 2020 e 2023.

Canal Exclusivo

Relacionados