Claro fatura R$ 39 bilhões e dobra rede de fibra óptica em 2022

Operadora vê receita crescer 7,4% impulsionada por serviços móveis; Claro cresce pouco no segmento fixo, mas expandiu fibra óptica para 7,8 milhões de domicílios

Lucas Braga
Por
Logotipo da Claro ao lado de cable modem
Banda larga da Claro (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Claro Participações divulgou os resultados financeiros do 4º trimestre de 2022. A operadora encerrou o ano com aumento de 7,4% na receita líquida, com as cifras impulsionadas após a aquisição da Oi Móvel. A operadora conseguiu crescer no segmento de telefonia celular e se manteve estável na banda larga fixa, mas dobrou a cobertura FTTH ao longo do ano.

Resultado financeiro da Claro — 2022

Confira os principais indicadores da Claro para o ano de 2022 e o comparativo com o período anterior:

Indicador20222021Diferença
Receita líquida totalR$ 42,7 bilhõesR$ 39,7 bilhões+7,4%
Receita de serviços móveisR$ 20,7 bilhõesR$ 17,4 bilhões+19,4%
Receita de serviços fixosR$ 19,9 bilhõesR$ 20,6 bilhões-3,3%
EBITDA (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização)R$ 17,9 bilhõesR$ 16,5 bilhões+8,8%

Por se tratar de uma empresa de capital fechado no Brasil, a Claro não divulga o lucro líquido como Vivo, TIM e Oi. O EBITDA, que representa o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, saltou 8,8% no ano, enquanto a margem EBITDA cresceu 0,5 ponto percentual.

Após compra da Oi, receita móvel da Claro cresce 19,4%

O segmento de telefonia celular teve protagonismo em 2022 no balanço da Claro. Durante o período, a receita móvel superou a fixa e se tornou o carro-chefe da operadora no Brasil.

A Claro terminou o ano de 2022 com 83,3 milhões de clientes móveis, com salto de 18% no comparativo anual. A compra da Oi Móvel é uma das principais responsáveis pela adição de acessos, mas a operadora afirma ter saldo líquido de 1,1 milhão nas linhas portadas durante o período.

No segmento pós-pago (inclui planos controle), que gera maior receita e recorrência para a operadora, a Claro adicionou 5,6 milhões de clientes durante o ano de 2022. A compra da Oi Móvel também teve papel relevante para o resultado.

Ainda sobre a Oi Móvel, a Claro afirma que efetuou o processo de limpeza de assinantes inativos que vieram da operadora. Cerca de 4,5 milhões de clientes foram desligados até o final de 2022.

A Claro também comemora o crescimento de 58,7% dos usuários com o plano digital Claro Flex comprado ao ano anterior, mas não divulgou quantos clientes efetivamente possuem o serviço contratado. A operadora considera o produto como “importante ferramenta de transformação digital e de aumento da base de pós-pago”.

Claro dobrou cobertura de fibra óptica em 2022

A Claro lidera o mercado brasileiro de banda larga com 22% dos acessos, mas está numa posição que não chega a ser confortável. No trimestre, a operadora registrou apenas 26 mil adições líquidas em clientes de internet fixa, mas conseguiu aumentar a receita em 5,5%.

O grande calcanhar de Aquiles da Claro é que a maioria da sua cobertura de internet fixa utiliza tecnologia HFC, que utiliza cabo coaxial. A operadora parece ter entendido essa deficiência, e praticamente dobrou a cobertura com fibra óptica pura: são 7,8 milhões de domicílios atendidos com FTTH, contra 3,2 milhões de casas fibradas até o final de 2021.

Durante o ano de 2022, o serviço de fibra óptica da Claro estreou em 91 novas cidades. No entanto, a operadora afirma que também mantém a estratégia de expansão da rede FTTH nas cidades onde já possui infraestrutura de cobre, com tecnologia HFC.

A operadora também que a plataforma de streaming Claro TV+, incluindo as versões app e Box, atingiu mais de meio milhão de assinantes em 2022. A última vez que a tele divulgou números dessa modalidade foi no 4º trimestre de 2021, quando o Claro Box TV tinha 255,7 mil contratos.

Relacionados